GP da Áustria – Verstappen vence corrida movimentada com Vettel chegando ao pódio e retomando a liderança do campeontado

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

O Grande Prêmio da Áustria foi assistido praticamente sem fôlego nenhum. Da vitória que parecia certa, para todos os acontecimentos improváveis que poderíamos ter em uma única prova. Neste domingo (1) vimos as duas Mercedes fora da corrida, em um GP onde eles haviam liderado as sessões de treinos livres de sexta-feira e obtido a pole.

Hamilton assumia a liderança da prova depois de Bottas não ter tracionado bem na largada e Raikkonen saltado para a segunda posição. Após a conclusão do primeiro giro, Raikkonen havia espalhado com o carro e o compatriota da Mercedes retornava para a segunda posição, acompanhado por Verstappen em terceiro.

A prova seguiu, Hulkenberg teve problemas de motor com a sua Renault e o virtual Safety Car foi ativado para a retirada do carro. Foi nesse momento que a prova tomou outra vertente, quase todos os pilotos aproveitaram para realizar as suas paradas, enquanto Hamilton seguia na liderança.

O inglês tinha que fazer a parada obrigatória e quando se dirigiu para os boxes, já tinha noção do erro que a equipe havia cometido, pois além de perder a liderança da prova, passou a ser o quarto colocado, uma posição apenas à frente de Sebastian Vettel.

Bottas já havia abandonado a prova com problemas no câmbio, ele não conseguiu dar o mesmo show que havia concedido na Áustria no ano passado. Quando Hamilton foi para quarto, passou a atacar e tentar se aproximar de Raikkonen, enquanto Ricciardo passava a apresentar problemas de bolhas nos pneus e formar uma fila atrás da sua Red Bull. Lewis forçou os pneus que também apresentaram bolhas, enquanto Kimi e Vettel permanecia com os seus compostos lisos e livres para atacar. Raikkonen ultrapassou o australiano e Vettel fez o mesmo com o inglês.

Ricciado precisou abrir mão do pódio para colocar novos pneus, já que os seus não aguentariam até o final da prova, assim como Lewis, que foi chamado pela Mercedes. O inglês retornava atrás do australiano na quinta posição, mas na volta 54 via Ricciardo abandonando com problemas de motor. Foi nesse momento da prova que Hartley também sofreu com um infortúnio no câmbio e encostou a sua Toro Rosso.

Tantas surpresas em uma única prova que ainda teria mais coisas para acontecer. Os problemas nos pneus haviam sido resolvidos pela Mercedes ao instalar os supermacios, mas o que fazer com a falta de potência que Hamilton já havia reclamado enquanto estava com os macios instalados? Nada. O inglês apenas abandonou a prova quando o seu motor apresentou problemas, encostando na pista na volta 64.

Com o seu abandono, e Vettel chegando ao pódio no terceiro lugar, o alemão voltou a assumir a liderança do campeonato por 146 pontos, contra 145 de Hamilton.  Entre os construtores, a Ferrari também passava a Mercedes com 247 pontos contra 237 das flechas de prata.

Verstappen seguiu na liderança da prova, aquela que foi assumida após a parada de Hamilton. Vitória em casa para a Red Bull e sua primeira na temporada.

Alguns comentários

Com o melhor resultado na temporada, a Haas fechou a prova na quarta posição com Grosjean e em quinto com Magnussen. Além disso a dupla da Force India ocupava a sexta e a sétima posições com Ocon e Pérez – os pilotos dos carros cor-de-rosa haviam invertido os seus lugares para que o mexicano pudesse conseguir um melhor resultado para a equipe, já que estava com os pneus mais conservados, a ordem foi desfeita no final da prova e o francês retornou para a sua posição na última volta.

Alonso, que largou do pit-lane depois de ser punido por conta de algumas modificações no seu carro, chegou na oitava posição. Seguido pela dupla da Sauber com Charles Leclerc e Marcus Ericsson que ainda protagonizaram uma disputa na pista pela briga da nona posição

Nesta nona prova do campeonato, apenas Sirotkin da Williams segue sem pontuar, já que Grosjean e Ericsson conquistaram os seus primeiros pontos hoje.

Semana que vem temos o Grande Prêmio da Inglaterra.

lll Saiba como foi a Corrida

Após a classificação que ocorreu no sábado (30), algumas punições foram aplicadas, o que modificou o grid final da corrida. Sebastian Vettel perdeu três posições por ter atrapalhado Carlos Sainz no Q2 e Fernando Alonso largou dos boxes, pois a McLaren precisou efetuar algumas trocas no seu carro, como a asa dianteira que quebrou enquanto o espanhol fazia a última curva no Q2 e também a atualização do MGU-K – era melhor cumprir a punição nesta pista do que em Silverstone.

Brendon Hartley também foi punido, já que a Toro Rosso optou por trocar alguns componentes do motor Honda, como o quinto ICE (motor de combustão interna), o quinto turbo e MGU-H, assim como o quarto MGU-K. Largando o último lugar da fila.

lll Clima

Fazia sol  e tinha poucas nuvem em torno do autódromo, com pouca chance de chuva no horário da prova.

lll Prova

Raikkonen pulava para a segunda posição, após largar muito bem e Hamilton assumia a liderança. Bottas perdia quatro posições na largada. Sebastian Vettel de sexto, caía para a oitava posição.

Poucas curvas depois, Bottas conseguia retomar a segunda posição e Raikkonen caia para quarto depois de ter tracionado mal e saído da pista. Vandoorne seguia para os boxes, para realizar um pit-stop, depois de se tocar com Gasly, se tornando o último colocado.

