ColunistasFórmula 1

Leclerc supera Verstappen, mas vitória no GP da Áustria tem seu tom dramático

Leclerc ultrapassa Verstappen três vezes e ainda vive drama no final da prova, mas consegue consolidar vitória no Red Bull Ring

O GP da Áustria foi bem disputado neste domingo (10), a chuva pode não ter entrado nessa equação, mas não fez falta alguma, pois as estratégias conseguiram dar uma movimentada na prova. Parece que aos poucos os times estão dando preferência por ter mais performance ao invés ficar se podando por conta do desempenho dos compostos.

Charles Leclerc venceu a corrida diante da torcida de Max Verstappen. O monegasco contou com um desempenho superior, enquanto o holandês estava lutando com o carro durante a corrida principal. Por conta das estratégias, Leclerc fez três ultrapassagens em Verstappen para consolidar a sua vitória no Red Bull Ring e se a corrida fosse transmitida pela outra emissora, teria até direito de pedir música.

O final da prova foi dramático para o piloto monegasco, após Carlos Sainz abandonar com um problema de motor, o monegasco começou a sofrer com o acelerador do carro. O medo de abandonar outra vez começou a pairar nos boxes da Ferrari, mas Leclerc que estava com medo usou esse combustível para chegar até o final. Verstappen tentou se aproximar, foi até mesmo alertado pelos problemas do adversário, mas com as instruções da equipe Leclerc conseguiu controlar o carro e levar o F1-75 até o final.

A última vitória do monegasco tinha acontecido no GP da Austrália, desta forma após erros e problemas Leclerc conquista a sua 5ª vitória da carreira.

Verstappen que estava se sentindo seguro após cravar a pole na sexta-feira e vencer no sábado, achava que conseguiria vencer diante da sua torcida, mas precisou se contentar com o segundo lugar.

Lewis Hamilton que começou a corrida na oitava posição, fez uma prova intensa, precisou negociar com a dupla da Haas em vários momentos. Mas foi outro piloto que contou com uma boa estratégia e desta forma conquistou a terceira posição. George Russell foi o quarto colocado, terminando a corrida na posição que começou, mas lidou com a flutuação no grid por conta das estratégias e paradas.

Esteban Ocon terminou a prova no quinto lugar, seguido por Mick Schumacher que realizou mais uma grande prova, sabendo se portar na pista, fazendo defesas de posição, mas também atacando os seus adversários. O piloto alemão foi considerado o piloto do dia pelo publico. Lando Norris foi o sétimo colocado, conseguindo colocar a McLaren na zona de pontuação, o piloto também precisou brigar com os pilotos da Haas e terminou à frente de Kevin Magnussen. Daniel Ricciardo pontuou neste domingo, despois de protagonizar uma disputa com o Norris no início da prova.

Fernando Alonso que começou a corrida da décima nona posição, fez a ultrapassagem em Valtteri Bottas, salvando mais um ponto para a Alpine, com direito a colaborar com o ponto necessário para empatar com a McLaren.

A Fórmula 1 realiza uma breve pausa antes de partir para a França e Hungria, concluindo a primeira metade do calendário.

Saiba como foi o GP da Áustria

Valtteri Bottas começaria a corrida do final do pelotão por conta da troca do motor, mas a Alfa Romeo optou por trocar a asa traseira do C42, assim como o turbo, desta forma o finlandês precisou começar a corrida do pit-lane.

O tempo estava bem fechado no momento que a corrida teve início, mas a ameaça de chuva foi reduzida. A temperatura na pista estava na casa dos 30°C, com 20°C no ambiente.

A Pirelli apostava em uma prova onde os competidores realizariam apenas uma parada, mesmo com os pneus degradando um pouco mais neste começo de corrida. Apenas Zhou Guanyu, Yuki Tsunoda, Sebastian Vettel e Fernando Alonso começaram a corrida com os pneus duros, o restante do pelotão apostou nos compostos médios.

https://twitter.com/F1/status/1545865372355772417

O grid de largada foi definido por meio da prova Sprint realizada no sábado. Como Max Verstappen venceu a prova, o holandês teve a oportunidade de largar mais uma vez da primeira posição, acompanhando por Charles Leclerc. Fernando Alonso começou a prova da décima nona posição, após não conseguir correr na prova Sprint.

Luzes apagadas, Verstappen largou bem e saltou na ponta, repetindo a fórmula de fechar a dupla da Ferrari. Sainz espalhou, extravasou os limites de pista, mas ao retornar começou a duelar com George Russell. Metros depois foi a vez de Pérez e Russell se tocarem na curva 4, desta forma o piloto da Red Bull passou pela brita e retornou para a pista na vigésima posição.

