GP da Espanha – Vitória nada fácil de Lewis Hamilton e uma Fórmula 1 mais humana

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio da Espanha, mas não foi uma conquista fácil. O inglês acabou perdendo a primeira posição já no início da prova para Sebastian Vettel. A largada foi tumultuada e Kimi Raikkonen e Max Verstappen ficam fora da corrida depois de terem as suspensões dos carros quebrada. A colisão entre eles, aconteceu logo depois de um toque de Bottas no finlandês da Ferrari, resultando na quebra imediata da sua suspensão, os carros estavam muito próximos e Raikkonen não tinha mais o controle do seu carro, resultando na colisão com Verstappen. A salada ainda não estava completa e Fernando Alonso também foi prejudicando com a batida que aconteceu, Felipe Massa que tentava desviar do bolo, acabou batendo em Alonso e jogando ele para fora da pista. O espanhol foi parar em décimo primeiro, o brasileiro ganhou um pneu furado e teve que ir para os boxes.

Após Vettel conseguir liderar a prova, ele começou um processo de abrir distância entre ele e Hamilton, conseguindo uma vantagem de mais de 2 segundos. E Bottas estava bem distante deles.

Fernando Alonso foi o primeiro a parar nos boxes, na volta 13, desencadeando a parada dos demais pilotos. Kevin Magnussen e Carlos Sainz que vinham brigando na pista, acabaram levando o confronto para os boxes. A Toro Rosso acabou soltando Sainz primeiro e os dois disputaram os centímetros disponíveis dentro do pit-lane, Magnussen não deixou espaço para Sainz e o espanhol acabou passando com o carro na grama. O incidente até foi investigado, mas nenhum deles recebeu punição. A grande verdade é que várias disputas dentro da pista foram investigadas, mas nenhuma delas recebeu punição, seria mais um sinal de uma nova era da Fórmula 1, onde as decisões são mais flexíveis?

Sebastian Vettel fez a troca dos seus pneus, e retornou para a pista com os compostos de faixa amarela, assim como Alonso, Magnussen e Sainz. A Mercedes optava por manter os seus dois pilotos na pista e Hamilton só foi chamado para os boxes na volta 22. Na parada realizada por Vettel o piloto acabou voltando atrás de Bottas e os dois também brigaram na pista. O finlandês acabou sendo surpreendido na volta 25 quando mudou o carro de linha (indo para o lado esquerdo) para defender a posição e Vettel jogou o seu carro para o lado direito, ficando com a pista livre para fazer a ultrapassagem.

De cara para o vento, Vettel tinha que aumentar a distância entre ele e Hamilton, era inevitável a realização de mais uma parada para Vettel, mas Lewis podia se arriscar e se manter na pista até o final da prova. A briga além da que acontecia na pista, também era estratégica. Na volta 33 a distância entre os dois era 7 segundos. A diferença acabou se estabilizando na volta 35, depois da entrada de um safety-car virtual, resultado de um toque entre Felipe Massa e Stoffel Vandoorne. O piloto da McLaren acabou levando a pior, e indo parar na brita com a suspensão do carro quebrada.

Com a saída do safety-car na volta 37, Hamilton era chamado para fazer a sua parada, voltando com pneus macios. Vettel acaba parando na volta seguinte e retornava de médios. Quando o alemão está voltando para a pista, Hamilton também estava passando pela área dos boxes e os dois se encontram na saída do pit-lane, mas Vettel ainda conseguia manter a liderança em uma disputa roda com roda. Bottas logo em seguida era mostrado pela transmissão com o carro encostado na pista, o motor da sua Mercedes estava com vazamento de óleo e o carro começava a pegar fogo e Ricciardo assumia o quarto lugar da corrida.

Assim como a disputa entre Vettel e Hamilton era inevitável, o ganho de posição por Hamilton também estava estampado que aconteceria, a diferença do rendimento dos pneus era nítida e na volta 44 o inglês conseguia fazer a ultrapassagem em cima do alemão. Daí para a frente a Ferrari até tentou motivar o seu piloto dizendo que Hamilton estava com superaquecimento dos pneus traseiros e que ele poderia enfrentar problemas nas voltas finais. Vettel tentava diminuir a distância entre eles, mas acabava encontrando trafego na pista. Lewis conseguia passar eles com mais facilidade, mas Vettel perdia tempo. Acabou se estranhando com Felipe Massa e reclamando do brasileiro, mas Vettel vinha muito rápido e não tinha como fazer a curva mais fechada, para fazer a ultrapassagem. A Ferrari até pensava em partir para um outro plano, optando por chamar Vettel para os boxes, para que o mesmo colocasse pneus macios, mas era muito arriscado, faltavam apenas 12 voltas para o final da corrida e a Mercedes mostrava que não realizaria mais uma parada.