Na segunda volta uma bandeira amarela era ativada por conta de Charles Leclerc que saía da pista na curva quatro e acabava caindo para a décima nona posição.

Na terceira volta da prova, Vettel retomava para o sexto lugar.  

Com dez voltas concluídas, as posições eram: Hamilton, Bottas, Verstappen, Raikkonen, Ricciardo, Vettel, Grosjean, Magnussen, Hulkenberg e Ocon.

Raikkonen disputava espaço na pista com Verstappen, na tentativa de obter o terceiro lugar. Hamilton na liderança tinha pouco mais de dois segundos para Bottas.

Hulkenberg na volta 13 se via abandonando a prova, depois de seu motor Renault perder potência e começar a sair uma grande quantidade de fumaça e algumas labaredas de fogo.

No giro seguinte Bottas encostava a sua Mercedes, o seu carro estava travado na segunda marcha, com problemas de câmbio.

Com o virtual Safety Car ativado, na volta 16, Verstappen, Raikkonen, Ricciardo, Vettel, Grosjean, Ocon, Sainz, Satroll, Gasly, Leclerc e Alonso aproveitavam para trocar os pneus. Hamilton seguia na liderança da prova, correndo o risco de perder várias posições por conta das trocas que aconteceram neste momento.

Após as paradas, as posições eram: Hamilton, Verstappen, Raikkonen, Ricciardo, Vettel, Magnussen, Pérez, Grosjean, Ocon e Sainz. Dos que estavam entre os dez, apenas Magnussen e Pérez ainda não haviam parado.

Na volta 20, após Raikkonen cometer um erro, o australiano da Red Bull se aproveitava da situação e conseguia ultrapassar o finlandês, se tornando o terceiro colocado da prova.

A diferença entre Hamilton e Verstappen beirava os 13 segundos e o inglês partia para os boxes na volta 26, retornando em quarto. Sirotkin também havia realizado o seu pit e de décimo terceiro passava a ser o décimo sétimo. Verstappen se tornava o líder da prova, com Ricciardo em segundo e Raikkonen retornava à terceira posição.

Na disputa pela décima quarta posição, Charles Leclerc passava a disputar espaço na pista com Stroll e conseguia concluir a ultrapassagem na volta 29. No mesmo giro, Magnussen que ainda não havia trocado os pneus retornava em nono. Pérez que fora aos boxes uma volta antes era o décimo primeiro.

Verstappen, como líder da prova, tinha cinco segundos de vantagem para Ricciardo e Hamilton reclamava de falta de potência. Eles concluíam a volta 32, com Ricciardo, Raikkonen e Hamilton extremamente próximos. Vettel aproveitava para se aproximar deles e a diferença do alemão começava a cair.

Ricciardo, na volta 35, passava a ter problemas de bolhas nos pneus traseiros e soltava vários fiapos de borracha na pista.  Sainz também tinha problemas no pneu e caía para a décima sétima posição, retornando com os pneus supermacios. Além disso o espanhol teve problemas na sua parada.

Vettel havia chegado em Hamilton na volta 37, Raikkonen aproveitava para atacar Ricciardo e conseguir a segunda posição. O finlandês saía da curva três colado no australiano e concluía a ultrapassagem na curva quatro na volta 38.

Na volta 39, Ricciardo se dirigia para os boxes retornando com os pneus supermacios, enquanto Sebastian Vettel concluía a ultrapassagem em Hamilton, pulando para a terceira posição.

https://twitter.com/F1/status/1013421989900509184

A esperança do australiano eram os problemas que apresentavam os pneus de Hamilton, mesmo com os compostos mais novos, o inglês tinha problemas de bolhas nos seus pneus traseiros.

Ericsson havia se dirigido para os boxes na volta 47.

A situação nos pneus do Hamilton era pior e se agravava volta a volta. Verstappen também apresentava problemas de bolhas, mas conseguia conservar os pneus mais que os outros que passavam pela mesma situação.

Hamilton precisava parar mais uma vez e se dirigia aos boxes na volta 53, retornando em quinto, atrás de Daniel Ricciardo. A Mercedes instalava os supermacios.

O australiano tinha problemas no motor e abandonava na volta 54, após perder potência e, assim como Hulkenberg, saía fumaça do seu carro. Hamilton assumia a quarta posição.

Hartley enfrentava problemas com a sua Toro Rosso. O problema era no câmbio e deixava a prova na volta 57.

Restando dez voltas para o final da prova, a Force India pedia para Pérez e Ocon inverterem as posições, já que os pneus do mexicano estavam completamente limpos e o do francês cheios de bolhas.

Verstappen tinha quatro segundos de diferença para o finlandês da Ferrari e Vettel havia diminuído para menos de dois segundos. Hamilton abandonava a prova no giro 64, também com problemas de motor, completamente sem potência.

Nas voltas finais da prova, os carros da Sauber passavam a brigar pelo nono lugar. Fernando Alonso conseguia chegar à oitava posição depois de ter largado dos boxes. 

Com três voltas para o final, Raikkonen diminuía a diferença para Verstappen para cerca de dois segundos. Os pneus do holandês estavam ruins.

Verstappen vencia a prova, seguido por Raikkonen e Vettel, com os carros da Haas ocupando o quarto e o quinto lugar. Logo depois vinha a dupla da Force India com Pérez e Ocon, Alonso e a dupla da Sauber, representada por Ericsson e Charles Leclerc.

Raikkonen fechava com a volta mais rápida da prova 1:06:957.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.