NETFLIX: Amanhã estreia “F1 Drive to Survive” ou Fórmula 1: Dirigir para viver

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Amanhã (08/03) será a estreia de “F1 Drive to Survive” ou Fórmula 1: Dirigir para Viver, que será lançado na plataforma da Netflix, como nos conta Paul Martin da Box to Box Films:

A Netflix é a plataforma perfeita para contar as histórias deste incrível desporto. A F1 tem sido um mundo de personagens coloridos e de superegos, emoções, drama, vitórias e tragédia, mas até agora, esse mundo tem sido demasiado escondido e secreto para os adeptos. Com Fórmula 1: Drive to Survive, queremos levar os espectadores diretamente para o coração deste mundo que é a F1, e mostrar como é viver, trabalhar e competir dentro do desporto mais rápido do mundo

” 

Paul Martin foi um dos produtores de filmes como Amy e Senna, o que por si só já nos dá uma dimensão do que vamos ter disponível na série de 10 episódios, do qual os produtores tiveram acesso pela primeira vez na história da maior categoria mundial de automobilismo, foi permitido o acesso exclusivo para nos contar com cenas jamais mostradas nas transmissões, veremos pela primeira vez como é realmente a vida de quem se arrisca a mais de 300kms por hora, as tensões, alegrias e tristezas dentro e fora das pistas.

Não perca a estreia que ocorrerá nesta sexta-feira dia 08 de março, já fica o convite para que você acompanhe e comente com a equipe e amigos do Boletim do Paddock usando a #F1Netflix nas redes sociais nesta sexta-feira às 23:30 vamos assistir juntos, abaixo o tweet do nosso leitor Bruno Lima que comprou a ideia e estará conosco nesta noite de sexta, convide os amigos e parentes mostre o verdadeiro lado da maior categoria do automobilismo mundial.

 

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.