ColunistasFórmula 1Post

Raio-X do GP da Arábia Saudita – Hamilton vence e empata com Verstappen

A penúltima etapa da temporada 2021 foi disputada na Arábia Saudita em Jeddah. Um circuito muito veloz, mas com poucos pontos de ultrapassagem. Por ser um traçado de rua, a atuação do Safety Car e paralisações por bandeira vermelha já eram algo esperados para ocorrer neste fim de semana.

O caos ficou reservado para o domingo, mas Lewis Hamilton conseguiu contornar todas as questões que ocorreram para vencer pela 103ª vez na carreira. Agora Hamilton e Max Verstappen estão deixando Jeddah empatados, portanto, a decisão do título ocorrerá em Abu Dhabi.

A Mercedes segue líder do Campeonato de Construtores, se aproveitando do pódio de Valtteri Bottas, mas também do abandono de Sergio Pérez.

Confira agora alguns comentários sobre o fim de semana seguindo a atual ordem do campeonato de Construtores e a pontuação conquistada por cada time até aqui.

Mercedes

587.5

Hamilton superou as adversidades para vencer o GP da Arábia Saudita – Foto: reprodução

A Mercedes chegou em Jeddah como equipe favorita, principalmente por conta das características do seu carro. Na sexta-feira durante os treinos livres já foi possível notar que os seus dois pilotos tinham ritmo, mas também não estavam mostrando todo o seu potencial. Foi possível observar que o seu desempenho também era melhor com os pneus mais duros da gama, portanto fizeram questão de começar a corrida com os médios. A disputa ela pole ocorreu no sábado, Lewis Hamilton conseguiu um bom tempo, superando Valtteri Bottas – a Mercedes fechou a primeira fila, mas também contou com um pouco de sorte, pois Max Verstappen bateu no final da classificação, desperdiçando os dois melhores setores que ele estava registrando.

Para o domingo vale ressaltar que Hamilton teve a sorte de começar da primeira posição, Bottas largou muito bem e fechou Verstappen, mas o Safety Car ativado na volta dez pela batida de Mick Schumacher mudou a ordem do grid. Neste ponto começou uma guerra de estratégias, a Mercedes acreditava apenas em uma bandeira amarela, portanto parou os seus dois pilotos, mas pouco depois a corrida foi paralisada com o regime de bandeira vermelha instaurado.

Verstappen que não tinha parado – pois Bottas estava tentando atrasar o holandês – assim Verstappen assumiu a liderança e foi contemplado com o direito de largar da primeira posição quando a prova foi reestabelecida.

Durante todas as voltas que se sucederam após a segunda bandeira vermelha, mostraram um Lewis Hamilton aguerrido, travando várias batalhas. A insistência de Verstappen em não realizar a devolução da posição e a falta de comunicação fizeram Hamilton estampar a traseira do carro do rival.

Mesmo com a asa dianteira danificada, Hamilton conseguiu recuperar a liderança da corrida e cravou a terceira vitória seguida da temporada.

LEIA MAIS: Em um cenário caótico, Hamilton vence e disputa segue empatada para Abu Dhabi

Valtteri Bottas também merece créditos nesta disputa, conseguiu fazer uma boa largada, ainda que tenha perdido um pouco de terreno para Esteban Ocon, ele conseguiu recuperar o pódio na linha de chegada. O finlandês conseguiu contribuir com pontos importantes para o time que busca obter o 8º título de Construtores.

Red Bull

559.5 pontos

Max Verstappen vai além para ficar com a ponta, mas precisa se contentar com o segundo lugar depois de cometer algumas infrações – Foto: reprodução Red Bull

A Red Bull começou o final de semana com algumas questões, a equipe teve um pouco mais de dificuldade para encontrar o equilíbrio do carro. Também foi possível observar durante a sexta-feira uma diferença de desempenho entre Max Verstappen e Sergio Pérez, os pilotos não estavam andando próximos.

A dupla buscou obter um bom resultado durante todo o fim de semana, Max poderia até mesmo ser campeão em Jeddah, mas dependia de um resultado ruim de Hamilton. É um fim de semana em que o holandês sabia que poderia obter um resultado melhor, alguns momentos só dependiam da sua postura.

Verstappen tentou tirar o máximo do carro durante a classificação, mas estampou o muro de contenção nas voltas finais – fazendo ele largar da terceira posição. No domingo, o holandês não conseguiu superar os pilotos da Mercedes, mas a decisão de permanecer na pista esperando por uma bandeira vermelha deu muito certo.

