Corridas de Recuperação

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Lewis Hamilton fez uma brilhante prova de recuperação na última etapa na Bélgica, partindo da 21ª posição chegou a um brilhante 3ª lugar.

Sendo assim resolvemos relembrar outras históricas corridas de recuperação, que como a de Lewis não necessariamente resultou em vitória, má ficaram marcadas má história pela garra e arrojo:

| Ronnie Peterson, Watkins Glen 1972, March:

corridas-de-recuperação (2)
Fonte: @Tumblr

O arrojado piloto sueco partiu da 26ª posição com seu March para chegar em um fantástico 4º lugar na prova que encerrava o campeonato de 1972, na temporada seguinte estava na campeã Lotus com Emerson Fittipaldi.

| Emerson Fittipaldi, Long Beach 1980, Fittipaldi:

corridas-de-recuperação (3)
Fonte: @Tumblr

Na prova que é lembrada pela primeira vitória de Nelson Piquet na F1, Emerson Fittipaldi teve seu último momento de brilho na categoria. Largando em 24º e último lugar, o brasileiro chegou em 3º marcando o último podium de sua vitoriosa carreira e também da equipe Fittipaldi.

| John Watson, Detroit 1982, McLaren:

corridas-de-recuperação (4)
Fonte: @Tumblr

O sinuoso e ondulado circuito de rua de Detroit estreou na F1 coroando um vencedor que veio do fundo do grid. Watson largou na 17ª posição.

| John Watson, Long Beach 1983, McLaren:

corridas-de-recuperação (5)
Fonte: @Tumblr

Na última vez que a F1 correu em Long Beach a McLaren marcou uma dobradinha com Watson e Lauda que largaram em 22º e 23º no grid e escalaram o pelotão para conquistar um formidável resultado para a equipe de Ron Dennis.

| Ayrton Senna, Japão 1988, McLaren:

corridas-de-recuperação (6)
Fonte: @Tumblr

Senna largou na pole, mas com problemas na largada caiu para o meio do pelotão, porém com uma garra pouca vezes vista na F1, veio ultrapassando todos os concorrentes até assumir a ponta na volta 25, coroando com uma magnifica vitória a conquista de seu primeiro titulo

| Nigel Mansell, Hungria 1989, Ferrari:

corridas-de-recuperação (7)
Fonte: @Tumblr

Vencer em Hungaroring sem partir da primeira fila é bem difícil, e o primeiro a fazer isso foi Nigel Mansell com uma Ferrari. Largando em 12. Disputou a vitória com a McLaren de Ayrton Senna ultrapassando o brasileiro em uma manobra arrojada.

| Alain Prost, México 1990, Ferrari:

corridas-de-recuperação (8)
Fonte: @Tumblr

Quem disse que Alain Prost não ultrapassava? No México em 1990 o francês da Ferrari largou em 13º e no que talvez tenha sido a melhor performance de sua carreira conquistou a vitória e iniciou sua reação naquele campeonato.

| Michael Schumacher, Bélgica 1995, Benetton:

corridas-de-recuperação (9)
Fonte: @Tumblr

Na minha opinião a melhor corrida de Schumy, saindo em 16º veio passando todo mundo e travou um duelo histórico com Damon Hill, segurando o inglês da Williams com pneus slick no piso molhado.

| Rubens Barrichello, Alemanha 2000, Ferrari:

corridas-de-recuperação (10)
Fonte: @Tumblr

Soberba. Foi uma vitória soberba de Rubens Barrichello em Hockenheim 2000, saindo em 18º fez uma das melhores performances de todos os tempos aproveitando-se de todas as intercorrências e da chuva no final para vencer pela primeira vez.

| Kimi Raikkonen, Japão 2005, McLaren:

corridas-de-recuperação (11)
Fonte: @Tumblr

Com o título decidido a favor de Fernando Alonso da Renault, um quali com chuva colocou Kimi na 17ª posição no grid. No domingo o finlandês guiou muito e ultrapassando Fisichella da Renault na última volta venceu magistralmente em Suzuka.

| Jenson Button, Hungria 2006, Honda:

corridas-de-recuperação (12)
Fonte: @Tumblr

A primeira vitória de Button foi especial. Na primeira vez que a chuva deu o ar da graça em um GP na Hungria, o inglês aproveitou a chance e venceu saindo da 14ª posição, até hoje o vencedor que largou mais atrás em terras magiares.

| Sebastian Vettel, Abu Dhabi 2012, Red Bull:

corridas-de-recuperação (13)
Fonte: @Tumblr

Largando dos boxes o alemão da Red Bull teve que escalar o pelotão no travado traçado de Yas Marina com direito a toque com Bruno Senna e obliterar um cone. Nesta prova Vettel deu o passo decisivo para a conquista do título.

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da história, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipédia erra o Cristiano não.