O Susto de Panis – Dia 25 de 365 dias mais importantes da história do automobilismo – Segunda Temporada

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×
Fonte: GPExpert.com.br

Uma vitória de Jacques Villeneuve em Barcelona elevou o canadense a liderança do campeonato de pilotos logo antes do circo da Fórmula 1 se encaminhar para Montreal. O frisson gerado pela presença de um piloto da casa na ponta aumentou ainda mais a expectativa para o GP do Canadá, entretanto, a prova que começou com o sonho de um triunfo canadense terminou em susto.

Fonte: GPExpert.com.br

O público presente no circuito Gilles Villeneuve foi a loucura quando Jacques assumiu a pole position nos minutos finais da prova de classificação. O que parecia ser a 7ª pole em 7 corridas para a Williams em 1997 se tornou um verdadeiro balde de água fria quando Michael Schumacher se valeu do seu potente motor Ferrari revisado para roubar a primeira posição do canadense por 13 milésimos. Decepção para a equipe britânica, festa nos boxes italianos e uma verdadeira surpresa na 3ª colocação. Rubens Barrichello aproveitou sua nova asa traseira para abrir a 2ª fila com sua Stewart, prontamente seguido por Frentzen, Coulthard e as Jordans de Fisichella e Ralf Schumacher. Mesmo colidindo com o muro na reta principal, o estreante Alexander Wurz foi capaz de fechar o Qualifying em 11º enquanto o atual campeão, Damon Hill, rodou e foi obrigado a se contentar com a 15ª colocação no grid de largada.

Fonte: GPExpert.com.br

A confusão começou logo na largada do GP. Magnussen, Irvine, Panis e Hakkinen misturaram tinta na curva 1, forçando o abandono de Jan e Eddie antes mesmo de completarem uma volta. Mika e Olivier conseguiram retornar para os pits mas apenas a Prost voltou para a prova, uma vez que a Mclaren, sem a asa traseira, também teve que deixar a disputa. Na ponta, Barrichello jogou fora sua ótima classificação ao cair para 8º ainda nas primeiras curvas, já Fisichella se aproveitou de seu ótimo salto para sair de 6º para 3º. Schumacher manteve a liderança e era agora perseguido por Jacques Villeneuve, o líder do campeonato buscava de todas as formas conquistar a primeira posição e ter a chance de repetir a vitória de seu pai, Gilles, na ilha de Notre-Dame em 1978, entretanto, o apetite do canadense custou muito caro e o piloto acabou colidindo com o muro dos campeões, que ainda não tinha esse nome, logo no 2º giro da prova. A decepção era visível nas arquibancadas e no próprio Villeneuve, que deixaria de liderar o campeonato assim que a corrida acabasse.

Fonte: GPExpert.com.br

Sem uma Williams crescendo em seus retrovisores, Schumacher se viu livre para controlar a prova e agora liderava com relativa tranquilidade. Fisichella vinha em segundo com sua Jorden e Jean Alesi era o terceiro com a Benetton. O estreante Wurz estava em 7º, surpreendendo o paddock em sua primeira corrida e era seguido por Rubens Barrichello, que ainda lidava com a modesta 8ª colocação após a queda livre. O pelotão começava a se estabelecer na volta 5 até que Katayama se tornou o 5º abandono da GP ao deixar sua Minardi no muro do Hairpin e causar a entrada do primeiro carro de segurança da prova. Com a corrida retomada na 10ª volta, Alesi, Coulthard e Ralf brigavam pela 3ª posição enquanto Barrichello tentava se defender dos ataques das Tyrrells de Verstappen e Salo. O brasileiro perdeu uma das batalhas pouco antes de Ralf Schumacher se tornar o 6º abandono do domingo ao sofrer problemas na reta principal e encher a barreira de pneus da curva 1. Após a retirada da Jordan acidentada, Rubens perdeu mais duas posições e se via agora bem distante da sua posição de largada e até mesmo dos pontos.

