PAPAYA BP: Uma no cravo, outra na ferradura!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

São Luís, Março de 2018


Amigos, chegamos a mais uma temporada de Formula 1 e isso é o suficiente para que regozijemo-nos!

Mas sei que aqui, temos várias perguntas a responder. Então, chegamos à Austrália para termos algumas certezas (que não teremos até Barcelona!).

lll Qual a ordem de forças?

Gente, eu nunca me baseio apenas nos tempos obtidos nos testes. Há uma infinidade de variáveis a serem consideradas aqui e o tipo de pneu e a carga de combustível são apenas 2 itens importantes.

Na minha humilde opinião temos: Mercedes / Ferrari & Red Bull / Renault / McLaren & Haas / Williams / Force India & Toro Rosso / Sauber.

Destaco aqui que estou falando de velocidade pura em volta lançada. Em ritmo de corrida, dou muito mais crédito a Red Bull sobre a Ferrari, à Haas sobre a McLaren e à Toro Rosso sobre a Force India. Mas estamos perto de confirmar e lamentar sobre isso.

lll O que esperar do GP da Austrália?

Eu espero dominância da Mercedes e crescimento de Red Bull, McLaren, Williams e Force India em relação aos testes.

Acredito bastante que esses times tenham muito mais a mostrar após as sessões livres e com os pneus oficiais do GP.

Não acredito em quebras, mas acredito em safety car, o GP dos cangurus é pródigo nesse quesito e o halo não deve contribuir junto com a largura dos carros numa pista “de rua”.

lll McLaren-Renault?

Não acredito que a McLaren tenha sido um fiasco nos testes de Barcelona, realmente não acredito nisso. Esperava um pouco mais da parceria sim, e achei que a equipe tremeu sob pressão em alguns momentos.

Mas o ajuste fino entre aerodinâmica e a nova PU não é algo que aconteceria do dia para a noite e tenho certeza que isso será um ponto de melhoria.

Viramos as menores velocidades máximas nos testes e, mesmo assim, marcamos bons tempos com os pneus mais macios. O carro tem potencial e quando conseguir utilizar a PU em toda sua força, acredito que estaremos de volta ao top 4 do mundial de construtores.

Nossos pilotos, mesmo em seus piores momentos, mostraram-se otimistas e motivados, o que me leva a acreditar em bons dados de simulador e boa correlação entre túnel de vento e vida real.

Vamos aguardar, mas vamos nessa otimistas!

Texto originalmente publicado no Papaya OrangePapayaOrange.com/Uma-no-cravo-outra-na-ferradura

%d blogueiros gostam disto: