Sebastian Vettel faz a pole nos milésimos finais e Hamilton desiste da briga

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Foi uma sessão de classificação completamente eletrizante, acredito eu que esta é a melhor palavra para definir este momento. Desde a terceira sessão de treinos livres Lewis Hamilton vinha explorando a pista com a sua Mercedes e cometendo diversos erros, chegando até mesmo a rodar na sessão.

Para a classificação era esperado que o inglês estivesse mais compenetrado, tendo em vista que ele havia liderado os dois primeiros treinos livres que deram início ao final de semana de competição, no entanto Hamilton voltou a cometer erros, o que acabou custando a briga pela pole e talvez neste momento inicial uma briga mais direta pelo campeonato.

O circuito de Xangai é conhecido por ser um sabão e desta forma é fácil perder a traseira do carro e na última volta quando os pilotos tinham apenas mais uma chance para lutar pela pole, Hamilton acabou errando na curva 14 e decidiu recolher o carro.

Raikkonen, por outro lado, quase a faturou. Dono de um primeiro e um segundo setor muito bons que lhe renderam a marca de 1:31:182 com os pneus ultramacios, o finlandês foi surpreendido por Sebastian Vettel que conseguiu tirar um pouco mais no terceiro setor e superou o seu companheiro de equipe quando registrou 1:31:095. Bottas foi outro que acabou tendo um melhor dia na briga interna, ficando com o terceiro lugar (1:31:625).

A Red Bull teve muito trabalhado entre o FP3 e a classificação no carro de Daniel Ricciardo, mas a equipe austríaca foi capaz de mandar o australiano nos minutos finais do Q1, sabendo que Ricciardo tinha capacidade de se garantir apenas com uma volta e desta forma o piloto foi avançando até conseguir ocupar o sexto lugar no Q3.

Desta vez os dois carros da Haas não conseguiram avançar até o final dada a melhora da Force India que conseguiu passar com Sergio Pérez para o final da sessão.

Os carros da McLaren ficaram presos no Q2 e nem o esforço de Vandoorne de utilizar o próprio carro para auxiliar Fernando Alonso deu certo desta vez, o que dá a sensação que dez lugares no grid são poucos para definir quem são os melhores este ano.

A corrida acontece na madrugada de sábado para domingo as 3h pelo horário de Brasília.

Saiba como foi a Classificação:

Q1

O carro de Daniel Ricciardo seguia parado nos boxes e o australiano não tinha perspectiva se conseguiria fazer parte da sessão de classificação, mas aguardava ao lado do carro por qualquer sinal que a equipe pudesse passar.

Usando pneus macios, Sirotkin era o primeiro a se encaminhar para a pista, assim como Lance Stroll que é o seu companheiro de equipe, já os demais pilotos investiam já na utilização dos pneus ultramacios.

Charles LecLerc abria o registro de tempos com 1:35:072 e era seguido pelo companheiro de equipe com 1:35:620. Pouco depois Gasly acabava superando a dupla da Sauber com 1:35:016, com Hartley em segundo (1:35:072).

Raikkonen que vinha em volta rápida passava a assumir a liderança da sessão após registrar 1:32:474 e Bottas conseguia encaixar a Mercedes em segundo com 1:32:921. Hamilton ocupava a terceira posição com 1:33:283. Logo em seguida vinha a dupla da Haas com Kevin Magnussen com 1:34:089 e Grosjean em sexto com 1:34:405.

Sebastian Vettel conseguia superar o companheiro de equipe quando marcou 1:32:171. Restando pouco menos de 10 minutos para o término do Q1, alguns pilotos ainda não tinham tempo registrado, mas todos estavam na pista. A Red Bull se preparava para encaminhar Daniel Ricciardo para uma volta rápida.

Os carros da Force India apareciam em quinto com Pérez ao registrar 1:33:464 e Ocon era o sétimo, já dando sinais de melhora na competição. Verstappen que havia sido liberado pela Red Bull se encaixava em quarto com 1:32:932, empurrando os pilotos da equipe indiana uma posição para baixo.

Hulkenberg se encaixava entre os carros da Force India com 1:33:545. Charles Leclerc quase batia o carro na reta dos boxes, perdendo o controle da sua Sauber e sendo mais uma vítima do circuito de sabão chinês.

Restando pouco menos de 3 minutos para o término da sessão Ricciardo conseguia ser liberado pela Red Bull e ele tinha a chance de apenas uma volta.

Alguns pilotos que haviam retornado para os boxes para uma troca de pneus, retornavam para a pista com ultramacios novos, para mais uma tentativa de voltas rápidas. Grosjean melhorava para a quinta posição com 1:33:238 e Msgnussen era o sétimo com 1:33:359.

