TL1 França – Hamilton puxa a dobradinha da Mercedes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A primeira sessão de trinos livres na França, fora liderado pela Mercedes, com Lewis Hamilton na ponta, após registrar 1:32:231, seguido por Bottas que ocupava a segunda posição.

Em geral a atividade na pista, foi composta por muitas escapadas, já que muitos dos pilotos estão andando pela primeira vez no circuito. O TL1 acabava com bandeira vermelha, justamente por conta de uma rodada. Marcus Ericsson da Sauber batera na barreira de pneus e o seu carro havia pegado fogo, comprometendo provavelmente a sua segunda sessão.

Os pilotos permaneceram por muito tempo na pista, fizeram testes aerodinâmicos, além de explorarem a pista na busca pela melhor volta.

Os carros voltam a rodar em Paul Ricard às 11h pelo horário de Brasília. 

lll Saiba como foi o Primeiro Treino Livre na França

Os primeiros a deixar os boxes das equipes foram Marcus Ericsson da Sauber, Kevin Magnussen da Haas e Stoffel Vandoorne da McLaren para realizar a volta de instalação. Aos poucos outros pilotos tomavam a pista de Paul Ricard, que já fazia 28 anos que não era utilizada pela Fórmula 1.

Valtteri Bottas era o primeiro a ter uma volta aferida no circuito, o piloto da Mercedes utilizava os pneus ultramacios e tinha 1:36:849, mas seguia na pista reduzindo a sua marca a cada volta, registrando 1:35:797.  Hamilton era mais um piloto que entrava na pista, ficando na sua primeira volta cronometrada em terceiro, já que Vertappen pouco depois concluía o seu giro e tinha 1:36:655.

Com 10 minutos de sessão concluídos, havia apenas dois carros na pista, Hamilton e Verstappen, já que Bottas recolhia a sua Mercedes para os boxes.

Hartley que estava na sua volta cronometrada, perdia a traseira da sua Red Bull e rodando na curva 6 com a sua Toro Rosso. Verstappen passava a ser o líder da sessão com 1:35:261 utilizando os pneus macios.

Com quase 20 minutos de sessão realizada, Alonso era enviado para a pista, a sua McLaren utilizava as grades para aferição aerodinâmica e o flow vis espalhado por algumas áreas do seu carro também para saber o comportamento do ar nele.

Na pista Daniel Ricciardo passava a ser o primeiro, também utilizando os pneus macios e tinha 1:34:956. Gasly ocupava o quinto lugar, seguido por Hartley, Stroll, Magnussen e Sirotkin. Não havia um pneu ”definido”, cada um utilizava um tipo de goma no seu primeiro stint.

Raikkonen terminava de registrar a sua primeira volta e tinha 1:35:375, se tornando o terceiro colocado, enquanto Ricciardo melhorava a sua marca para 1:33:691. Vettel passava a ser o sexto colocado com 1:36:292, seguido por Vandoorne com 1:36:537.

Vandoorne fora mais um que rodava na pista, também na curva 6 assim como Hartley. Era uma pista nova para a maioria dos pilotos e eles estavam testando todas as possibilidades.

Com a conclusão da primeira meia hora de sessão as posições eram: Ricciardo, Raikkonen, Bottas, Vettel, Ocon, Verstappen, Sainz, Sirotkin, Sainz, Vandoorne e Hamilton.

Hamilton era mais um piloto que saia para a área de escape da pista, mas era por conta de Vandoone que estava lento e para evitar um acidente, o inglês jogava o carro para o fora da pista. Pouco tempo depois Raikkonen, Ericsson e Charles Leclerc também cometiam erros e eram mostrados rodando no circuito.

Ricciardo com 12 voltas do pneu macio, retornava a primeira posição com 1:32:979, pouco depois de Bottas ter registrado 1:33:139, com os ultramacios que tinham 10 giros. Ocon era o quarto colocado, seguido por Alonso, que utilizava os supermacios, assim como Gasly que vinha em sexto. Perez era o sétimo também com os ultramacios assim como o companheiro de equipe.

Restando 50 minutos para o término da sessão, os pilotos retornavam aos boxes. As posições eram: Ricciardo, Bottas, Raikkonen, Ocon, Alonso, Gasly, Pérez, Sainz e Vettel.

Restando pouco mais de 40 minutos, os carros começavam a retornar para a pista, Magnussen deixava os boxes, seguido por Vandoorne, os dois ocupavam a parte final da tabela de tempos. No novo stint o piloto da Haas e o da McLaren estavam com os ultramacios instalados.

Magnussen deixava a décima nona posição para ocupar o oitavo lugar, enquanto a pista voltava a ficar movimentada. Bottas melhorava a sua marca para 1:32:606. A dupla da Force India utilizava os pneus supermacios novos, assim como Hartley da Toro Rosso, mas a opção mais utilizada dessa vez era os compostos de faixa roxa.

Hamilton era o quarto com 1:33:497, seguido por Ocon que tinha 1:34:484. Sainz de nono se tornava o oitavo com 1:34:865.

Enquanto Ocon rodava na curva 6, Bottas saltava para a ponta com 1:32:566 e a diferença do finlandês para o australiano da Red Bull, era de apenas 0s010. Raikkonen em terceiro tinha 1:33:003.

Hamilton que concluía a sexta volta do composto novo tinha 1:32:279, assumindo a ponta da sessão que era do seu companheiro de equipe. Grosjean era o quinto colocado com 1:33:651, seguido por Verstappen e Sainz.

Os pilotos já haviam entrado na meia hora final da sessão, Vettel permanecia nos boxes com apenas 9 voltas realizadas na pista e tinha problemas com a direção do seu carro.

Com 20 minutos para o término da sessão, o alemão da Ferrari era liberado dos boxes e conseguia subir para a sexta posição, registrando 1:33:404. Hamilton ainda na liderança tinha 1:32:231.

Apenas Hamilton, Ricciardo, Vettel, Gasly, Leclerc e Alonso estavam na pista.

Os minutos finais da sessão, pouco mais de 10 minutos para o término do FP1, os pilotos utilizaram para andar em ritmo de corrida.

Marcus Ericsson causava uma bandeira vermelha nos 3 minutos finais da sessão, após bater com a sua Sauber na barreira de pneus para a contenção, depois de ter rodado na pista. O seu carro havia até pegado fogo. O sueco ocupava o décimo quarto lugar.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.