ColunistaDestaquesFórmula 1Post

Dia 1 – Mercedes começa na frente, com Lewis Hamilton liderando primeiro dia de testes em Barcelona

O primeiro dia de testes em Barcelona foi bem produtivo, as equipes conseguiram adquirir uma boa quilometragem com os seus carros, atestando a confiabilidade dos sistemas e equipamentos. Juntos Lewis Hamilton e Valtteri Bottas completaram 173 voltas, enquanto Max Verstappen sozinho fez 168 e  Carlos Sainz completou 161.

A Mercedes abre a temporada na frente, com Lewis Hamilton liderando a sessão da tarde, após anotar 1:16.976, superando Valtteri Bottas por 0s337. A equipe foi seguida por Sergio Pérez com a Racing Point anotando 1:17:375, a equipe apareceu no primeiro dia de testes com a cara das flechas de prata.

O primeiro dia de atividades na pista serve para a verificação de sistemas, suspenção, unidade de potência, transmissão e toda a parte eletrônica. Engenheiros dentro dos boxes e na fábrica recebem os dados e realizam as análises, cada um responsável por uma parte. É difícil dizer se realmente a Racing Point está mais rápida e pode dar trabalho na conquista pela quarta posição do campeonato, pois cada time realiza um programa.

As atividades foram produtivas, a sessão não teve interrupção com bandeira vermelha, os pilotos aproveitaram o circuito, ainda que com poucos pilotos andando juntos. A Williams já começa a temporada melhor que em 2019, pois está desde o primeiro dia participando das atividades, George Russell e Nicholas Latifi juntos completaram 136 voltas.

Saiba como foi o primeiro dia de testes em Barcelona

Manhã 

A Alfa Romeo divulgou o modelo C39 na pista de Barcelona, o carro que será guiado por Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi durante a temporada de 2020.

Confira: Alfa Romeo divulga C39, durante o primeiro dia de testes da Pré-Temporada

Enquanto algumas equipes ligavam os seus motores nos boxes, George Russell e Carlos Sainz ocupavam a saída dos boxes, assim que a pista foi liberada os pilotos partiram para as suas voltas marcando o início das primeiras quatro horas de atividade. Valtteri Bottas foi o primeiro a aferir tempo, com 1:21.783 de pneus duros. Charles Leclerc utilizava os mesmos compostos e anotou 1:33.080 com o SF1000.

Durante a primeira saída dos carros, era comum ver alguns deles utilizando a grade de aferição aerodinâmica ou o flow-vis espalhado em algumas áreas do carro. As atividades nos boxes eram intensas com as equipes realizando os últimos ajustes antes de enviar o carro para a pista.

Os testes de pré-temporada não são de fácil análise para quem está fora dos boxes, mas permite ver Carlos Sainz e Sergio Pérez lideraram a sessão, o piloto da McLaren com o pneu C2 instalado, enquanto o Mexicano era visto com o C3.

Perto de completarem duas horas de atividade, Valtteri Bottas passou a andar em 1ms17s, utilizando o composto C2. A movimentação na ponta da tabela começou a ficar intensa, em uma disputa entre Bottas, Pérez e Verstappen, havendo uma alternação entre eles.

A Racing Point quer mostrar potencial, a equipe acredita em pódios nesta temporada e em Barcelona o RP20 estava com a cara da Mercedes do ano passado. Pérez anotava 1:17.375 utilizando os pneus C3.

A manhã foi boa para adquirir quilometragem e reforçar a confiança, ao final das quatro horas, Max Verstappen tinha completado 91 voltas com a Red Bull RB16, a Mercedes W11 guiada por Valtteri Bottas completou 78, enquanto George Russell com o FW43 tinha completado 73.

Os pilotos com os melhores tempos da manhã foram: Valtteri Bottas com 1:17.313, seguido por Sergio Pérez com 1:17:375 e Max Verstappen com 1:17:787. Robert Kubica foi o primeiro a testar com a Alfa Romeo, o polonês fechou na oitava posição.

Sebastian Vettel estava escalado para participar do primeiro dia de testes, mas como o piloto ficou doente, passaram a vez para Charles Leclerc, afastando o alemão das atividades do primeiro dia para que ele possa se recuperar.

 

Tarde

Após a pausa para o almoço,  Antonio Giovinazzi assumiu o C39, trocando de lugar com Robert Kubica que pilotou pela manhã, Nicholas Latifi fez o mesmo na Williams com George Russell, assim como Daniel Ricciardo na Renault com Esteban Ocon, Lewis Hamilton passou a guiar o W11, após Valtteri Bottas ter liderado a manhã de treinos.

Foi o inglês da Mercedes que quebrou o silêncio pós almoço e rapidamente foi reduzindo o primeiro tempo aferido por ele, anotando 1:18:853, com os pneus C3. Verstappen também foi liberado para a pista, o holandês utilizava os pneus C2.

Hamilton pilotava de forma agressiva, atacando as zebras, para explorar o carro, o que resultou em uma escapada de pista nos primeiros minutos de atividade. O tempo do hexacampeão permaneceu alto por bastante tempo e desta forma ele ficou na décima primeira posição, rodando na casa de 1s20. Outro piloto que permanecia com marcas altas era Verstappen e mesmo assim o holandês acabou rodando e passou pela brita, logo depois se encaminhou para os boxes, para realizar uma verificação.

Se aproximando da conclusão da primeira hora da tarde, Max Verstappen quebrou a “barreira” das 100 voltas.  Nicholas Latifi acabou salvando o carro da Williams após quase perder o controle, quando deixava uma curva e entrava na reta.

Lewis Hamilton subiu para a terceira posição após anotar 1:17:682, com os pneus médios, restavam mais de 3 horas e 10 minutos para o final do primeiro dia.

Concentrados em adquirir quilometragem, os tempos não melhoravam com tanta frequência. Restando pouco mais de duas horas e meia para o término, Lewis Hamilton assumiu a ponta com 1:17:293, utilizando o pneu C3, desta forma os melhores tempos do dia, eram estabelecidos pela Mercedes. Todos os pilotos que foram escalados para a sessão já haviam registrado tempo.

A pista não ficava lotada como nos treinos livres, desta forma cada piloto trabalhava praticamente sozinho no circuito, nos boxes das equipes havia bastante trabalho, principalmente quando os carros retornavam. Os times optaram em não usar os tapumes para tampar a visão durante as atividades, mas os mecânicos começaram a formar uma barreira humana para impossibilitar a visão em alguns momentos.

Kvyat passou a sétima posição restando 2 horas e 20 minutos, após anotar 1:18:095 com os pneus C3 e quase quarenta minutos depois subiu para a quinta posição com 1:17:698.

Grande parte das equipes utilizava os pneus C2 ou C3, correspondentes ao duro e médio e assim podiam dar mais voltas no circuito.  

Quando o cronometro cravou duas horas de atividade no período da tarde, Lewis Hamilton melhorava o seu tempo com os pneus duros, anotando 1:16:978, reduzindo ainda mais a marca do dia.

 

Restando duas horas de atividade, pouco a pouco as equipes foram quebrando a barreira das 100 voltas e os giros mais rápidas eram deixadas de lado. Alguns pilotos acabaram extravasando os limites de pista e até rodando quando perdiam a traseira do carro, mas rapidamente retornavam as atividades. O primeiro dia foi bem produtivo, principalmente para a equipe Williams que não teve este desenvolvimento no ano passado.

 

 

 

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados