Pit-Stop Drops: Acidente grave com Ryan Newman marca a longa edição 62 da Daytona 500

Sharing is caring!

A principal corrida da NASCAR terminou com um grande susto no final de uma longa e extenuante prova. A batalha pela vitória entre Denny Hamlin Ryan Blaney e Ryan Newman terminou pior para este último, que capotou e foi atingido pelo carro de Corey Lajoie, com o Ford Mustang número 6 se arrastando pela pista completamente destruído e em chamas.

Após ser levado ao hospital Halifax Medical Center, em Daytona (Flórida), o primeiro boletim médico informado pela NASCAR duas horas após o término da prova divulgou que Newman segue em observação e seu estado é grave. No entanto, o piloto de 42 anos não corre risco de morte.

lll A corrida

Depois do adiamento devido às chuvas de domingo, a Daytona 500 recomeçou com ritmo intenso desde as primeiras voltas. No primeiro segmento, o único acidente ocorreu quando Ricky Stenhouse Jr. tocou em William Byron, jogando o piloto da Hendrick no muro interno da reta oposta. A primeira parte da prova foi vencida por Chase Elliott, companheiro de Byron

No segundo estágio, a única bandeira amarela foi após a colisão entre BJ McLeod e Quin Houff. Já nesta parte da prova, Denny Hamlin já demonstrou sua força e, mesmo largando de último, venceu o segundo segmento.

Na parte final da prova, problemas e acidentes vieram a rodo nas últimas 20 voltas: primeiro foi com Kyle Busch, que teve o motor do seu Toyota Camry quebrado quando disputava a liderança. Pouco depois, Joey Logano, da Penske, empurrou Aric Almirola, da Stewart Haas em cima do seu companheiro de equipe, Brad Keselowski. Logano escapou, mas os demais não, resultando num big one envolvendo 18 carros.

Mas a sorte de Logano durou pouco: Faltando 2 voltas para o fim, Ross Chastain tentou passar Ryan Preece, mas perdeu o controle e acertou outros carros, incluindo o número 22 da Penske, mas 10 carros envolvidos e a corrida foi para a prorrogação.

Após um acidente na relargada entre Clint Bowyer, Michael McDowell e Justin Haley na primeira tentativa, a segunda relargada foi a definitiva da prova. Hamlin pulou melhor e disparou na ponta, dando a entender que venceria pela segunda vez consecutiva a Daytona 500, mas na última volta, veio a surpresa.

Empurrado por Ryan Blaney, Ryan Newman, piloto da Roush, assumiu a ponta, com o parceiro de Ford o auxiliando. Hamlin tentou dar o troco e empurrou Blaney até desestabilizar o Ford número 12. Blaney tentou empurrar novamente Newman, mas acabou jogando o colega contra o muro. O Ford número 6 voou e foi atingido pelo Mustang 32 de Corey Lajoie.

O impacto na altura do teto destruiu o carro na região do cockpit. O bólido se arrastou pela pista completamente destruído, com chamas e gasolina vazando. Enquanto resgate acontecia, Hamlin e a equipe Joe Gibbs Racing celebravam a vitória, sem saber da gravidade do acidente. A festa logo foi encerrada assim que fora comunicado sobre o atendimento a Newman.

Durante a terça-feira, novas informações devem ser divulgadas sobre o estado de saúde de Newman e as extensões das lesões do piloto.

Capa: Peter Casey-USA TODAY Sports

Eduardo Casola

Jornalista formado na Universidade de Sorocaba (Uniso) e apaixonado por esporte a motor desde quando se conhece por gente. Apenas um rapaz que gosta de uma boa corrida e de uma boa história!

shares
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com