25 de agosto de 2013 – Vitória de Vettel, campeonato segue acirrado e outras coincidências do dia – Dia 96 dos 365 dias dos mais importantes da história do automobilismo

Sharing is caring!

Talvez algo parecido possa vir a acontecer neste ano no GP da Bélgica, já que a previsão para amanhã (26) é de chuva e no domingo ela nem deve aparecer para a corrida. Aí você vai dizer como pode ser parecido com 2013, não temos, mas o saudoso Maldonado correndo e várias peças já foram mexidas no grid. Porém a briga entre Vettel e Hamilton continua e em 2013 os dois estiveram no pódio, aliás Fernando Alonso também, mas agora em 2017 o espanhol nem deve chegar perto, já que a McLaren voltou das férias com os mesmos problemas de perda de potência do motor.

GP da Bélgica 2013 tem um ponto bem legal, era o 11° Grande Prêmio a ser disputado no ano, onde Sebastian Vettel, Fernando Alonso e Lewis Hamilton estavam brigando pelo título. Na temporada de 2017 a Bélgica é a 12° prova e novamente temos três pilotos brigando pelo título, de forma mais direta entre Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, mas seu companheiro de flecha de prata, Valtteri Bottas veio comendo pelas beiradas, vencendo corridas e aproveitando muito bem as oportunidades que já possui 169, que apenas 33 pontos separam ele do atual líder do campeonato.

lll Corrida de 2013

Lewis Hamilton conseguia manter a ponta na largada, seguido por Vettel, Rosberg e Button. Fernando Alonso pelo lado de dentro da pista, pulava de nono para quinto. Já Felipe Massa que era décimo, acabou perdendo duas posições e foi parar em décimo segundo. Outro piloto que também acabou despencando foi Mark Webber, que de terceiro caiu para sexto.

Fonte: @Spa

A liderança de Hamilton não durou nem a primeira volta e logo depois da famosa Eau-Rouge, Sebastian Vettel tomava a ponta do inglês. Fernando Alonso que não queria perder contato com os ponteiros, também já partia para cima de Button e assumia o quarto lugar, na volta 4.

Fonte: @RBR

Na ponta Vettel começou a abrir vantagem e já colocava 4s em Hamilton em apenas 5 voltas. Enquanto isso o brasileiro da Ferrari, reclamava pelo rádio do Kers não estar funcionado e tinha um baita de um prejuízo já que Spa é uma pista bem veloz e todos os instrumentos que possam trazer mais velocidade para a pista podem fazer total diferença em uma pista veloz como essa.

Alonso mantinha o bom desempenho da largada e após fazer a ultrapassagem em Button, partiu para cima de Rosberg e não demorou muito para tomar a posição do Alemão. Já o companheiro de equipe do espanhol tentava diminuir o prejuízo que tinha com o carro e aproveitava para tomar a posição de Grosjean depois que ele acabou saindo da pista, quando Pérez tentava fazer uma ultrapassagem nele. Depois da manobra o mexicano acabou punido com um drive-through.

Felipe Massa acabou sendo o primeiro a ir para os boxes, ainda na volta 10 e retornou em 17°. Dos ponteiros apenas Button e Grosjean não haviam parado até a décima quinta volta. Vettel ainda era líder e Button vinha em segundo, a disputa ficou por conta de Fernando Alonso e Lewis Hamilton. O espanhol acabou ganhando a posição e na volta seguinte freava o mais tarde possível na curva 1, precisando controlar o carro para se manter à frente do rival. Já Massa seguia escalando o pelotão e já aparecia em oitavo.

Button não conseguiu sustentar o segundo lugar já que estava com os pneus bem desgastados, então foi fácil para Alonso alcançar o britânico, assim como Hamilton que não fez cerimonia para conseguir o terceiro lugar. Após a parada do piloto da McLaren, ele acabou retornando em oitavo, atrás de Massa e conseguia ultrapassar o brasileiro. Logo depois de toda essa movimentação Grosjean que também não havia parado, foi para os boxes na volta 21 e de sétimo voltou em nono e Massa ganhava mais uma posição.

Raikkonen que passava a ser o oitavo, começou a pressionar o brasileiro e na volta 26 por fim o finlandês tentou o bote na chicane final e passou direto, o erro vinha a ter um motivo, o homem de gelo estava sem freios desde o início da prova. Após a saída de pista Raikkonen acabou voltando para os boxes da equipe e deixou a prova por causa do superaquecimento dos freios.

Nesta parte da prova Vettel já tinha uma posição confortável, já que detinha a liderança e não era ameaçado por Fernando Alonso já que tinha 10s de vantagem. Webber que desde a volta 18 aparecia em quinto, conseguia o quarto lugar na volta 25 e era seguido por Button, Rosberg e Massa.

Na volta 27 Nico Hulkenberg era ultrapassado por Adrian Sutil, o venezuelano da Williams ao notar que os seus pneus estavam desgastados, aproveitou para tentar entrar nos boxes que estava a sua direita, mas não reparou que Paul di Resta estava ao seu lado também e acabou acertando o piloto em cheio. No fim Maldonado levou a culpada da lambança, já que ele teve a atitude imprudente de enfiar o carro a onde não devia, no fim acabou levando uma punição de stop and go.

Depois da segunda rodada de paradas, poucas mudanças ocorreram nas posições e Vettel seguia liderando a prova ainda com a mesma vantagem sob Alonso, Hamilton era terceiro e Rosberg conseguia o quarto lugar de Webber. Button e Grosjean tentavam fazer uma corrida com uma parada apenas, mas o inglês teve que abortar a estratégia e com a McLaren se tornava sexto, seguido então pelo francês e Massa era oitavo.

Massa ainda teve tempo de pressionar o piloto da Lotus e conseguir a posição depois de uma bela ultrapassagem, assumindo o sétimo lugar à três voltas do fim. O restante da prova não tevê alterações nas posições e depois da bandeira quadriculada ser sacudida o top 10 era: Vettel, Alonso, Hamilton, Rosberg, Webber, Button, Massa, Grosjean, Sutil e Ricciardo.

Com essa vitória Vettel igualava ao número de triunfos de Nigel Mansell e se tornava o quinto maior vencedor na história da Fórmula 1. Com o resultado ampliava a distância para 46 pontos, para o segundo colocado que era Fernando Alonso.

Foi também na Bélgica que Kimi Raikkonen acabou quebrando a sequência de chegadas na zona de pontuação, tinham sido 27 corridas até ali.