ColunistasFórmula 1Post

Max Verstappen fecha sexta-feira no topo, liderando o TL2 no Canadá

Max Verstappen encerrou a sexta-feira (17) de treinos livres na liderança, o piloto holandês mais uma vez registrou o melhor tempo depois de anotar 1m14s127, mas Charles Leclerc esteve próximo do rival, separado por apenas 0s081.

A previsão de chuva não foi concluída, tivemos mais uma atividade seca, mas as nuvens mais carregadas começaram a se aproximar do circuito nos últimos 20 minutos de atividade. Todo o emborrachamento adquirido nestas duas sessões será lavado após a tempestade e os times precisaram trabalhar com mais afinco mais uma vez no sábado. A chuva também é esperada para o segundo dia de atividades no Canadá.

Desta vez Carlos Sainz fechou a sessão no terceiro lugar, acompanhado por Sebastian Vettel e Fernando Alonso, os pilotos voltaram a andar bem neste traçado, apresentando um ritmo positivo durante as voltas rápidas. Por outro lado, Sergio Pérez concluiu a atividade no décimo primeiro lugar, depois de concluir poucas voltas nessa atividade.

Pierre Gasly foi o sexto colocado, com uma grande disparidade para Yuki Tsunoda nesta sessão. George Russel ficou com o sétimo lugar, enquanto Lewis Hamilton terminou a atividade em décimo sétimo, dando sequência aos testes realizados pela Mercedes nesta pista.

Lando Norris foi o oitavo colocado, seguido por Daniel Ricciardo, com Esteban Ocon completando o top-10.

Saiba como foi o TL2 para o GP do Canadá

A FIA usará esse fim de semana para coletar dados relacionados ao porpoising e ao boucing, os carros estão trabalhando com sensores para fazer essa medição, mas a aplicação de punições não ocorrerá no Canadá. Os times vão conversar com a FIA para saber a melhor forma para determinar essa métrica que determinará o quanto os carros podem saltar, afinal, a causa desse problema tem uma variação diferente em cada um dos carros, por seguir diferentes filosofias em suas construções.

As nuvens carregadas não estavam mais presentes ao redor do circuito quando os carros foram liberados mais uma vez para a pista. A temperatura no traçado estava na casa dos 42°C, com 27°C no ambiente. O vento também marcou a realização dessa atividade.

Com poucos segundos da liberação do pit-lane, a Aston Martin soltou Sebastian Vettel em cima de Kevin Magnussen e esse movimento seria investigada pelos comissários após o encerramento da sessão.

Rapidamente os tempos começaram a aparecer. Esteban Ocon foi liberado usando os pneus macios (C5) e rapidamente anotou 1m16s842, mas na sequência Max Verstappen assumiu a liderança da atividade depois de anotar 1m15s618, seguido por Sergio Pérez que tinha 1m15s618. Neste momento na pista apenas Ocon, Leclerc e Alonso usavam os pneus macios, enquanto a dupla da Haas estava avaliando os pneus duros.

Com menos de dez minutos de atividade o carro de Leclerc começou a apresentar um problema no turbo, o motor começou a falhar, mas instantes depois ele anotou 1m15s675, para ocupar a segunda posição na tabela de tempos. O piloto estava tentando esquentar os pneus traseiros nessa saída do pit-lane. Lembrando que a Ferrari realizou a troca do ICE, MGU-H, MGU-K e CE da unidade de potência usada pelo monegasco, mas não fez a substituição do Turbo – mas de qualquer forma Leclerc lidera com uma penalidade por ter excedido o uso da Central Eletrônica.

Na sexta volta com os pneus médios (C4) Verstappen melhorou a sua marca para 1m14s792, seguindo na liderança e também era o único piloto a andar na casa de 1m14s. Os pilotos estavam novamente cometendo erros, Pérez cortou a pista depois de extravasar os limites de pista. Em alguns trechos do circuito os pilotos passavam ainda mais próximo dos muros, na tentativa de melhorar as suas marcas. Hamilton e Bottas foram os últimos a deixar os boxes e aferir tempo.

