Preview GP do Azerbaijão de Fórmula 1 de 2017

Sharing is caring!

O Circuito Urbano de Baku é uma corrida de rua sediado na capital do Azerbaijão. Em 2016 a corrida recebeu o título honorífico de Grande Prêmio da Europa, mas esse ano já passa a ser chamado de Grande Prêmio do Azerbaijão.

Por ser um circuito novo ele traz características bem famosa de outros traçados, como as ruas estreitas de Mônaco ou as enumeras curvas que lembram Cingapura e até a retas rápidas de Montreal. O traçado é de autoria do arquiteto Hermann Tilke e ele também é responsável pelo desenho de circuitos como Abu Dhabi, Rússia, Bahrain entre outros.

A pista conta com 20 curvas e uma largura de 13m, porém a curva 15 é a mais complicada já que a largura diminui drasticamente para cerca de sete metros, esse ano o nível de dificuldade deve aumentar ainda mais, já que os carros estão mais largos e robustos. As curvas são de baixa velocidade e acabam esfriando os pneus e fica mais fácil dos pilotos dechaparem os compostos.

Por ser um circuito de rua a aderência no primeiro treino livre tende a ser ruim, mas a pista vai ficando emborrachada conforme os pilotos entram na pista. Os compostos usados para essa corrida são Supermacio (faixa vermelha), Macio (faixa amarela), Médio (faixa branca).

| Corrida de 2016

O Grande Prêmio da Europa era apresentado naquele ano e as expectativas para a corrida se mantinham altas, com o seu traçado estreito e o seu toque sutil  que desertava um déjà vu daquelas belas pistas que muitos de nós já adotamos como favoritas. Era mais uma corrida onde a Mercedes era o foco principal já ela o grande destaque do campeonato. 

Sem muita supresa Nico Rosberg largou da ponta e liderou a prova de ponta a ponta, conseguindo anotar a quinta vitória do ano e se levantar de novo no campeonato depois de três corridas não tão boas assim. Com o primeiro lugar de Nico e o quinto de Lewis Hamilton a diferença entre eles no campeonato, cresceu de 9 para 24 pontos. 

A largada tão esperada, que prometia ter uma grande confusão, ficou só na promessa mesmo, sem incidentes os ponteiros seguiram viagem, Hamilton largava da quinta posição depois de ter batido no Q3 do sábado. A Red Bull acabou enfrentando problemas com os pneus, Max Verstappen e Daniel Ricciardo acabaram parando na quinta e sexta  volta na corrida. Com a ida para o pit-stop da equipe austríaca, Sergio Pérez da Force India acabou se beneficiando, aliás acabou sendo o grande destaque daquele final de semana, ao final da prova o mexicano acabaria em terceiro lugar. 

Sebastian Vettel foi chamado pela Ferrari na volta oito para ir aos boxes, mas informava que o ritmo de corrida estava bom e que podia ficar mais tempo na pista, e Kimi acabou indo no lugar do alemão. Rosberg desfilava sozinho e a cada volta ampliava ainda mais a sua vantagem, na volta 11 ele já acumulava 13 segundos de diferença para Sebastian Vettel. 

Lewis Hamilton foi para os boxes na volta 15 depois de estragar os seus compostos com algumas travadas de roda e o piloto voltava em nono lugar.  Já Vettel foi parar apenas na vigésima volta. O alemão da Mercedes parou na vigésima segunda e voltou atrás do finlandês da Ferrari. Na volta 27 veio a punição de 5s para Raikkonen, por ter cortado a linha de entrada dos boxes, ainda na nona volta quando havia realizado a sua parada. 

Na volta 32 Nico virou mais lento que Seb, porém havia encontrado Ericsson e Wehrlein que vinham disputando posições. Hamilton também era mais lento na pista e Pérez aproveitava para ampliar a distancia entre ele e o inglês. Lewis reclamava da perda de potência do seu carro, entretanto algumas especificações não podiam mais ser passadas por rádio e o piloto começou a ficar descontrolado por não conseguir mudar os mapeamentos do carro. Não era a primeira vez do ano que em que Hamilton chama atenção para um ponto negativo, o piloto não tinha entrosamento com o seu instrumento de trabalho e levou 12 voltas para conseguir resolver o problema. Rosberg também havia enfrentados os mesmos problemas que Lewis, mas conseguiu fazer os ajustes em cerca de 4 voltas. 

Rosberg andava sozinho pelas ruas de Baku, assim como o outro alemão, mas era Sebastian Vettel com a sua Ferrari, para garantir um segundo lugar em uma posição bem confortável. Raikkonen era terceiro, mas precisava abrir 5s de vantagem para o mexicano, no final o finlandês não conseguiu e Pérez foi para o pódio. Baku se apresentou para os telespectadores, o cenário era lindo e as pessoas concretiza saíram esperando por mais, já que o próximo ano teria muito mais a oferecer. 

https://twitter.com/OconEsteban/status/877864912416112640

https://twitter.com/F1/status/876696171405688832

https://twitter.com/F1/status/877058564417699840

https://twitter.com/F1/status/877543864973840384

https://twitter.com/F1/status/877573582968238080

https://twitter.com/F1/status/877603375398830080

Fonte: @F1naGlobo

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com