Os dois continuaram na pista, sem realizar mais nenhuma parada e Vettel tentava se aproximar. Lewis soube administrar os pneus que estavam mais gastos, foi uma vitória suada e o piloto já mostrava um desgaste fisico nas comunicações que eram feitas via rádio. Quem recebendo a bandeirada final na frente foi Hamilton, a diferença de pontos entre ele e Vettel que ainda permanece como líder do campeonato é de apenas 7 pontos.

| Ainda algumas considerações

Destaque para Pascal Wehrlein que marcou os primeiros pontos do campeonato para a Sauber e acabou assumindo a décima segunda posição no campeonato, ficando à frente de Kevin Magnussen e Romain Grosjean da Haas.

Daniil Kvyat também merece ser destacado, o piloto da Toro Rosso que largou da última posição, conseguiu terminar a prova em nono lugar e ficando na zona de pontuação.

Alonso mesmo não conseguindo se sustentar até o final da corrida na sétima posição, finalmente terminar uma prova, mesmo não pontuando o espanhol teve uma ótima desenvoltura durante a prova, terminou na frente dos carros da Williams, que não tiveram um final de semana nada fácil. Massa mesmo teve que fazer uma corrida de recuperação, tentando conquistar qualquer ponto, mas uma corrida com 3 paradas e todos os incidentes que acabou se envolvendo na prova tornaram a corrida do brasileiro ainda mais difícil.

A Force India é a única equipe que em todas as provas conseguiu pontuar com os dois carros. Sergio Pérez ficou com quarto lugar e Esteban Ocon apareceu na quinta posição.

A diferença de desenvolvimento dos carros ficou muito clara quando ao final da corrida 6 pilotos tomaram duas voltas dos líderes da prova. As mudanças feitas pela Red Bull Racing também não foram efetivas e ficaram escancaradas, quando ao termino da sessão, Daniel Ricciardo estava a mais de um minuto de distância do líder, sendo o único piloto a não tomar volta, mas terminando em uma situação crítica, mesmo conquistando um terceiro lugar. Ainda temos que lembrar que essa conquista de Ricciardo não pode ser vista com uma vitória, pilotos como Bottas, Raikkonen e até mesmo o seu companheiro de equipe ficaram fora da corrida, e Verstappen vinha de uma final de semana melhor que o do australiano.

A Fórmula 1 também parece estar se tornando mais humana. Um menininho que foi mostrado no início da prova abrindo o berreiro depois que Kimi Raikkonen ficava fora da corrida, conseguiu conhecer o seu ídolo. A família foi chamada pela Ferrari para realizar o encontro entre os dois. Essa aproximação é essencial, proporciona a quebra do ”inalcançável” que acontece muito entre o fã de Fórmula 1 e os pilotos que tem a fama de não serem acessíveis. Além de ser muito bonito ver a reunião de uma família dentro do autódromo, pais passando para os seus filhos o amor pelo esporte e fazendo esse carinho pela Fórmula 1 se propagar ainda mais por muitas gerações. A gente vê muitas famílias no futebol levaram os seus filhos aos estádios, colocando eles em escolinhas profissionais ou incentivando o jogo dentro de quadras no final de semana ou na própria escola. O automobilismo ainda é muito caro, não importa o seu país de origem, é um investimento que foge das condições da grande maioria. Se não temos como investir nesse tipo de carreira, podemos dar aquele empurrão pelo menos no amor, ensinando sobre o esporte, ligando as tvs no domingo para os pequenos assistirem ao nosso lado e levando eles com a gente para o autódromo. Formando torcedores. Vocês podem reparar que desde o começo do ano, a própria transmissão vem focando em mostrar a presença de crianças nas corridas em todos os circuitos.

Uma nova Fórmula 1, para toda a família.

O Grande Prêmio de Monaco acontece daqui 15 dias, em 26, 27 e 28 de maio.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

%d blogueiros gostam disto: