Williams fortalece equipe técnica na busca de recuperar o fôlego

Williams anuncia duas novas contratações para o time técnico, na tentativa de melhorar desempenho

A primeira prova da Fórmula 1 acontece no dia 15 de março e até Melbourne tudo é especulação, principalmente com relação ao desempenho dos carros, onde mesmo nos testes de pré-temporada é difícil fazer um comparativo entre as equipes.

Entra ano e sai ano, os resultados da Williams são sempre questionados, além disso existe o discurso para reforçar que este será um ano muito pior que o anterior. É interessante comentar sobre isso, pois de 2013 para 2014 a equipe de Grove deu um bom salto, abandonando a utilização dos motores Renault, para investir nos motores da Mercedes, justamente quando começava a era hibrida. A aposta foi correta, afinal existiu o crescimento e não é atoa que a Mercedes, atualmente seis vezes campeã domina a tabela de construtores. 

Foram dois anos se mantendo como terceira força do campeonato, para começar a perder espaço em 2016 até levar ao que vemos hoje, cada vez somando menos pontos e mais distante das outras equipes em desempenho, aliado a perda de patrocínios e a necessidade de pilotos pagantes.

É difícil apontar os culpados, mas é certo que todos os erros ficam no colo de Claire Williams, pois é a vice-diretora do time, e de alguma forma quer reerguer a equipe, mesmo que estes caminhos pareçam confusos.

Contratações

Para 2020 a fagulha de esperança é algo que vem com as novas contratações, Dave Worner e Jonathan Carter, ingressam no time como designer-chefe e vice chefe de design, respectivamente. Worner trabalhava para a Red Bull e Toro Rosso, já Carter vem da Renault. Tudo este movimento faz parte da reestruturação de seu departamento de tecnologia após uma série de perdas durante as duas últimas temporadas, como Dirk De Beer e Ed Wood, e culminou na saída do chefe de tecnologia Paddy Lowe, durante a temporada de 2019.

Worner e Carter vão assumir as suas funções “em um futuro próximo” – Claire Williams disse “Dave e Jonathan trazem uma enorme experiência, conhecimento e habilidades para a equipe Williams, e estamos muito satisfeitos por eles se juntarem a nós em um futuro próximo”.

“Eles fortalecerão nossas capacidades de projeto e trabalharão em estreita colaboração com Adam Carter, nosso engenheiro-chefe e os outros membros seniores da equipe de engenharia no projeto e desenvolvimento da próxima geração de carros da Williams F1”, completou.

Foto reprodução Williams

Em conjunto, a atuação de Adam Carter for revisada, passando para o cargo de Engenheiro Chefe, a equipe informa que ele será responsável “pela integração e coordenação de atividades nas principais funções de engenharia e na entrega de programas ao carro”.

Para quem acompanha a Fórmula 1 é natural esperar por um desempenho melhor das equipes e desejar que todos possam competir de igual para igual, pois não adianta muito ter uma equipe no final do grid, apenas se arrastando. As mudanças são demoradas e antes de tudo a categoria é um negócio, mas ninguém quer a diminuição do grid que já é curto.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!