GP de Cingapura – Vitória perfeita de Hamilton, em corrida com erro estratégico da Ferrari

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Hamilton chegou a 69ª vitória da carreira hoje (16), em uma corrida tranquila para o inglês. A construção do seu primeiro lugar, veio ainda no sábado quando o piloto deu uma volta surpreendente para conseguir a pole-position. O carro foi consistente do começo ao fim e mesmo a equipe reagindo a troca de Sebastian Vettel, o seu rendimento seguiu consistente.

Verstappen ficou com a segunda posição, mesmo perdendo-a no começo da prova quando a Ferrari de Vettel foi mais agressiva. O holandês recuperou a posição, logo após a parada nos boxes. O alemão ficou por muito tempo preso atrás de Pérez, quando retornou para a pista depois da troca de pneus. Os segundos perdidos foram decisivos para a prova, já que Vettel teve que lutar para se aproximar de Verstappen, se vendo sem chances de correr atrás do seu rival na disputa pelo campeonato.

Sebastian Vettel ficou com o terceiro lugar no pódio. A Ferrari teve a sua parcial de responsabilidade quando antecipou a sua parada nos boxes e instalou os compostos ultramacios. No entanto não tem como excluir o alemão da culpa, já que o mesmo não um bom desenvolvimento para ultrapassar Pérez, mesmo com um carro superior ao da Racing Point Force India. Agora Vettel está a 40 pontos atrás do inglês.

Bottas ficou com a quarta posição, seguido por Raikkonen e Ricciardo. Os três disputaram suas posições, mas mesmo com a aproximação, não encontraram espaço suficiente no circuito travado para conseguirem uma melhor tentativa por ultrapassagem.

Fernando Alonso era o sétimo, seguido por Sainz, Leclerc e Hulkenberg, completavam o grid dos 10 primeiros colocados e em zona de pontuação.

Exagero

Sergio Pérez foi exagerado em suas investidas para ultrapassar Sirotkin. O mexicano já havia perdido a cabeça quando jogou o carro para cima do russo na volta 34. Pouco antes de realizar a manobra, Pérez havia acusado o piloto da Williams de mudar de trajetória.

Guiar da forma como Pérez fez hoje no Grande Prêmio de Cingapura e em tantos outros ao longo da carreira, não é nada correto. Naquele momento em que ocorreu a colisão, poderia ter sido muito mais grave que um pneu furado para o mexicano.

Além disso Pérez já não havia dado espaço para Ocon na primeira volta, deixando o companheiro de equipe fora da disputa no início da prova. Para uma equipe que perdeu todos os pontos por conta da mudança ele deveria estar pensando no time e não apenas em uma única ultrapassagem. O problema chega a ser grave já que na largada os dois carros da Racing Point Force India estavam pontuando. Mas a resposta de quem fica para a próxima temporada, todos já tem.

A Fórmula 1 retorna em quinze dias para o Grande Prêmio da Rússia disputado no dia 30 de setembro. 

lll Saiba como foi a Corrida

 

Hamilton se manteve na ponta, enquanto Vettel tentava realizar a ultrapassagem em Verstappen na primeira curva, mas o holandês não deixava espaço para o alemão. O piloto da Ferrari seguiu pressionando o piloto da Red Bull até conseguir saltar para a segunda posição.

 

Enquanto Vettel realizava a ultrapassagem, Esteban Ocon estampava o muro após Sérgio Pérez toca-lo. O Francês acreditava que havia sido proposital. O Safety Car já dava entrada na primeira volta para a remoção do carro da Racing Point Force India.

 

 

Ainda na primeira volta, Alonso que era o décimo primeiro, conseguia chegar a nono deixando,  Nico Hulkenberg para trás e ganhando mais uma posição por conta do abandono de Ocon. O alemão da Renault também fora ultrapassado pelo companheiro de equipe.

Sergey Sirotkin se viu obrigado a realizar uma parada, por conta de um arco que se soltou do carro de Ocon e ficou agarrado a sua asa dianteira. Desta forma o russo retornava com os compostos macios.

 

O Safety Car recolhia na quarta volta. Hamilton conseguia re-largar muito bem, abrindo, mas de um segundo de vantagem para o alemão. Verstappen não atacava Vettel por conta dos problemas na sua Red Bull, mas era ameaçado por Bottas.

 

Com dez voltas as posições eram: Hamilton, Vettel, Verstappen, Bottas, Raikkonen, Ricciardo, Pérez, Grosjean, Alonso e Sainz.

Vettel se mantinha a pouco mais de um segundo atrás de Hamilton, não conseguindo utilizar a asa móvel para se aproximar do inglês, assim como Verstappen que também não podia ataca-lo. As posições seguiam inalteradas.