Fonte: GPExpert.com.br

Enquanto Schumacher controlava a prova, a briga pelo 2º lugar entre Fisichella, Alesi e Coulthard esquentava cada vez mais com os três separados por menos de 1 segundo e o estreante Wurz fechava o Top 5. Eis que na volta 25, tanto o italiano quanto o francês partem para suas primeiras paradas, entretanto, a Mclaren decide manter David na pista por mais uma volta. Nos boxes, um ótimo trabalho da Benetton é suficiente para devolver Alesi a frente da Jordan do italiano. Schumacher partiu para sua primeira troca na volta 28 e Coulthard, claramente optando por uma estratégia de apenas uma parada, assumiu a liderança e manteve seu ritmo constante. Ao contrário do que era esperado, a Ferrari que parecia ter o controle total da primeira parte da prova agora parecia enfrentar problemas para alcançar a McLaren do escocês, mesmo com os pneus mais novos. David enfim parou na volta 41, entregando a liderança novamente para Schumacher, que entretanto ainda teria que fazer mais uma parada, o nó tático estava concluído e a missão do alemão agora era abrir uma vantagem superior a 20 segundos para manter a liderança após a segunda passagem pelos boxes.

Fonte: GPExpert.com.br

Michael entrou apenas 4 giros depois e naturalmente perdeu a liderança durante sua parada. A corrida que parecia ganha estava agora nas mãos de David Coulthard e o piloto da Ferrari se via agora na posição de caçador e não caça. Para agravar ainda mais sua situação, Schumacher se viu obrigado a passar novamente pelos boxes na volta 52 devido à problemas nos pneus, contudo, dois golpes de sorte o aguardavam no giro seguinte. O primeiro foi Coulthard também sofrer com os pneus, sendo então levado a fazer mais um pit-stop na volta seguinte, já o segundo foi o escocês deixar sua McLaren morrer na hora de deixar o box, comprometendo totalmente a liderança que ele havia conquistado através da estratégia. Michael rasgou pela reta assumindo a liderança enquanto o piloto escocês ainda aguardava uma chance de voltar para a prova até que tudo mudou.

Fonte: GPExpert.com.br

Na 54ª volta, Olivier Panis perdeu o controle da sua Prost na curva 4 e colidiu muito forte com o muro de proteção, o piloto tentou sair do carro sozinho e parecia estar 100%, mas uma demora no seu atendimento começou a preocupar todos. Com o carro de segurança na pista, o francês começou a ser atendido no asfalto ao lado do seu bólido destruído. Após alguns minutos uma ambulância chegou ao local e a corrida foi interrompida no giro 56. Panis eventualmente foi retirado de maca e após algumas horas foi confirmado que o piloto havia sofrido fraturas em ambas as pernas, o que o impediria de correr nas próximas 7 semanas.

Fonte: GPExpert.com.br
Fonte: GPExpert.com.br

Schumacher foi declarado o vencedor, seguido por Jean Alesi e Giancarlo Fisichella, sendo esse o primeiro pódio do italiano. David Coulthard, que parecia estar com a vitória nas mãos, terminou a prova em 7º lugar, fora da zona de pontuação. Apesar do tremendo susto com o acidente de Panis, o GP do Canadá serviu para bagunçar totalmente o campeonato, que agora tinha Michael Schumacher na liderança com 7 pontos de vantagem.

Fonte: GPExpert.com.br
Fonte: GPExpert.com.br

Fernando Brandão Campos

Brasiliense, podcaster, Team Pepsi, torcedor do Fluminense e de basicamente todos os times de Boston, além de ser dono de um talento sobrenatural para matar equipes de Fórmula 1 (basta perguntar para a Toyota, Lotus e Aston Martin, que sequer entrou mas provou do veneno). Seu habitat natural é o Twitter mas pode ser encontrado falando besteira em outros lugares também. Joga nas 11 com podcasts no Podcast F1 Brasil, vídeos no Boteco F1 e textos aqui no Boletim do Paddock, com direito a uma passadinha no Formula Legend e no Superlicense de vez nunca.

%d blogueiros gostam disto: