DS Techeetah e a dupla mais forte do grid [?]

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Foi ainda em julho desse ano, pouco depois do fim da temporada 5, que começaram os boatos de que Antônio Félix da Costa deixaria a BMW e iria para Techeetah para ser companheiro do bicampeão Jean-Eric Vergne. Apesar de toda a especulação envolvendo o trio, todos conseguiram manter sigilo sobre o acordo e a mudança só foi oficializada mesmo no dia 17 de setembro (apenas a título de informação, aniversário desta que vos escreve).

Com a confirmação dos dois pilotos para a temporada 6, a Techeetah mostra que não está para brincadeiras e que quer conquistar o bicampeonato de construtores. Para JEV também conseguir seu tri, talvez as coisas não sejam assim tão fáceis, já que seu primeiro adversário direto estará dentro da mesma garagem.

lll Jean-Eric Vergne

Atual bicampeão da Fórmula E, o francês Jean-Eric Vergne recebeu bem o novo companheiro de equipe. Vergne disse que ele e da Costa são amigos de longa data, desde que participaram do programa de desenvolvimento de pilotos da RBR. Dentro desse programa, JEV teve mais sucesso que o novo teammate, já que chegou a pilotar pela Toro Rosso entre 2012 e 2014.

A recepção calorosa de JEV veio por meio das redes sociais, o piloto inclusive já escolheu a # da dupla. Se antes #JeAndre dominou a internet com amizade entre ele e Andre Loterrer, agora é #JeanDac que deve ganhar os fãs da dupla – mas há quem prefira #JeAntonio. Brincadeiras à parte, deve ser mesmo bem especial para os dois poderem realizar o projeto que começaram lá atrás. Nas palavras do próprio Vergne, Antonio será uma grande adição para o time.

lll Techeetah

O diretor da equipe, Mark Preston, considerou como fantástica” a ida de Antonio para o time, embora tenha se mostrado surpreso ao saber que o português estava disponível no mercado pouco antes do ePrix de Nova Iorque [rodada dupla e última etapa da temporada 5, nos dias 13 e 14 de julho de 2019].

Preston disse que a equipe possuía uma lista de possíveis nomes para substituir Andre Lotterer, que trocou a Techeetah pela Porsche – algo comum para a equipe, o próprio Andre foi escolhido assim – mas que dessa vez a conversa foi um pouco diferente. Mark afirmou ao site e-racing 365 que quando a Techeetah surgiu em 2016, eles tinham em mente que “queriam vencer corridas um dia”, mas que agora o tom da conversa muda.

E por motivos óbvios, com três campeonatos vencidos [um de construtores e dois de pilotos], a Techeetah é hoje uma das maiores forças da Fórmula E, extremamente atrativa para qualquer piloto.

Mark Preston também disse que um dos principais fatores para a escolha de da Costa foi a experiência do piloto e lembrou ainda que da Costa não é totalmente estranho, já que ainda o time possui engenheiros remanescentes da equipe Aguri [que deu origem à Techeetah], a primeira de Antonio na Fórmula E.

lll Antonio Felix da Costa


Foram seis anos na BMW, com direito a disputas no DTM e WEC, além da Fórmula E. A parceria chegou ao fim porque Antonio quis ter mais liberdade para disputar o Mundial de Endurance [agora na LPM pela Jota]. Embora já tenha avisado que dará prioridade à Fórmula E quando as datas das duas categorias forem conflitantes, da Costa se disse feliz com a nova fase da carreira.

O português revelou que teve poucos dias para tomar sua decisão, que aconteceu logo após a confirmação de que Lotterer iria para a Porsche. O piloto disse ainda que acredita que nos próximos anos a Techeetah será o time a ser batido na Fórmula E. Como ele mesmo afirmou “entrar para uma equipe bicampeã, é uma oportunidade para a qual você não pode dizer não”. Outro motivo de alegria para Antonio é que ele voltará a correr com seu número preferido, o 13.

lll Vergne Vs. da Costa

O clima ainda é amistoso entre os dois pilotos, e dadas as personalidades e o histórico de convivência entre eles, é bem possível que se mantenha assim. Também é bem provável que Antonio não seja o novo Andre, não só em relação à amizade bem próxima que o alemão manteve com Jean-Eric, mas também no comportamento dentro da pista. Da Costa também é galo de briga e tão aguerrido quanto Vergne, foi responsável pela maior parte dos pontos da BMW na temporada passada e mostrou diversas vezes sua capacidade técnica e seu talento com um bom carro nas mãos.

Mas Antonio chega na Techeetah para ser companheiro de um bicampeão que já está na equipe há três anos e, na teoria, teria predileção dentro do time. Jean-Eric não tem dois títulos à toa, por ser extremamente rápido e agressivo, Vergne foi capaz de se destacar em uma temporada altamente equilibrada e superar nomes como Sebastien Buemi e Lucas di Grassi. Suas três vitórias na temporada 5 podem parecer pouco à primeira vista, mas com nove vencedores diferentes em 13 etapas, a Fórmula E mostrou que é preciso ter um alto nível de pilotagem para se sobressair entre os demais, e Jean-Eric Vergne provou que é um gigante.

O embate interno da Techeetah tem tudo para ser uma das grandes atrações da nova temporada da Fórmula E. Para quem vai a sua torcida? Quem vai se dar melhor no campeonato #25 ou #13? A sexta temporada da Fórmula E começa no dia 22 de novembro na Arábia Saudita, mas antes disso, tem a pré-temporada de 15 a 18 de outubro na Espanha, fiquem ligados no Boletim do Paddock!

Com informações do site E-Racing 365, FormulaE.com e DSTecheetah.com

Cinthia Maria

Cinthia Venâncio comenta zoeiramente a Fórmula 1 desde os sete anos de idade e nas horas vagas é profissional de marketing, fotógrafa, doceira, redatora e revisora. Como todo bom cearense, nunca diz não a um baião de dois com queijo coalho e carne de sol. Aprecia rock do bom, não tem vergonha de dizer que não é fã do Tarantino e sempre é a motorista da rodada. Geralmente esquece o que não deveria