ColunistasFórmula 1Post

Verstappen sobra no México e vence com facilidade. Hamilton fica com o P2

O GP do México foi marcado pela dominância da Red Bull e o resultado só não foi melhor, pois Lewis Hamilton terminou a corrida no segundo lugar. A equipe tinha mais ritmo para a corrida, portanto eles superaram as questões da classificação, para obter um bom resultado neste domingo (07) no autódromo Hermanos Rodríguez.

Max Verstappen atacou Lewis Hamilton na largada, Valtteri Bottas não apresentou resistência e ainda foi atacar o companheiro de equipe nos primeiros metros de pista. O piloto holandês rapidamente assumiu a liderança da corrida e passou a administrar a prova com autoridade, mostrando o completo domínio da Red Bull neste traçado, pois foi ampliando giro após giro a vantagem que tinha para o inglês.

Hamilton fez o possível com o carro e ainda conseguiu evitar as investidas de Sergio Pérez nas últimas voltas da prova para não ser ultrapassado e perder a segunda posição. Valtteri Bottas foi tocado por Daniel Ricciardo na largada e caiu para o final do pelotão, não podendo contribuir mais para a corrida do companheiro de equipe. Como o finlandês não ajudaria a Mercedes a obter pontos neste domingo pois estava abaixo do top-10 nas últimas voltas, fizeram o finlandês roubar o ponto da melhor volta de Verstappen.

Sergio Pérez se aproveitou dos problemas de Bottas na primeira volta para completar o pódio diante da sua torcida. Obviamente o autódromo ficou em festa, comemorando o 3º lugar do piloto, quase como se fosse ele o dono da vitória.


Pierre Gasly ficou com o quarto lugar, ajudando a AlphaTauri na conquista de pontos, enquanto Yuki Tsunoda abandonou a prova na primeira volta. Charles Leclerc e Carlos Sainz ajudaram a Ferrari na conquista do P5 e P6, mas foram além disso, agora oficialmente a Ferrari é a terceira colocada no Campeonato de Construtores e ainda se aproveitaram de um desempenho bem ruim da McLaren.

Sebastian Vattel colocou a Aston Martin na sétima posição, o alemão fez uma boa largada e conseguiu se manter no top-10. A Alfa Romeo leva mais alguns pontos para casa, com Kimi Raikkonen obtendo o oitavo lugar, embora o time tenha perdido a oportunidade de pontuar com os dois carros, depois que adotaram uma estratégia ruim para Antonio Giovinazzi.

Fernando Alonso ficou com o nono lugar, enquanto Lando Norris conseguiu o décimo e obteve um ponto para a McLaren.

Apenas Mick Schumacher e Yuki Tsunoda não terminaram a corrida, os pilotos abandonaram a prova na primeira volta, depois de um toque com Esteban Ocon da Alpine.
A Fórmula 1 retorna na próxima semana com o GP de São Paulo, pois vamos dar sequência a uma rodada tripla.

Saiba como foi o GP do México

O grid de largada precisou ser reorganizado, pois cinco pilotos contavam com punições por troca do motor ou mudança de câmbio. As posições ficaram desta forma:


Pérez relatou um problema no motor quando estava alinhando para a reta princial. No entanto, antes da largada as coisas pareciam normais no grid e favoráveis para o mexicano terminar a prova. A Red Bull poderia ter alguma questão durante a corrida por conta da asa traseira, já que tiveram que instalar uma asa com defeito no carro de Pérez e passar a do mexicano para o holandês.

Do primeiro ao décimo sexto colocado, todos estavam começando a corrida com os pneus médios. Enquanto apenas Yuki Tsunoda e Esteban Ocon largaram com os compostos médios, até mesmo Lando Norris e Lance Stroll partiram para o início da corrida de médios.

Largada

E no início Hamilton largou bem, Bottas, Hamilton e Verstappen dividiram a primeira curva, o holandês assumiu a dianteira, enquanto Bottas foi tocado por Ricciardo. O finlandês rodou e caiu para a décima oitava posição. O Safety Car foi ativado em decorrência do incidente provocado por Estaban Ocon que fez Mick Schumacher e Yuki Tsunoda, abandonarem a prova. Alonso escapou da pista. A largada foi uma grande bagunça.

Os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Gasly, Giovinazzi, Sainz, Vettel, Russell e Raikkonen. Giovinazzi tinha largado muito bem, saindo da décima posição para ocupar o 6º lugar.


Na segunda volta Bottas e Ricciardo foram aos boxes, precisando realizar reparos em seus carros. O piloto australiano acabou com a asa dianteira danificada, pois bateu com Bottas no começo da corrida.

O Safety Car deixou a pista durante o encerramento da 4ª volta, Verstappen segurou os pilotos e fez uma boa relargada estabelecendo mais de 1s2 de vantagem para Hamilton. Rapidamente Giovinazzi foi ultrapassado por Sainz por conta da diferença dos carros, mas a prova seguiu.

A disputa foi retomada e durante o sexto giro, Norris atacava Latifi, tentando obter a décima terceira posição. Ricciardo e Stroll se tocaram, enquanto o canadense espalhou na pista para evitar um acidente.
Na volta seguinte, era a vez de ver Raikkonen pressionando Russell na busca pelo nono lugar. Neste momento os dois carros da Alfa Romeo estavam entre os dez primeiros, marcando pontos.

Quando a oitava volta foi aberta, Verstappen tinha mais de 2s5 de vantagem para Hamilton, mas a distância estava ampliando volta por volta.

No nono giro, Raikkonen assumiu a posição de Russell, deixando o piloto da Williams para Fernando Alonso. Mazepin conseguia permanecer na décima segunda posição, mas não ficaria ali por muito tempo, pois Norris se aproximava do piloto da Haas.

