ePrix de Berlim: o hino brasileiro toca duas vezes no sábado

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

O ePrix de Berlim trouxe uma novidade para essa temporada, foram dois dias de ação da pista: shakedown e treinos livres na sexta-feira e quali e corrida no sábado de manhã. A mudança se deu por causa da Copa da Alemanha, que aconteceria na tarde de sábado.

Pelo 5º ano consecutivo, a capital alemã sediou uma etapa da Fórmula E, a primeira foi no centro da cidade, mas desde de 2015 o ePrix é disputado em Tempelhof, um aeroporto construído durante o regime nazista e desativado em 2008 que serviu de oficina de manutenção de aeronaves e de abrigo durante a Segunda Guerra Mundial. Toda a estrutura do circuito é construída especialmente para essa prova, por esse motivo a pista de 2375 metros possui elementos bem interessantes como trechos mais largos, bons pontos de ultrapassagem e um pequeno túnel.

Berlim está intimamente ligada à Fórmula E, não só por estar presente desde a primeira temporada no calendário, mas também quantidade de participantes alemães na categoria. São 4 pilotos (Andre Lotterer, Daniel Abt, Max Gunther e Pascal Wehrlein) e 2 equipes (Audi e HWA, sem contar a BMW Andretti que meio alemã, mas está registrada como americana).

Mas a verdade é que quem dominou o fim de semana no solo alemão foram os brasileiros. Lucas di Grassi venceu na Fórmula E e Cacá Bueno foi o primeiro na Jaguar iPace e-Trophy, seguido pelo também brasileiro Sergio Jimenez, foi a segunda vitória de Cacá na categoria. Será que dá pra considerar como um 7 x 3 agora?

Confira os melhores momentos do Treino Classificatório aqui:

lll A Corrida

A Fórmula E também prestou homenagens a Niki Lauda, o tricampeão de Fórmula 1 e lenda do automobilismo faleceu na segunda-feira (20) em Viena, Áustria. Antes da prova começar, todos fizeram um minuto de silêncio em memória do piloto.

Encerrada a homenagem, os pilotos ocuparam seus lugares no grid para o início da corrida. A largada foi tranquila na frente, os líderes mantêm suas posições, Daniel Abt, chegou a perder a posição para Antonio F. da Costa, mas rapidamente se recuperou e Felipe Massa levou um pequeno toque, mas não perdeu seu posto.

Andre Lotterer, da Techeetah, escalou o pelotão e rapidamente chegou ao 16º lugar.

(T-42min) Lucas di Grassi ultrapassou Stoffel Vandoorne e ganhou o 2º lugar.

(T-40min) Frijns em último foi o primeiro a ativar o Modo Ataque. A perda de tempo ao passar pela zona de ativação é de cerca de 1 segundo, dessa vez ela estava em um lugar mais afastado, no final da curva 6.

A média de bateria já de 87%, o desgaste dos carros parece ser bem rápido e isso pode afetar o desempenho nos instantes finais da prova. Ao contrário de di Grassi, Buemi não usa 100% da energia permitida, o piloto na Nissan ficou sem energia em duas outras etapas esse ano (Santiago e Hong Kong), por isso deve ter sido alertado pela equipe para poupar o equipamento.

(T-38min) Gary Paffett perdeu posições para Lynn, Abt e Sims e caiu para 7º. Lucas di Grassi assumiu a liderança após ultrapassar Buemi na curva 1 em bela manobra. Massa passou Evans, conquistando o 16º lugar.

Max Gunther ativou o Modo Ataque.

(T-35min) Lynn recebe uma advertência da direção de prova pelas manobras que executava na pista. Momentos depois, o britânico perdeu posições para Vandoorne e Abt.

Tom Dillman ativou o Modo Ataque e Felipe Massa perdeu 16ª posição para Gunther após dar um leve toque no muro durante a disputa pela posição.

(T-31min) Jerome d’Ambrosio, Lotterer, Massa, Lopez e Dillman com o Modo Ataque ativos.

Atual líder do campeonato, Jean-Eric Vergne passou Gary Pafffet e chegou à 7º colocação. Na liderança, di Grassi abria boa vantagem para Buemi.

(T-27min) Os 10 primeiros colocados eram Lucas di Grassi, Sebastien Buemi, Stoffel Vandoorne, Daniel Abt, Alex Lynn, Antonio F. da Costa, Vergne, Gary Paffett, Pascal Wehrlein e Oliver Rowland.

Vergne foi o primeiro entre esses 10 a ativar o Modo Ataque, o francês chegou a perder a posição para Paffett, mas recuperou logo em seguida.

Rowland passou Wehrlein, não sem antes espremer o alemão no muro, por pouco não causou um acidente. Pascal ainda perdeu a posição para Sims e caiu para 11º.

(T-24min) Abt ativou o Modo Ataque foi ultrapassado por Lynn, mas logo voltou para onde estava.