Daniel Ricciardo colocava a Red Bull em décimo terceiro com 1:33:877, mas cometeu um erro na sua volta e ainda perdeu uma posição com a melhora de Carlos Sainz que tinha 1:33:315. Fernando Alonso era o nono colocado com 1:33:428.

Eliminados

16) Sergey Sirotkin 1:34:062

17) Pierre Gasly 1:34:101

18) Lance Stroll 1:34:285

19) Charles LecLerc 1:34:454

20) Marcus Ericsson 1:34:914

Q2

Assim que a regressiva do Q2 foi iniciada, Bottas foi o primeiro piloto da Mercedes a deixar os boxes e era seguido por Hamilton. Os carros da Ferrari logo em seguida eram enviados para a pista utilizando os pneus macios, bem como os seus rivais diretos, a ideia é realizar nesta sessão a volta mais rápida com o composto que será utilizado na largada e as equipes da ponta queriam permanecer mais tempo na pista na largada de amanhã.

Bottas registrava 1:32:931 e pouco depois Hamilton tinha 1:33:335. Raikkonen tomava a ponta com 1:32:286 e Vettel ficava com a segunda posição ao registrar 1:32:385.

Os carros da Red Bull tinham outra estratégia, Ricciardo com os ultramacios pulava para a terceira posição com 1:32:688 e Verstappen era o quarto com 1:32:809.

Magnussen era o sexto colocado com 1:32:986 e Grosjean antes de finalizar a sua volta era chamado para os boxes, o francês teve problemas nos freios na terceira sessão, mas desta vez o piloto havia extravasado os limites da pista e apenas sujado os pneus na grama. Fernando Alonso e Grosjean eram os únicos sem tempo registrado e restavam pouco mais de 5 minutos para o término da sessão.

Os pilotos mais uma vez haviam se recolhido para os boxes para realizar mais uma troca de pneus e partir para um novo stint na pista, ainda na busca por tentar passar para o Q3 e eles tinham a chance de apenas uma volta para conseguir o tempo que garantiria o avanço para a terceira fase da sessão.

A dupla da Ferrari era encaminhada novamente com os compostos ultramacios, no entanto Raikkonen acabava recolhendo o carro nos últimos instantes assim como Sebastian Vettel.

Hamilton conseguia pular para a primeira posição ao registrar 1:31:914 e Bottas assumia o segundo lugar com 1:32:063.

Hulkenberg era o quinto colocado com 1:32:494, com Grosjean em sexto com 1:32:524.

Pérez conseguia melhorar para a nona posição com 1:32:931 e Sainz era o décimo colocado com 1:32:970.

Vandoorne tentava auxiliar Fernando Alonso para que o espanhol conseguisse passar para o Q3, mas nem todo o esforço feito fora suficiente e a dupla ocupava a décima terceira e a décima quarta posição.

Eliminados

11) Kevin Magnussen 1:32:986

12) Esteban Ocon 1:33:057

13) Fernando Alonso 1:33:232

14) Estoffel Vandoorne 1:33:505

15) Brendon Hartley 1:33:795

Hulkenberg foi o primeiro a deixar os boxes e utilizava os pneus ultramacios. Grosjean vinha logo em seguida com os compostos macios. Os carros da Ferrari e Mercedes também foram rapidamente liberados para a definição dos 10 primeiros para o grid de largada e utilizavam os pneus ultramacios.

O piloto alemão da Renault abria a tabela de tempos e tinha 1:32:602, mas era superado por Kimi Raikkonen que registrava 1:31:200. Vettel passava na segunda posição com 1:31:361 e Bottas era o terceiro colocado com 1:31:625, seguido por Hamilton com 1:31:675.

Max Verstappen tinha o quinto lugar com 1:31:839 e Daniel Ricciardo tinha 1:31:948, Sainz era o nono colocado e Pérez era o único que não tinha tempo registrado e ocupava o décimo lugar. Os pilotos retornavam para os boxes para mais uma troca de pneus e a tentativa da última volta rápida.

Hulkenberg novamente liderava a saída dos boxes e os pilotos mais uma vez tomavam a pista. Desta vez Grosjean saía com os pneus ultramacios e Pérez era visto na pista para disputar um lugar melhor entre os dez.

Hamilton recolhia o carro e abandonava a briga pela pole, já que havia cometido um erro na curva 14. Raikkonen conseguia melhorar a sua volta para 1:31:182 e Vettel conseguia tirar um pouco mais do último setor e tomava a pole do finlandês ao registrar 1:31:095.

Bottas largaria na frente do seu companheiro de equipe. Verstappen ocupava a quinta posição com 1:31:796, superando Daniel Ricciardo com 1:31:948.

Fonte: @F1

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

%d blogueiros gostam disto: