Segunda Prova no Velopark, Fraga vence, Pizzonia sem noção e pneus buscando um boi erado!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A segunda prova no autódromo Velopark, em Nova Santa Rita, era iniciada com o grid invertido e Felipe Fraga assumia a ponta. O atual campeão da categoria, viria a protagonizar uma briga com Gabriel Casagrande volta a volta, não sendo uma vitória fácil até o final. A corrida também teve acidentes, Safety Car, pneu voando e um carro pegando fogo. A segunda colocação ficou por conta de Valdeno Brito, piloto da Eisenbahn Racing. Casagrande não conseguiu terminar a prova, e ao final da sessão era possível ver o seu carro perdendo posições na pista. O terceiro colocado era Marcos Gomes, piloto da Cimed Racing. Para completar o Top 5 Átila Abreu terminava em quarto e Rubens Barrichello quinto. 

| A Corrida

A segunda corrida começava com Felipe Fraga mantendo a ponta, mas seguido bem de perto por Gabriel Casagrande, Mais atrás do pelotão, Rafael Suzuki rodava na primeira volta e perdia muitas posições. Na terceira volta, Camilo que vinha atrás superava Sérgio Jimenez e ganhava a décima primeira posição. Na quarta volta Casagrande e Fraga começavam a duelar, mas nenhum conseguia manter a ponta por muito tempo, pois ambos aproveitavam todos os espações para tentar conseguir a primeira posição. O mesmo duelo acontecia entre Max Wilson e Valdeno Brito. 

Na quinta volta, Diego Nunes atingia o carro de Guga Lima, que acabou rodando na pista, na volta seguinte, era a vez de Marcos Gomes e Julio Campos se tocarem e o piloto da Prati escapar na pista. Marcos Gomes também rodou na pista, após a roda traseira direita, ser ejetada do seu carro e acabar saindo da área do autódromo.  Na volta seguinte era a vez de Antonio Pizzonia cometer a maior besteira da prova. Ao bater em Tuka Rocha os dois acabaram ficando parados na pista. Alguns carros conseguiram desviar dos dois, porém em uma manobra sem noção de Antonio Pizzonia na tentativa de voltar para a prova, acabou causando a colisão entre ele e Lucas Foresti que bateu com violência no seu carro, em T. O acidente ainda acabou envolvendo Alberto Valério e Allam Khodair. Pizzonia vai largar na próxima prova da última posição, acabou ficando o pé machucado depois da batida e Foresti teve que ser removido para o hospital com fortes dores na costela. O Safety Car acabou entrando na pista.

A relargada era acionada na volta 17 e Valdeno retornava na terceira posição, enquanto Fraga mantinha a liderança. Casagrande, Gomes e Serra foram para os boxes na volta 22, no mesmo momento que Wilson rodava a pista e parava na grama e informava para a equipe que estava com problemas na suspensão. Ao ir para os boxes Wilson, já vinha com o carro pegando fogo no escapamento, e logo os fiscais já vinham tentando apagar as chamas. 

Thiago Camilo teve uma breve chance de liderar a prova, pois ainda não havia realizado a sua parada, mas na volta 25 foi para os boxes. Fraga voltava a assumir a ponta e Casagrande vinha descontando rapidamente a diferença entre os pilotos. Um pouco atrás Maurício e Zonta seguiam duelando pela sétima colocação. Cacá Bueno via um dos seus pneus furar faltando pouco menos de três minutos para o termino da prova, e acabou abandonando.  Valdeno assumia a terceira posição, e depois de fazer uma ultrapassagem em Marcos Gomes conquistava a segunda. Casagrande que acabou sofrendo com problemas no câmbio do carro, perdia posições. A direção de prova acabou dando mais duas voltas ao final do tempo da sessão, acentuando algumas disputas, mas ao final Felipe Fraga acabava vencendo pela primeira vez no ano. 

| Resultado da prova: 

1) 88 – Felipe Fraga – 39 voltas em 41min31s902

2) 77 – Valdeno Brito – a 2s173

3) 80 – Marcos Gomes – a 2s991

4) 51 – Átila Abreu – a 3s990

5) 111 – Rubens Barrichello – a 4s479

6) 10 – Ricardo Zonta – a 5s395

7) 29 – Daniel Serra – a 6s463

8) 90 – Ricardo Maurício – a 9s250

9) 21 – Thiago Camilo – a 10s559

10) 117 – Guilherme Salas – a 14s660

11) 25 – Tuka Rocha – a 24s610

12) 73 – Sergio Jimenez – a 27s284

13) 83 – Gabriel Casagrande – a 30s206

14) 9 – Guga Lima – a 31s464

15) 8 – Rafael Suzuki – a 42s181

16) 70 – Diego Nunes – a 1 volta

17) 0 – Cacá Bueno – a 6 voltas

| Não completaram 75% da prova:

18) 110 – Felipe Lapenna

19) 65 – Max Wilson

20) 44 – Betinho Valério

21) 18 – Allam Khodair

22) 1 – Antonio Pizzonia

23) 12 – Lucas Foresti

24) 5 – Denis Navarro

25) 4 – Julio Campos

26) 31 – Marcio Campos

| Não participaram da segunda prova:

27) 3 – Bia Figueiredo

28) 30 – Cesar Ramos

29) 46 – Vitor Genz

30) 28 – Galid Osman

Fonte: @Stock_Car
Fonte: @Stock_Car
Fonte: @Stock_Car
Fonte: @Stock_Car
Fonte: @Stock_Car

| CALDENDÁRIO DA STOCK EM 2017

1ª Etapa: 02/04 – Goiânia – Vencedores: Daniel Serra (Eurofarma RC) e Ricardo Zonta (Shell Racing)
2ª Etapa: 23/04 – Velopark – Vencedores: Thiago Camilo (Ipiranga Racing) e Felipe Fraga (Cimed Racing Team)
3ª Etapa: 21/05 – Santa Cruz do Sul
4ª Etapa: 11/06 – Cascavel
5ª Etapa: 09/07 – Londrina
6ª Etapa: 23/07 – Curvelo
7ª Etapa: 06/08 – Velo Citta
8ª Etapa: 10/09 – Corrida do Milhão (local a ser definido) *
9ª Etapa: 01/10 – Buenos Aires (Argentina)
10ª Etapa: 22/10 – Curitiba
11ª Etapa: 26/11 – Tarumã
12ª Etapa: 10/12 – Interlagos **

* Bateria única

** Bateria única (pontuação dobrada)

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.