Fernando Alonso voltou a chamar a atenção mais uma vez por ter registrado 1m15s125 e ocupar a segunda posição superando a dupla da Ferrari. Os times estavam tentando avaliar ainda o comportamento do carro testando novas configurações, na tentativa de reduzir os problemas com o porpoising e os balanços que estavam sentindo em seus equipamentos.

A Mercedes trocou o assoalho do Hamilton, instalando o antigo, depois que o britânico fez a avaliação da nova peça durante o TL1, mas eles precisavam fazer um comparativo com o desempenho do carro usando peças diferentes na mesma pista.

Com 20 minutos de atividade, Bottas era o único piloto sem tempo aferido, pois mais uma vez o C42 apresentava problemas novamente com o anti-stall. Neste momento os dez primeiros eram: Vestappen, Leclerc, Sainz, Alonso, Vettel, Hamilton, Pérez, Ricciardo, Gasly e Tsunoda. Leclerc tinha registrado o seu tempo com os pneus macios, assim como Alonso e Tsunoda. Vettel retornou para a pista com os pneus macios, depois de ter começado a atividade com os pneus médios.

O Virtual Safety Car foi ativo para a remoção de uma lata que tinha parado na pista. A limpeza foi realizada rapidamente, mas a pista estava bem vazia, pois os times preparavam os carros para uma saída.

Pérez e Verstappen foram devolvidos para o circuito usando os pneus macios. Verstappen rapidamente anotou 1m14s127, enquanto o mexicano era o quinto colocado depois de anotar 1m15s167. Apenas Leclerc e Sainz estavam na casa de 1m14s, mas também foram devolvidos à pista para uma nova sequência de voltas rápidas com os pneus macios.

A atividade seguiu e com meia hora de sessão, os dez primeiros eram: Verstappen, Leclerc, Sainz, Russell, Alonso, Ocon, Pérez, Gasly, Vettel e Stroll. A direção de prova também precisaria investigar a liberação de Sainz em Norris no pit-lane, justamente por conta de um erro da equipe italiana. Leclerc seguiu na segunda posição, mas melhorou o seu tempo para 1m14s208, ficando separado por apenas 0s081 do holandês.

Norris e Ricciardo estavam andando bem próximos, o britânico ocupava o sétimo lugar, com o australiano em oitavo. Norris perdeu a traseira do MCL36, enquanto a rigidez do carro mostrava eles passando pela zebra e tendo o carro arremessado para o outro lado.

Gasly que ocupava a décima primeira posição saltou para o sexto lugar com 1m14s879, enquanto Tsunoda já tinha passado a realizar as voltas em modo de simulação de corrida, trabalhando com o tanque mais cheio e verificando a durabilidade dos pneus médios e macios.

A chuva se aproximava do circuito, mas a sessão foi realizada em pista seca. A grande questão é que todo esse emborrachamento que foi realizado nessa sexta-feira seria lavado com a chuva, desta forma no sábado eles teriam mia suma vez contato com a pista ‘verde’.

Foi uma sessão mais confortável para Verstappen, o piloto não reclamou do RB18 depois que as alterações foram realizadas. Em volta rápida Red Bull e Ferrari continuavam próximas, mas o carro do time italiano estava mais uma vez saltando bastante.

Ocon encerrou a sessão verificando um jogo de pneus duros, depois de ter completado as suas voltas com os pneus macios. Magnussen também retomou a utilização dos compostos duros no final da atividade.

Vettel conseguiu mais uma vez realizar uma boa sessão e desta forma fechou a atividade no quarto lugar. Pérez não teve a mesma sorte de realizar uma boa atividade, o piloto comprometeu a sua volta rápida, desta forma ficou com o décimo primeiro lugar.  Bottas não conseguiu retornar para a pista, perdendo o TL2.

Com o cronômetro zerado, os pilotos seguiram para a reta principal, treinando mais uma vez a largada.


 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!