Preview GP da Espanha de Fórmula 1, onde as promessas podem ir para o r(h)alo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

O primeiro Grande Prêmio da Espanha disputado pela Fórmula 1 foi realizado em 1951 no circuito de Pedralbes. Outras competições automotivas também eram feitas no país, mas a Fórmula 1 não foi constante no seu início, resultando em alguns períodos sem a competição, como de 1952 e 1953, retornando em 1954 e depois de 1955 a 1967. Esse longo período sem nenhum tipo prova é explicado por um gravíssimo acidente que aconteceu nas 24 Horas de Le Mans, uma colisão acabou matando o piloto Pierre Levegh e 82 espectadores que estavam presentes no evento. O acidente trouxe algumas medidas preventivas para a proteção tanto para o público como para os competidores, seus capacetes passaram a proteger toda a cabeça e o uso do cinto de segurança também foi implementado. Os autódromos para o GP da Espanha também mudaram ao longo dos anos, as provas foram disputadas em Pedralbes, Jarama, Montjuic e Jerez onde geralmente acontecem os testes da pré-temporada. Atualmente a corrida é realizada no circuito da Catalunha em Barcelona.

O período entre as Guerras também foi decisivo para que as competições automobilísticas não acontecessem. Em 1946, as corridas voltaram com peso na forma de Grande Prêmio Penya Rhin, disputado no circuito de Pedralbes, em Barcelona.

lll Pedralbes

Pedralbes Fonte: statsf1.com

O circuito de Pedralbes foi palco do acidente em 1955 e logo depois perdeu todo o incentivo para outras corridas serem sediadas no local. A Fórmula 1 teve apenas os eventos de 1951 que contou com vitória de Juan Manuel Fangio, que faturou o campeonato naquele ano, justamente nesta pista, que fora a última prova a ser disputada no calendário. A prova de 1953 foi vencida por Mike Hawthorn, com uma Ferrari, quebrando o domínio da Mercedes.

lll Jarama and Montjuïc

Montjuicpark Fonte: statsf1.com

Na década de 1960 quando a Espanha tentava retornar às competições automobilísticas internacionais, o Royal Automobile Club of Spain encomendou um novo circuito ao norte de Madri, em Jerama e o governo da época reformou o circuito de Montjuïc em Barcelona com as especificações de segurança necessárias. Com isso foi possível trazer novamente a Fórmula 1 ao país, mas com dois autódromos disponíveis, a necessidade das competições se alternarem entre eles passou a existir e dessa forma Jerema recebia as corridas nos anos pares e Montjuïc nos ímpares.

Jarema possuía um traçado sinuoso e lento enquanto Montjuïc era rápido e arrebatador.

Jarama Fonte: statsf1.com

O circuito de Barcelona também chegou ao fim da sua história marcado por um acidente em 1975, quando na corrida o aerofólio traseiro de Rolf Stommelen se soltou e o seu carro voou para a arquibancada, matando cinco espectadores. A corrida foi interrompida antes de ser completada e virou uma forma dos pilotos protestarem contra a insegurança e não retornarem mais ao local. Fato interessante é que nessa mesma corrida Lella Lombardi, uma mulher, terminou a prova no sexto lugar, recebendo 0.5 pontos e se tornando a primeira mulher a pontuar no mundial. Depois da tragédia, Jerema continuou recebendo as competições até 1981, quando teve uma queda drástica no público que acompanhava as corridas.

lll Jerez

Na tentativa de mais uma vez reviver as competições no país, o prefeito de Jerez foi o responsável por encomendar um circuito para a cidade e promover o turismo para o local. O autódromo permanente foi entregue a tempo da competição de 1986 e foi palco da disputa intensa entre Ayrton Senna e Nigel Mansell, com os carros terminando lado a lado.

Jerez Fonte: statsf1.com

A localização do circuito não ajudou a movimentar grandes multidões para o autódromo, mas depois que as competições da Fórmula 1 deixaram de ser realizadas nele, sua serventia não deixou de existir e muitas vezes ele ainda recebe os testes de pré-temporada.

lll Catalunha

O circuito da Catalunha teve a sua construção graças ao apoio do governo espanhol. Em 1991 a competição mudou-se para o autódromo e no ano seguinte passou a figurar no começo do calendário.

