Endurance Brasil: Alterações e mais desenvolvimento para o Protótipo Sigma

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×
Sigma P1 – (Bruno Terena) – Fonte: Divulgação

Piloto paulista Jindra Kraucher e gaúcho Felipe Bertuol não participam da etapa no Velopark para desenvolver o protótipo que estreou em Santa Cruz do Sul

A dupla de pilotos Jindra Kraucher e Felipe Bertuol que estrearam o protótipo Sigma da categoria P1 no Endurance Brasil na última etapa em Santa Cruz do Sul (RS) e fecharam a prova com a sexta posição e na 18ª colocação na geral não participará da sexta etapa da categoria.

Depois da prova gaúcha, o protótipo que concluiu mais de 100 voltas no circuito, onde antes apenas tinha sido testado e rodado no máximo por 20 voltas, passará por alterações e mais desenvolvimento visando o final do campeonato. “A corrida de Santa Cruz nos trouxe valiosas informações técnicas a serem introduzidas no Protótipo Sigma, possibilitando torna-lo muito mais competitivo. Além de aliviarmos 100kg de peso, também estaremos alterando radiadores, uma vez que na estreia tivemos que manter um ritmo bem mais lento em função de aquecimento do motor. Também na aerodinâmica haverão alterações visando melhorias no downforce dianteiro”, explicou o piloto Jindra Kraucher.

O protótipo vem sendo desenvolvido desde 2014, com conceito da LMP1 e teve a proposta inicial sem utilizar câmbio, mas foi repensado para estrear em Santa Cruz do Sul. O projeto é dos engenheiros Evandro Flesch e Pedro Fetter e foi fabricado em Araricá, no Rio Grande do Sul, conta com motor Audi 8 cilindros Turbo de 600 HP preparado por José Staudt.

A Endurance Brasil volta a acelerar nesse final de semana no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, também no Rio Grande do Sul. “Terminar a prova já foi um grande início do projeto, foi um primeiro passo, mas agora lamentavelmente não participaremos dessa etapa no Velopark, essas alterações demandam muito trabalho e tempo. Esperamos termos o protótipo 100% para a final e para as 12 horas de Tarumã”, concluiu o piloto.

A Equipe tem apoio da Fueltech – Empresa de alta tecnologia em sistema de injeções eletrônicas programáveis.

Sigma P1 – (Bruno Terena) – Fonte: Divulgação

Fonte: MS2Comunicacao.com.br

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.