ColunistaFórmula 1Post

SÉRIE CIRCUITOS DA F1: Catar

Acostumado com as duas rodas, o Catar se prepara para receber a F1 pela primeira vez. 

O Catar se prepara para receber a F1 pela primeira vez em 2021, mas seus quase 3 milhões de habitantes já estão familiarizados com a velocidade, primeiro com os rallies e mais tarde com as motos. 

O Losail International Circuit, localizado a cerca de 30 km ao norte da capital Doha, foi inicialmente concebido para abrigar o motociclismo. As obras começaram em outubro de 2003 e em dezembro, uma cerimônia marcou a colocação da primeira pedra, contando com a presença dos pilotos da MotoGP, Mick Doohan e Valentino Rossi. O traçado foi aprovado por uma comissão de segurança da MotoGP, composta por Valentino Rossi, Sete Gibernau, Kenny Roberts Jr. e Nobuatsu Aoki. 

O eneacampeão Valentino Rossi participou da cerimônia de início das obras, ajudou na aprovação do traçado e ainda venceu quatro vezes na pista. Foto: reprodução

A verba de 58 milhões de dólares para a construção veio da Qatar Motor and Motorcycle Federation (QMMF) e o circuito levou um pouco mais de um ano para ficar pronto, com os quase mil trabalhadores trabalhando dia e noite para que a pista de 5,4 km ficasse pronta a tempo. 

Traçado do circuito de Losail, que só sofreu alterações na entrada dos boxes para a etapa de F1 em 2021, ficando com 5,380 km para a categoria – Foto: reprodução

O primeiro evento foi o Marlboro Grande Prêmio do Catar, realizado no dia 2 de outubro de 2004. A corrida da MotoGP foi vencida por Sete Gibernau, enquanto que Jorge Lorenzo e Sebastián Porto venceram nas categorias Moto3 e Moto2. 

Em 2008, uma operação que durou 175 dias, colocou mais de mil estruturas de iluminação com 3600 lâmpadas, para que o circuito pudesse receber corridas noturnas. No mesmo ano, a MotoGP experimentou a novidade e correu à noite pela primeira vez, prova vencida por Casey Stoner. 

A iluminação no circuito de Losail passou a permitir corridas noturnas e a F1 irá utilizar o artifício em sua etapa no país. Foto: reprodução

Os carros também tiveram a chance de experimentar a pista. Em 2006, o circuito recebeu a GP Masters Series, com Nigel Mansell ficando com a vitória. Em 2009, foi a vez da GP2 Asia Series disputar uma etapa no país, com vitória de Nico Hülkenberg na corrida 1 e Sergio Pérez vencendo a corrida 2. Do grid atual, além do piloto mexicano, Nikita Mazepin também já correu na pista, em uma etapa da Formula MRF em 2014. 

Sergio Pérez, ao lado de Hülkenberg e Petrov, comemora a vitória na segunda corrida da GP2 Asia, em 2009. Foto: reprodução

Aproveitando que alguns países não conseguiram realizar suas etapas em 2021, o Catar se prontificou e assinou um contrato de 11 corridas com a F1 nos próximos 12 anos. Começando esse ano, o contrato prevê corridas no país até 2032, sendo que em 2022, a corrida não acontecerá, já que o país recebe a Copa do Mundo de Futebol.  Além da F1, o Catar também terá a MotoGP competindo no país pelos próximos anos. Para receber a F1, foram feitas algumas melhorias pedidas pela categoria, incluindo a mudança da entrada dos boxes, barreiras de proteção pela pista e a adição de mais 10 novas garagens, além das 40 que já existiam no local.

A entrada do pitlane é a mudança mais drástica feita no circuito para receber a F1, já que o circuito estava acostumado a receber as motos. Novos boxes também foram construídos para receber a categoria. Foto: reprodução

Mesmo com as melhorias, ainda não há a garantia de que o circuito continue recebendo a F1, podendo ser construída outra pista para isso ou a corrida sendo realizada nas ruas de Doha. 

A cidade de Doha poderia receber uma corrida de rua, caso o circuito não tenha mais condições de receber a F1. Foto: reprodução

Quando não está recebendo corridas, o circuito é usado como centro de treinamento da Qatar Motorsport Academy, que tem parceria com a “Road to MotoGP”. A academia oferece treinamentos para crianças a partir de 8 anos, adultos e mulheres. 

O Catar tem um pouco mais de vinte pilotos que já participaram de alguma corrida, a maioria se aventurando no endurance ou em categorias no próprio país. O destaque fica por conta de Nasser Al-Attiyah, três vezes vencedor do Rally Dakar.

Nasser Al-Attiyah (à esquerda) é o piloto catariano mais bem sucedido, com três vitórias na prestigiada prova do Rally Dakar. Foto: reprodução
LEIA MAIS: F1 confirma prova no Catar para reta final da temporada 2021

Enquanto a F1 não estreia na pista, o maior vencedor no circuito é Jorge Lorenzo, que somando as três classes da motovelocidade, tem seis vitórias no Qatar, seguido de Casey Stoner com 5 e Valentino Rossi, com 4. 

Depois de receber a Fórmula 1 em 2021, o Catar conseguiu fechar com a categoria um acordo de 10 anos, portanto apartir de 2023 a pista receberá a F1 com frequência. 

LEIA MAIS SOBRE OS CIRCUITOS DA FÓRMULA 1: Hermanos Rodríguez

Riverside

Sepang

Sochi

Aintree

Zandvoort

Sebring

Montreal

 Magny-Cours

 Dijon

Rouen

Reims

Paul Ricard

Reims

Veja o vídeo especial que participamos no Combo Vip! 

 

 

Mostrar mais

Denise Vilche

Uma revista antiga sobre carros fez nascer uma paixão: a F1. Uma menina curiosa de oito anos queria saber quem eram aqueles tais de Senna, Piquet, Mansell e cia. que a revista mostrava em gráficos coloridos. E mais de 30 anos depois, essa menina, agora jornalista, continua mais apaixonada pela F1 do que nunca.

Deixe uma resposta

Artigos relacionados