Barcelona Fonte: statsf1.com

lll Pista

A pista é composta por 16 curvas e apenas 3 são feitas em velocidade baixa. Ela também possui apenas uma reta longa, as demais são mais curtas, explorando bem a downforce dos carros. Os pneus também são bem exigidos em decorrência do asfalto abrasivo, o dianteiro esquerdo é o que sofre mais. Os compostos escolhidos para essa etapa são os médios (faixa branca), macios (faixa amarela), supermacios (faixa vermelha), diferente da escolha do ano passado, quando a Pirelli optou por pneus duros (faixa laranja), médios e macios. A etapa desse ano conta com uma combinação conservadora, mas que pode colocar mais competitividade na prova.

lll Corrida 2017

O Grande Prêmio da Espanha de 2017 foi a quinta corrida a ser realizada e contou com vitória de Lewis Hamilton, que garantiu a vitória mesmo depois de ter sido ultrapassado por Sebastian Vettel ainda na largada. Bottas e Kimi Raikkonen que, mesmo sendo finlandeses, não falam a mesma língua na pista se estranharam, com o piloto da Ferrari ficando com a suspensão quebrada imediatamente e causando uma colisão com Max Verstappen e colocando o holandês para fora da corrida. O número de prejudicados com o incidente ainda foi bem maior e Fernando Alonso e Felipe Massa tiveram que desviar do bolo, mas mesmo assim eles se tocaram, com o brasileiro ficando com o pneu furado e se arrastando até os boxes.

boletimdopaddock.com.br/gp-da-espanha-vitoria-nada-facil-de-lewis-hamilton-e-uma-formula-1-mais-humana/8261

Com Sebastian Vettel assumindo a liderança da prova, o alemão passou a fazer o que ele obviamente faz de melhor, abrir vantagem para o segundo competidor e Bottas que estava em terceiro, estava bem distante dos ponteiros da prova.

Na volta 13, Fernando Alonso foi o primeiro a parar nos boxes, desencadeando a parada dos outros pilotos. Kevin Magnussen e Carlos Sainz que vinham disputando todos os milímetros na pista, levaram o confronto para o pit-lane e a Toro Rosso liberou o espanhol primeiro, mas o dinamarquês não deu espaço e passou com o carro na grama, o incidente foi investigado, mas não acarretou nenhuma punição para nenhum dos dois pilotos, mostrando novos tempos na Fórmula 1.

Sebastian Vettel fez a sua troca de pneus e retornou com os compostos macios, atrás de Bottas e teve que disputar com o finlandês para voltar a ficar na sua frente, que só ocorreu na volta 25. A Mercedes optava por manter Hamilton e Bottas por mais tempo na pista e chamou o inglês, somente na volta 22.

O alemão da Ferrari necessitaria de mais uma troca de pneus e por isso de cara para o vento precisava ganhar toda a distância que fosse possível para tentar finalizar a prova na frente do rival. Hamilton por outro lado podia arriscar e se manter na pista finalizando a prova com a sua única ida aos boxes.

Toda a distância de cerca de 7 segundos foi estabilizada na volta 35 com a ativação do safety car virtual quando Felipe Massa e Stoffel Vandoorne se tocaram, o belga foi para a brita com a suspensão quebrada. Duas voltas depois da ”saída” do SC virtual, a Mercedes optou por chamar Hamilton para os boxes mais uma vez e colocar os pneus macios em seu carro.

A Ferrari trouxe Vettel na volta 38, colocando no seu carro os médios, mas quando o alemão já estava na saída do pit-lane, se encontrou com Lewis Hamilton. O inglês vinha embalado, com mais velocidade e os pneus aquecidos, os dois travaram uma disputa roda com roda, enquanto Bottas abandonava a prova por conta de um vazamento de óleo e Ricciardo assumia o terceiro lugar.

Hamilton faturou a ultrapassagem e a vitória por conta do rendimento dos pneus. A Ferrari ainda tentou motivar Vettel dizendo que o seu adversário tinha problemas com o superaquecimento dos pneus, mas isso não era suficiente para abalar o piloto do carro #44. Os dois ainda encontraram tráfego na pista, mas o inglês conseguia ultrapassar os adversários com maior facilidade que o alemão, o que dificultou para Vettel tentar uma aproximação.

Hamilton recebeu a bandeira quadriculada, mas Vettel seguia como líder do campeonato, com 7 pontos separando os dois. Ricciardo foi o terceiro colocado e após o quarto lugar todos terminaram uma volta atrás.

lll Humanização

Foi nesta prova também que um garotinho foi mostrado abrindo o maior berreiro assim que Kimi Raikkonen bateu com Max Verstappen e abandonou a corrida. A transmissão valorizou a sua comemoração quando o mesmo comemorou a ultrapassagem de Sebastian Vettel em Lewis Hamilton e ainda quando a corrida estava em desenvolvimento ele e a sua família, que também eram torcedores da Ferrari, foram levados para conhecer o motorhome da equipe e tirar fotos com o seu ídolo. Desta forma a categoria já dava sinais de mudanças e a sua ideia de proximidade para o público, com um clima mais familiar.

boletimdopaddock.com.br/liberty-aumenta-ainda-mais-a-experiencia-do-publico-da-formula-1/20894

Fonte: Globo.com

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.