Entretanto, neste domingo mais uma vez Verstappen partiu para o tudo ou nada, a equipe precisou ter uma estratégia agressiva para obter um bom resultado. A forma de conduzir alguns passos na corrida foram de certa forma bem exagerados, principalmente a atitude de não devolver a posição para Hamilton depois de ter extravasado os limites de pista. A FIA também tem sua parcela de culpa, pois deixou a corrida seguir, demorando para tomar uma atitude, e desta forma tivemos o toque entre Max e Lewis acontecendo na volta 37.

A penalidade de cinco segundos na corrida – por ter extravasado os limites de pista e ganhado vantagem – ou a de dez segundos aplicada ao final da prova – por ter provocado aquela batida com Lewis, já que o holandês freou bruscamente e ainda estava tentando ter uma vantagem para retomar a liderança da prova – foram punições que saíram de certa forma baratas, pois não custaram a segunda posição.

Bom, Verstappen obteve o recorde de pódios em uma única temporada, foram 17 e pode estar no pódio de Abu Dhabi – se vencer ou estar entre os três primeiros – vamos ver qual será a atitude e a escolha de Max nesta última corrida do ano.

Esperávamos uma corrida melhor de Pérez, o piloto estava na 5ª posição até o momento em que a equipe optou por fazer a sua parada. Na segunda relargada foi o momento que o mexicano bateu e abandonou a corrida – ele teve um encontro com Charles Leclerc e Pierre Gasly – foi inevitável o abandono de Pérez. Agora o mexicano precisa ajudar a equipe com um bom resultado na última corrida do ano, mas eles também dependem de um resultado ruim da Mercedes para obter o título de Construtores.

Ferrari

307.5 pontos

Dupla da Ferrari trava disputa durante GP da Arábia Saudita – Foto: reprodução Ferrari

O desempenho da Ferrari chama a atenção desde a troca do motor, os pilotos estão apresentando um bom ritmo, conseguindo bons resultados. A sensação que fica é que a Ferrari poderia ter deixado Jeddah com um resultado melhor por conta do bom trabalho feito durante os treinos livres, mas na classificação Carlos Sainz conseguiu apenas o décimo quinto lugar, portanto a corrida de domingo do espanhol ficou marcada pela necessidade de fazer uma prova de recuperação.

O que vimos no domingo foi a Ferrari instalando os pneus médios [pois ele largou com os duros] em Sainz após aquela parada provocada pela primeira bandeira vermelha – espanhol teve que controlar o desgaste dos compostos para ir até o final.

O monegasco deu um susto na sexta-feira quando perdeu o carro na curva 22, estampando o muro. O carro ficou bem destruído, mas a Ferrari fez um fantástico trabalho de reconstrução e ele pode participar das outras sessões normalmente.

Sainz e Leclerc se enfrentaram pelo sétimo lugar, mostrando que a Ferrari precisará tomar alguma decisão no próximo ano, pois os dois pilotos demonstram muita força de vontade, mas não vão ceder, pois querem mostrar o seu melhor.

Com os pontos conquistados por Daniel Ricciardo, agora a Ferrari segue para Abu Dhabi com 38,5 de vantagem para a McLaren.

McLaren

269 pontos

Daniel Ricciardo conquistou pontos com a McLaren, conseguindo se aproveitar da bandeira vermelha – Foto: reprodução McLaren

Após o encerramento do GP da Arábia Saudita, a sensação que fica é que a McLaren poderia ter feito mais e obtido um resultado melhor. Entretanto, a dupla teve um início de fim de semana apagado, na classificação Daniel Ricciardo ficou mais uma vez preso no Q2, enquanto Lando Norris só avançou ara o Q3, por ter instalado os pneus macios para buscar uma volta rápida.

No domingo Norris largou com os pneus macios e de certa forma estava em desvantagem, pois teria que parar antes. A entrada do Safety Car ofereceu a chance perfeita para Norris realizar a sua troca de pneus, mas com a paralisação da corrida ocorrendo pouco tempo depois, o piloto da McLaren foi enviado para o final do pelotão e aí começou a sua tentativa de escalar o grid e retornar ao top-10.

A bandeira vermelha jogou a favor de Daniel Ricciardo, o australiano fez a troca dos seus pneus dentro do pit-lane com a corrida parada, portanto avançou no grid já que vários pilotos pararam dentro da ativação do Safety Car. Desta forma Ricciado passou a brigar pela quinta posição e depois por um quarto lugar. Nas últimas dez voltas da corrida, Ricciardo foi ultrapassado por Bottas, mas obteve o P5.