Os vencedores do Fanboost foram Felipe Massa, Antonio F. da Costa, Sebastien Bue, Daniel Abt e Stoffel Vandoorne.

Antonio F. da Costa chegou ao 2º lugar após a saída de Buemi para ativar o Modo Ataque, Vandoorne acompanhou o suíço.

(T-21min) Lucas di Grassi ativou o Modo Ataque e conseguiu se manter na liderança devido à vantagem construída em relação ao segundo colocado.

Em disputa pela 11ª posição Paffett deu um leve toque em Bird. A briga se intensificou e Paffett logo caiu para 13º. Wehrlein foi empurrado mais uma vez, mas conseguiu se manter na pista.

(T-19min) Antonio F. da Costa fez a melhor volta da prova.

Os 10 primeiros eram di Grassi, da Costa, Buemi, Vandoorne, Abt, Vergne, Lynn, Sims, Rowland e Bird. Massa ocupava a 20ª posição.

(T-17min) Sims e Rowland com o Modo Ataque ativado.

Buemi passou da Costa, recuperando o 2º lugar. Lucas continuava a abrir grande vantagem para o suíço. Vergne passou Abt e assume a 5ª posição.

(T-15min) Bandeira amarela local causada por Alex Lynn, o substituto de Nelsinho Piquet na Jaguar rodou na pista. Para não perder a liderança do campeonato, Vergne precisava de todos os pontos possíveis, por isso tentava passar da Costa e também brigava com Vandoorne e Abt, mas a Full Course Yellow foi ativada, pois Lynn não conseguiu tirar seu carro da pista e JEV teve que esperar. A velocidade máxima permitida é de 50 km/h em todo o circuito e os pilotos não podem ultrapassar ninguém durante esse período.

Edoardo Mortara ativa o Modo Ataque, ele era o 12º colocado.

(T-13min) A exemplo do companheiro de Felipe Massa, quase todos os pilotos ativaram o Modo Ataque, com exceção de di Grassi, Abt, Gunther e Frijns. Os pilotos da Audi o fizeram na volta seguinte.

(T-9min) Bandeira verde!

Antonio F. da Costa já estava colado em Buemi. Lucas conseguiu abrir 1.8 de distância para os dois, Vergne em 4º era atacado por Vandoorne. Massa ocupava a 19ª posição.

(T-7min) Lucas di Grassi fez a volta mais rápida e aumentou para 3.7 a vantagem sobre Buemi. Vergne chegou na briga com Buemi e da Costa e logo ultrapassou o português, os dois chegaram a se tocar durante a manobra. Paffett ativou o Modo Ataque mais uma vez.

(T-5min) Andre Lotterer abandonou a prova com problemas na bateria, o alemão era o 15º colocado.

(T-4min) A diferença de Lucas para Buemi caiu para 2.8. Vergne estava a cerca de 1 seg para o suíço. Vandoorne passou a pressionar da Costa, trazendo Abt junto com ele.

A média de bateria era de 12%.

(Última volta) A maior preocupação era a duração da bateria, a perseguição de Vergne a Buemi continuava, mas as posições não se alteraram. Lucas di Grassi venceu, Felipe Massa chegou em 15º. Sebastien Buemi e Jean-Eric Vergne completaram o pódio e pela primeira vez tivemos um pódio apenas com campeões da categoria. Di Grassi ainda fez a melhor volta da prova 1:10.327 e somou mais um ponto, que pode ser decisivo, já que faltam apenas 3 etapas para a temporada acabar. O brasileiro agora tem 96 pontos e ocupa a vice-liderança do campeonato, Jean-Eric Vergne ainda é o líder com 102 pontos.

Após a corrida, os carros dos 3 primeiros foram levados para cima de uma plataforma para a cerimônia de entrega dos troféus, eles ficaram um pouco abaixo dos pilotos em mais um pódio espetacular da Fórmula E.

Menção honrosa para Cacá Bueno e Sérgio Jimenez que fizeram mais uma dobradinha brasileira na primeira temporada do Jaguar iPace e-Trophy, que também aconteceu em Berlim. A dupla fez o hino brasileiro tocar pela segunda vez na Alemanha.

O campeonato se afunilou e deve se concentrar agora nos cinco primeiros, a próxima etapa é dia 22/06 em Berna, na Suíça. Até lá!

Subscribe to
BPCast

Or subscribe with your favorite app by using the address below


Cinthia Maria

Cinthia Venâncio comenta zoeiramente a Fórmula 1 desde os sete anos de idade e nas horas vagas é profissional de marketing, fotógrafa, doceira, redatora e revisora. Como todo bom cearense, nunca diz não a um baião de dois com queijo coalho e carne de sol. Aprecia rock do bom, não tem vergonha de dizer que não é fã do Tarantino e sempre é a motorista da rodada. Geralmente esquece o que não deveria