Albon e Tsunoda também tiveram um incidente que seria investigado pelos comissários. Pérez seguiu para os boxes na segunda volta, realizando a troca dos pneus e retornando na vigésima posição.

No terceiro giro, Verstappen tinha cerca de 1s5 de vantagem para Leclerc. Mick Schumacher também apostava em atacar Hamilton, buscando o sétimo lugar que era do piloto da Mercedes. A dupla da McLaren estava no top-10, com Ricciardo ocupando o nono lugar, seguido por Norris.

No quarto giro quando Hamilton cometeu um erro, Schumacher se aproveitou para realizar a ultrapassagem, assumindo então o sétimo lugar. Uma fila tinha se formado atrás de Russell, desta forma todos estavam usando o DRS para atacar e se defender. Norris conseguiu ultrapassar Ricciardo e tentava reduzir a distância para Hamilton, mas o australiano ainda buscava um duelo com o companheiro de equipe.

Durante a oitava volta Leclerc estava ainda mais próximo de Verstappen, com o monegasco brigando pela liderança da corrida. Pérez tinha levado uma volta do companheiro de equipe, após perder tempo nos boxes após a largada.

Quando a prova chegou a décima posição os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Russell, Ocon, Magnussen, Hamilton, Norris e Ricciardo. Leclerc colocou o carro de lado, tentou forçar, mas ainda não tinha conseguido um espaço. Neste momento Russell foi punido com cinco segundos, pois a direção de prova entendeu que ele era o culpado pelo incidente com Pérez.

Na décima segunda volta Leclerc assumiu a liderança da prova, realizando a ultrapassagem em Verstappen. Russell e Albon seguiram aos boxes, o britânico além de cumprir a sua punição, trocou os pneus e também substituiu a asa dianteira.

Na sequência foi a vez de Ricciardo, Bottas, Gasly e Latifi trocarem os seus pneus. Verstappen fez a sua troca de pneus na volta 14, abandonando o duelo com os pilotos da Ferrari. Sainz assumiu o segundo lugar, acompanhado por Ocon.

Hamilton recuperou a posição perdida para Schumacher no décimo quinto giro, para na sequência também ultrapassar Magnussen. Verstappen tinha se aproximado de Schumacher, para assumir o quinto lugar na volta 16, escalando o grid, enquanto a dupla da Ferrari seguia na liderança.

Vários pilotos eram notificados sobre os limites de pista. A corrida seguiu com Hamilton tentando de alguma forma segurar Verstappen, após avisar que os seus pneus médios ainda estavam bons.

Com 20 voltas os dez primeiros eram: Leclerc, Sainz, Verstappen, Hamilton, Stroll, Tsunoda, Zhou, Alonso, Vettel e Ocon. Verstappen tinha a volta mais rápida da prova, depois de registrar 1m09s895, mas ainda com uma corrida inteira pela frente. Vettel, Ocon e Magnussen duelavam pela oitava posição, mas na volta 21 o piloto alemão abandonou a disputa para substituir os pneus.

O meio do pelotão estava embolado, principalmente por conta de pilotos como Alonso e Zhou não tinham trocado os seus compostos. Alonso abriu passagem para o companheiro de equipe que estava com pneus mais novos e em uma estratégia diferente, desta forma o francês foi travando disputas e logo estava no sexto lugar, após ganhar a posição de Tsunoda durante a volta 24.

Na sequência foi a vez de Magnussen surpreender Alonso e Zhou realizando uma ultrapassagem dupla. Norris encostou na briga e também fez como o dinamarquês, não hesitou e ganhou as posições de Alonso, Schumacher e Zhou, ocupando então o nono lugar. O piloto da Alfa Romeo seguiu aos boxes para trocar os pneus, com Guanyu retornou na décima nona posição.

O carro da Haas estava rendendo e Schumacher se aproveitava disso para se defender das investidas de Alonso, não dando brecha para o piloto da Alpine. E foi no giro 26, sem chances de brigar com mais ninguém, Pérez foi chamado aos boxes para abandonar. Leclerc seguiu para os boxes, retornando para a pista atrás de Verstappen, ocupando então a terceira posição. Sainz ficou na liderança momentaneamente, para na sequência também realizar a troca dos seus pneus. Hamilton que não tinha parado ainda ficou com a terceira posição.