Norris fez o trabalho de escalar o grid, mas em um circuito de rua, ganhar posições é sempre muito difícil. O dono do carro #4 conquistou o décimo lugar, obtendo mais um ponto para a McLaren.

Alpine

149 pontos

Esteban Ocon esteve dentro do Top-3 do GP da Arábia Saudita, o piloto só perdeu o pódio pois Valtteri Bottas realizou a ultrapassagem na última volta – Foto: reprodução Alpine

Novamente o desempenho da dupla da Alpine chamou a atenção mais uma vez neste fim de semana na Arábia Saudita. Fernando Alonso não avançou para o Q3, mas a realidade é que o espanhol sentiu que o carro mudou o seu comportamento quando estava fazendo os testes dentro do TL3.

Desta forma Esteban Ocon representou o time na fase final da classificação, o piloto começou a corrida em P9, mas teve uma boa reação na largada e logo assumiu o sétimo lugar. A Alpine optou por não realizar a troca dos seus pneus quando o Safety Car foi ativo, desta forma o francês assumiu o quarto lugar e conseguiu brigar com Max, Lewis e Valtteri na primeira relargada.

Ocon passou parte da prova em P3, mas perdeu a posição quando foi atacado por Valtteri Bottas na volta final da corrida. O francês se sentiu frustrado com o P4, pois a Alpine poderia ter conquistado mais um pódio e disparar na quinta posição do Campeonato de Construtores, mas certamente ele está mais uma vez com a confiança renovada, seguindo agora para Abu Dhabi.

No cockpit ao lado o mesmo não aconteceu, Alonso até disputou com Antonio Giovinazzi a décima posição, mas o ritmo não colaborou e a escolha de fazer o pit-stop no Safety Car prejudicou ainda mais a sua corrida. O espanhol terminou fora da zona de pontuação, depois de estabelecer uma sequência de três corridas pontuando.

Alonso assumiu o papel de sinalizar que a pista estava muito suja, já que ocorreram diversos acidentes, mas os fiscais de pista ficaram devendo na limpeza.

AlphaTauri

120 pontos

Pierre Gasly conquistou mais pontos para a AlphaTauri neste fim de semana, mas a equipe volta a sentir o gosto amargo do azar com Yuki Tsunoda – Foto: reprodução AlphaTauri

Novamente a AlphaTauri viveu um mix de sorte e azar. Pierre Gasly e Yuki Tsunoda mostraram que conseguiam ser velozes na pista, foram bem na classificação e tinha tudo para somar pontos para a equipe.  Gasly fez uma corrida solida, sem grandes surpresas ou destaques na transmissão, mas conquistou a sexta posição e o mais importante: pontos.

Tsunoda não conseguiu manter a posição depois da largada, pois perdeu quatro posições, depois foi um exercício de lutar e tentar lidar com as relargadas. O japonês se encontrou com Sebastian Vettel, colidindo com o piloto da Aston Martin. Pós corrida ele avaliou que deveria ter esperado um pouco mais para tentar a ultrapassagem pois poderia ter encontrado uma chance melhor. Tsunoda terminou a corrida no décimo quarto lugar bem frustrado.

Aston Martin

77 pontos

Outro GP, mas a dupla da Aston Martin enfrenta as mesmas dificuldades – Foto: reprodução Aston Martin

O GP da Arábia Saudita foi mais um episódio dos diversos problemas que a Aston Martin enfrentou ao longo da temporada. Novamente a dupla esteve completamente apagada, sem chances de reagir na busca por um resultado melhor. No sábado eles ficaram presos no Q1, já sinalizando que seria uma corrida difícil, pois

Sebastian Vettel foi o que esteve mais próximo de conquistar pontos, pois até esteve no top-10, mas a colisão com Yuki Tsunoda tirou as possibilidades que levar alguma pontuação para casa. O alemão abandonou a prova quando ela estava se aproximando das voltas finais. Com alguns abandonos que ocorreram ao longo da corrida, Lance Stroll que tinha feito algumas ultrapassagens chegou à décima posição, mas foi ultrapassado por Lando Norris e assim ficou com o décimo primeiro lugar. Outra corrida, outra vez a equipe fecha um GP sem pontos.