E foi no giro seguinte que um dos carros da Alpine entrou na zona de pontuação, Alonso escolheu bem o lado da pista para ultrapassar Russell.

Durante a décima segunda volta Latifi se direcionou para os boxes abandonando os pneus médios para usar os duros. Ocon ultrapassou Mazepin, empurrando o russo para o décimo quarto lugar.

Dando sequência as paradas, Stroll que começou a corrida lá do final do grid, parou, retornando com os pneus duros, indicando uma estratégia de duas paradas. Na pista, Latifi encontrou Stroll, os dois disputaram espaço, mas o piloto da Aston Martin ganhou o décimo sétimo lugar. Mazepin abandonou a disputa pois não teria como evitar a perda de posição e realizou a sua parada.

Na décima quinta volta, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Gasly, Leclerc, Sainz, Giovinazzi, Vettel, Raikkonen e Alonso. Norris também ultrapassou Russell, dando continuidade a sua corrida de recuperação. Bottas era apenas o décimo quarto, ganhando uma posição depois da parada de Ocon.

Na liderança, Verstappen tinha 5s8 de vantagem para Hamilton, o inglês informava a queda de desempenho dos seus pneus.

Giovinazzi foi chamado durante o décimo sétimo giro para trocar os pneus e instalar os compostos duros, o piloto italiano retornou na décima terceira posição, atrás de Ricciardo e Bottas que estavam duelando, no entanto, estes pilotos ainda não tinham feito as suas paradas. O italiano parou muito cedo, comprometendo a chance de obter pontos.

A vigésima volta mostrava disputas esparsas na pista, pois os pilotos estavam ficando mais espalhados na pista. Os líderes já tinham chegado aos retardatários, fazendo ultrapassagens nesses pilotos. As posições estabilizaram principalmente após os pilotos permanecerem mais tempo na pista, não realizando novas ultrapassagens.

No giro 25, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Gasly, Leclerc, Sainz, Vettel, Raikkonen, Alonso e Norris. Os dez primeiros não tinham parado ainda. Bottas estava travado atrás de Ricciardo, mesmo colocando o carro de lado, não conseguia realizar a ultrapassagem no australiano.

Hamilton foi chamado para os boxes na volta 30, provavelmente optando pela estratégia de uma parada, seguindo o cronograma da Pirelli. O inglês passou a usar os pneus duros, retornando atrás de Leclerc. O monegasco se encaminhou para a sua troca na volta seguinte, assumindo o nono lugar.

A AlphaTauri respondeu a parada executada pela Ferrari, para que o francês, conservasse a sua posição, evitando uma ultrapassagem do monegasco.

Raikkonen e Verstappen pararam nos boxes na volta 34. O finlandês assumiu a décima posição, ficando entre a dupla da McLaren. Vettel que tinha começado a corrida duelando com Giovinazzi, fez a sua parada e retornou na nona posição. Pérez assumiu a liderança da corrida, administrando a prova.

Na volta 40, Ricciardo fez a sua parada, abandonando a disputa com Bottas. Pérez e Alonso também pararam. Os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Sainz, Gasly, Leclerc, Norris, Vettel, Raikkonen e Alonso. Entre os dez primeiros, apenas Sainz e Norris não tinham parado.

Bottas parou na volta 42, mas o seu pit-stop foi muito ruim, principalmente por conta do freio do lado direito esquerdo do carro. O finlandês retornou muito atrás, caindo para o décimo quinto lugar. Sainz abandonou a quarto lugar na volta 43, para fazer a sua parada obrigatória.

No giro 46, Norris parou nos boxes, retornando em décimo, precisando instalar os pneus duros – foi o piloto que mais estendeu a sua permanência na pista com os pneus médios.

Chegando na volta 50, todos os pilotos já tinham realizado pelo menos uma parada, os dez primeiros eram: Verstappen, Hamilton, Pérez, Gasly, Leclerc, Sainz, Vettel, Raikkonen, Alonso e Norris. O holandês tinha mais de 12 segundos de vantagem para Hamilton.

Pérez aferiu a volta mais rápida na volta 50, com 1m19s468, o mexicano estava se aproximando de Hamilton, tentando obter o segundo lugar, a distância entre eles estava em queda. A Red Bull estava buscando ter os melhores pontos da prova.

Na volta 57, Pérez reduziu a diferença para 2s4 de Hamilton. Stroll e Russell quase se tocaram, mas o canadense ficou com o décimo quinto lugar. Na volta 58, Sainz ultrapassou Leclerc, assumindo o quinto lugar, partindo para caçar Gasly que estava no quarto lugar.

E foi na volta 61, restando dez giros para o final que Pérez passou a atacar Hamilton diretamente, rodando abaixo de 1 segundo. O inglês relatava problemas com as temperaturas dos pneus.

A disputa seguiu, Hamilton e Pérez estavam pegando os pilotos mais lentos da pista, desta forma o mexicano não conseguia fazer a ultrapassagem no adversário. Bottas foi chamado para os boxes na volta 66, para instalar os pneus macios e fazer a volta mais rápida da prova.

No entanto, Bottas não conseguiu e parou mais uma vez na volta 70, para instalar outros jogos de pneus macios e buscar a volta mais rápida.

Verstappen abriu a última volta com mais de 16s de vantagem para Hamilton. Vencendo a corrida com tranquilidade. Bottas tirou o ponto da volta mais rápida de Verstappen, depois de cravar 1m17s774, mas cruzou a linha de chegada na décima quinta posição.

Pérez não ultrapassou Hamilton, portanto as posições foram mantidas. Sainz devolveu a posição para Leclerc, portando a dupla da Ferrari ficou com o P5 e o P6, assumindo com tranquilidade a terceira posição do Campeonato de Construtores.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!