Para acompanhar os líderes, Hamilton fez a substituição dos seus pneus retornando no sexto lugar, pois a parada da Mercedes não foi muito boa.

Durante a volta 30, os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Hamilton, Ocon, Magnussen, Schumacher, Norris, Russell e Ricciardo. Hamilton ultrapassou Ocon, recuperando o quarto lugar. Leclerc tinha reduzido a diferença para Verstappen em menos de 1s2, para logo ganhar o direito de utilizar o DRS.

Gasly foi punido com dez segundos por extravasar os limites de pista. Na volta 33 Verstappen perdeu mais uma vez a liderança para Charles Leclerc. O holandês estava enfrentando problemas com a aderência frontal do carro. Schumacher ultrapassou seu companheiro de equipe, ficando então com o sexto lugar.

Norris foi punido por extravasar os limites de pista com cinco segundos, durante a volta 35. Enquanto o incidente entre Tsunoda e Alonso era investigado pois o piloto espanhol foi lançado para fora da pista.

Na volta 37, Verstappen realizou a sua troca de pneus, instalando outro jogo de pneus duros para ocupar o terceiro lugar. A tentativa agora era de o holandês tentar se aproximar de Sainz.

Vettel rodou após ser tocado por Gasly, o alemão perdeu posições e o incidente era investigado. Na volta 42 a AlphaTauri chamou o piloto para substituir os compostos e na sequência o francês foi punido com cinco segundos pelo incidente. Russell também trocou os pneus.

Foi na volta 43 que Magnussen e Albon trocaram os seus pneus, o piloto da Haas optaram por outro jogo de pneus duros.

No giro 44 Schumacher e Norris então trocaram os seus pneus, com os pilotos que precisavam realizar uma segunda parada aproveitando o momento para substituir os compostos. Russell negociou com Stroll espaço na pista, antes de conseguiu a oitava posição. E na volta 46 foi a vez de Schumacher, Norris e Vettel substituírem também os pneus.

Os duelos continuaram, Stroll se defendia das investidas de Schumacher, mas o piloto canadense foi surpreendido pela dupla da Haas, caindo então para o décimo lugar.

Na volta 50 – quando Leclerc era o líder, mas estava encontrando os pilotos mais lentos da pista, a Ferrari chamou o monegasco para fazer a sua segunda troca de pneus. Leclerc retornou atrás de Verstappen, com apenas três segundos separando os adversários. Sainz foi na sequência realizar a sua troca de pneus.

Faltando 20 voltas para o final, os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Hamilton, Alonso, Ocon, Russell, Schumacher, Magnussen, Norris. Latifi seguiu para os boxes abandonando a corrida.

Hamilton que estava tentando brigar com os primeiros colocados, fez mais uma troca de pneus na volta 52, mas apostava nos médios. Leclerc fez mais uma ultrapassagem em Verstappen, retomando mais uma vez a liderança da prova.

Na volta 58 quando Sainz tentava ultrapassar Verstappen, o motor do carro da Ferrari apresentou problemas. O espanhol precisou encostar o carro e na sequência o motor começou a pegar fogo. O piloto ficou desolado refletindo sobre outro abandono com a Ferrari, principalmente após a sua primeira vitória.

Imediatamente o Safety Car Virtual foi ativo, Leclerc e Verstappen trocaram os seus pneus mais uma vez. Hamilton era o terceiro colocado.

Leclerc começou a sentir algo estranho no carro, mas a Ferrari identificava que estava tudo certo com o acelerador do carro. Verstappen estava separado por cerca de 3s6 do monegasco, mas a distância estava em queda. Leclerc e Verstappen também duelavam pela melhor volta da prova.

Na volta 63 Norris enfrentava mais uma vez na prova Magnussen, ficando assim com o sétimo lugar. Bottas duelava com Albon pela décima posição.

Leclerc seguia lidando com o problema no acelerador. Bottas assumiu a décima posição na volta 66. As últimas voltas foram de muita pressão, tanto para Leclerc que tenta manter uma certa distância para Verstappen, como para outros pilotos que tentavam ainda travar disputas neste final de prova.

Alonso, então assumiu a décima primeira posição, ultrapassando Albon.

Leclerc foi controlando o carro e conseguiu receber a bandeira quadriculada na primeira posição. O monegasco estava com medo de abandonar a corrida por conta dos problemas do carro, mas foi um alívio ver a bandeira quadriculada. Verstappen completou o pódio, acompanhado por Hamilton.

https://twitter.com/F1/status/1546143322036740096

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!