O alemão também esteve envolvido em uma batida com Raikkonen, o seu Aston Martin ficou com o assoalho danificado. Vettel foi visto espalhando destroços na corrida, pelos danos sofridos no carro.

Williams

23 pontos

George Russell se envolveu em incidente durante relargada e abandonou a corrida – Foto: reprodução Williams

O circuito de Jeddah não seria uma etapa fácil para a Williams e largar na parte final do grid, significa correr riscos, principalmente quando acidentes podem acontecer no pelotão. George Russell fez uma boa classificação, ficou com o décimo quarto lugar, mas caiu para P17 depois que a largada foi realizada. Após a primeira relargada, Russell tentou desviar do engarrafamento que foi formado na curva 3 pela batida de Pérez, mas Nikita Mazepin que estava logo atrás acertou a traseira do seu carro. O russo e o britânico abandonaram a prova.

Nicholas Latifi ficou como o representante da Williams em pista, mas terminou a prova no décimo segundo lugar. O canadense teve a oportunidade de conhecer mais a pista e encarar ela como mais um ponto do seu aprendizado.

Foi um fim de semana para também lidar com a saudade provocada pelo falecimento de Sir Frank Williams. Os times prestaram homenagens, assim como a categoria. 

Alfa Romeo

13 pontos

Antonio Giovinazzi conquistou pontos com a Alfa Romeo neste fim de semana, após fazer uma boa classificação no domingo – Foto: reprodução Alfa Romeo

Desde o GP da Bélgica a Alfa Romeo ficou ciente que havia perdido o oitavo lugar do campeonato. Os pontos conquistados pela Williams lá, abriram uma distância difícil para a dupla da Alfa alcançar. Desde o GP do México a equipe não conquistava novos pontos, aliás, este foi um ano que Antonio Giovinazzi e Kimi Raikkonen flertaram com a zona de pontuação, mas não conquistaram pontos.

Giovinazzi merece destaque pelo final de semana, o piloto teve alguns resultados prejudicados pelas estratégias adotadas pelo time, mas neste fim de semana, ele finalmente voltou a pontuar mais uma vez. O italiano fez uma excelente classificação, conseguindo levar o carro da Alfa Romeo ao Q3. Na corrida vimos o piloto tentando defender a posição e duelando com outros pilotos, mas era uma Alfa Romeo contra carros que apresentam um desempenho superior no grid.

LEIA MAIS: Giovinazzi fala sobre adaptação ao carro, testes e possibilidade de vencer na Fórmula E

Na sequência da corrida, Giovinazzi se beneficiou de alguns abandonos, mas também conseguiu avançar no pelotão e ocupar a sétima posição – ficou parte da corrida nela – mas a dupla da Ferrari aproximou e fez a ultrapassagem. Giovinazzi se manteve na nona posição, conquistando mais dois pontos para a Alfa Romeo. A realidade é que aquela bandeira vermelha do início da corrida ‘salvou’ a sua corrida, pois a troca dos seus pneus foram feitas naquela janela.

Kimi Raikkonen também duelou ao longo da corrida, tentou conquistar posições, mas o finlandês se tocou com Vettel e precisou fazer uma segunda parada e trocar a sua asa dianteira. O resultado do finlandês foi prejudicado com a parada adicional.

Haas

0 pontos

Mick Schumacher e Nikita Mazepin não completaram o GP da Arábia Saudita – Foto: reprodução

Com relação aos pontos não surpresa alguma ver o time ainda sem pontuar, mas neste final de semana a dupla da Haas não completou a corrida pois esteve envolvida nos dois acidentes que levaram as paralisações. Mick Schumacher perdeu a traseira do carro e foi parar no muro de contenção, da mesma forma como aconteceu com Charles Leclerc durante os treinos livres. Nikita Mazepin bateu na traseira de George Russell pois não conseguiu frear antes de bater no piloto da Williams.

Pista

Jeddah é um circuito veloz, mas de alto risco – Foto: reprodução

Jeddah se mostrou um circuito muito veloz, mas extremamente perigoso, poucas áreas de escape, curvas cegas, sinalização inadequada em alguns pontos e dificuldade para realizar a limpeza do traçado conforme a corrida foi acontecendo. Mesmo com a Arábia Saudita já pensando em outro traçado para receber as próximas corridas, essa pista ainda deve abrigar o GP de 2022, portanto algumas questões precisam ser revistas antes que o próximo evento seja realizado.  

Escute o nosso podcast!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!