Zanardi após brilhar no Jogos Paraolímpicos na Rio2016, vence de GT pela BMW

| Rubens Gomes Passos Netto – publicado em 17/10/2016 às 23:30.

Ganhar duas medalhas de ouro e uma medalha de prata nos Jogos Paraolímpicos Rio 2016 poderia fazer com que qualquer outro atleta desejasse paz e tranquilidade para o resto do ano, mas isto não é o bastante para Alex Zanardi, minha gente, o italiano fez seu retorno às pistas neste fim de semana e no final da temporada do Italian Gran Turismo Championship em Mugello.

E você já pode adivinhar quem ganhou a ultima corrida do campeonato?

Sim, foi ele, o vencedor!!!

Fonte: @BMWItalia
Fonte: @BMWItalia

Ausente já a quinze meses dos circuitos de automobilismo desde julho de 2015 quando disputou às 24 Horas de Spa, Alex Zanardi de 49 anos hoje, sendo que chegará aos 50 anos semana que vem, dirigiu um carro especialmente adaptado as suas limitações, o BMW M6 GT3 e depois de um sexto lugar na corrida de sábado dia 15 de outubro de 2016, conduziu a sua bela BMW M6 GT3 para a vitória no último domingo dia 16 de outubro de 2016.

Fonte: @BMWItalia
Fonte: @BMWItalia

“Não há palavras para descrever o que sinto. Hoje, ao ver o pôr-do-sol, nunca me pareceu tão bonito. Que ano, não foi só que dia! Tive momentos incríveis no Rio de Janeiro e agora sentar-me neste carro incrível foi fabuloso”, disse ao ser questionado qual era a sensação de voltar a vencer uma corrida de automóveis,.

“Que emoção correr em Mugello, o circuito mais bonito do mundo”, afirmou o piloto e atleta paraolímpico, “Quero ir também aos Jogos Paraolímpico de Tóquio 2020.”

Teremos um post especial falando do Zanardi, em breve, pois temos muito o que dizer deste cara.

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.