Durante a décima terceira volta começava a cair uma garoa fina no circuito de Marina Bay, principalmente na área dos boxes. A chuva se aproximava, mas havia apenas 63% de umidade no ar.

 

Na décima quinta volta, Vettel seguia para os boxes para realizar uma troca de pneus, passando a utilizar os pneus ultramacios no lugar dos hipermacios. O alemão retornava na sétima posição.

 

Hamilton paraou na volta seguinte, mas no seu carro os compostos macios foram escolhidos para serem instalados. O inglês retornava em quinto, com Pérez ficando entre os dois.

 

Bottas era chamado na décima sétima volta, passando a utilizar pneus de faixa amarela. Enquanto o finlandês retornava para a pista, Vettel conseguia realizar a ultrapassagem limpa em Pérez para se tornar o quinto colocado.

 

Aos poucos outros pilotos realizavam as suas trocas e na décima oitava volta era a vez de Verstappen realizar a sua troca. Na saída do holandês dos boxes, quase que ele e Vettel se tocaram, disputando centímetros da pista. O piloto da Red Bull conseguia voltar a frente se tornando o quarto colocado. O tempo que Vettel perdeu atrás de Pérez foi decisivo para a ultrapassagem de Verstappen.

 

Na volta 20, entre os dez primeiros colocados, apenas Raikkonen que era o líder, com Daniel Ricciardo em segundo, Fernando Alonso (7º), acompanhado de Sainz, Pérez e Leclerc não haviam realizado nenhuma parada.

Kimi Raikkonen deixava a liderança da prova para seguir aos boxes na volta 23, retornando com os compostos macios. Ricciardo passava a ser o líder da sessão, seguido por Hamilton, Verstappen, Vettel e Bottas.

A umidade estava em 66% na volta 27 e novamente a chuva voltava a cair. Leclerc disputava a nona posição com Gasly. O piloto da Toro Rosso estava quase sem pneus e espalhava com o carro na pista. Os dois quase se tocaram, mas o monegasco conseguia realizar a ultrapassagem.

Ricciardo na volta seguinte realizava a sua troca, com a melhor parada até o momento nos boxes. O australiano retornava na sexta posição. Alonso ainda em sétimo, seguido por Sainz, Leclerc e Ericsson não haviam realizado as suas paradas, ambos estavam com os ultramacios instalados em seus carros.

 

Pérez lutava para chegar na décima terceira posição, pressionando o russo o máximo possível.

 

 

Pérez com mais de meio carro à frente de Sirotkin, acabava jogando o seu carro para cima do russo, provocando um toque na volta 34. Sirotkin havia mantido o seu traçado enquanto era atingido.  O mexicano teve o pneu furado e realizava mais uma parada na volta 35.

 

Hamilton na liderança passava a encontrar os retardatários na pista e o seu ritmo ficava um pouco comprometido, já que Sirotkin e Grosjean estavam disputando posições.

 

Verstappen encostava em Hamilton, mas era atrapalhado por Grosjean. Vettel também havia chegado na disputa. Retardatários e os ponteiros viravam um bolo só na pista.

Raikkonen havia se aproximado em Bottas, valendo a quarta posição na corrida durante a volta 39.

Pérez era punido na volta seguinte após a batida com Sirotkin. Enquanto o mexicano recebia a punição, ele retornava a disputar com o russo na pista e desta vez conseguindo realizar a ultrapassagem limpa. Pouco depois Pérez seguia para cumprir a sua penalidade, retornando em décimo nono.

 

Durante a volta 44, Grosjean era punido com 5 segundos por ignorar as bandeiras azuis. Na mesma volta Sainz conseguia realizar a ultrapassagem em Ericsson para se tornar o oitavo colocado.

Na volta seguinte Alonso realizava a volta mais rápida da prova ao registrar 1:43:518 de compostos macios de seis voltas.

Na volta 47, Pérez mais uma vez chegava em Sirotkin, ultrapassando novamente o piloto da Williams para se tornar o décimo oitavo. Pouco antes do fim da volta o piloto era punido por ter jogado Hartley para fora da pista na volta 43. Como o russo realizou mais uma parada a punição logo foi cumprida pela equipe de Grove.

Raikkonen se aproximava mais uma vez do finlandês da Mercedes, mas Ricciardo também havia chegado a disputa deles.

 

Bottas pedia a bandeira azul para Nico Hulkenberg, mas eles não estavam próximos o suficiente para o alemão da Renault receber o aviso.

 

Restando duas voltas para o final, Pérez encontrava Hartley na pista e tentava chegar na décima sexta posição.

Hamilton cruzava a linha de chegada na primeira posição, seguido por Verstappen e Vettel.

 

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!