07 de Março de 1999, Irvine vence prova movimentada em Melbourne – Dia 290 de 365 dias mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Fonte: Pinterest

Após uma intensa disputa entre Mika Hakkinen e Michael Schumacher pelo título de 1998 a F1 chegava ao Albert Park em Melbourne para a abertura de sua 50° temporada. O grid vinha com algumas modificações bem interessantes, a Williams vinha com uma nova dupla: Alex Zanardi de volta a F1 após o bicampeonato na Cart e Ralf Schumacher vindo da Jordan, Heinz Harald Frentzen fez o caminho inverso do Schumy brother trocando a Williams pela Jordan, Pedro Paulo Diniz trocava a decadente Arrows pela emergente Sauber, Johnny Herbert deixava a equipe suíça para ser companheiro de Rubens Barrichello na Stewart. Arrows chegava com uma dupla nova, Tora Takagi vindo da Tyrrell e o estreante Pedro de La Rosa, a Minardi promovia a volta as pistas de Luca Badoer e a estreia de Marc Gene, mas a grande novidade daquele ano era a estreia da BAR, a British American Tobaco havia adquirido o espolio da tradicional e combalida Tyrrell, com a injeção de dinheiro da tabaqueira nasceu uma nova equipe que contaria com o propulsor Supertec, o mesmo da Williams, um campeão mundial ao volante, Jacques Villeneuve além do estreante Ricardo Zonta, o carro era feito pela Reynard que vinha tendo muito sucesso nas categorias de base e na Cart, enfim a BAR prometia. Ferrari, McLaren, Benetton e Prost mantiveram as duplas de 1998.

Fonte: Pinterest

A classificação foi dominada pelas flechas prateadas da McLaren-Mercedes, o campeão Mika Hakkinen cravou a pole dividindo a primeira fila com seu companheiro David Coulthard, Michael Schumacher era o 3° com sua Ferrari e um surpreendente Rubens Barrichello colocava a Stewart na 4° colocação, lembrando que o time escocês teve uma temporada pífia no ano anterior, Frentzen com a Jordan e Irvine com a Ferrari completavam os 6 primeiros. O domingo estava belíssimo em Melbourne e a McLaren era a favorita, só que aquele seria um dos mais movimentados GPs da Austrália de todos os tempos. Os 2 carros da Stewart tiveram problemas de superaquecimento explodindo seus motores Ford e obrigando o pelotão a uma segunda largada. Rubens Barrichello partiria dos boxes e Johnny Herbert teria que aguardar até o GP Brasil para estrear na Stewart.

Fonte: F1 Pics
Fonte: F1 Pics

No segundo procedimento de largada Michael Schumacher não conseguiu arrancar para a volta de apresentação, sendo obrigado a partir do fim do grid. A segunda fila estava vaga o que era bom para as McLaren. Finalmente era dada a largada para a temporada 1999 da F1 com as 2 McLaren pulando a frente como esperado, Eddie Irvine colocava a Ferrari na 3° posição seguido pela Jordan de Frentzen. A Sauber de Jean Alesi ficou parada no grid com problemas de cambio. Damon Hill não completou sequer a primeira volta após um toque com Jarno Trulli da Prost. Nas 13 voltas iniciais Hakkinen liderava seguido por Coulthard, Irvine, Frentzen, Ralf Schumacher e Fisichella. Em prova de recuperação Schumacher já era o 11° e Barrichello o 12°.

Fonte: Pinterest

Mas começaram aí os problemas da McLaren, David Coulthard abandonou com problemas hidráulicos, na mesma volta a BAR de Jacques Villeneuve também deixava a disputa. Volta 20, Zanardi bate sua Williams, volta 21 a outra McLaren deixa a disputa, o campeão Mika Hakkinen foi vítima de problemas no acelerador. Eddie Irvine assumia a ponta e tinha em mãos a melhor oportunidade de conquistar sua primeira vitória. Schumacher já na 4° colocação teve problemas na asa dianteira tendo que ir boxes para troca-la.

Fonte: Pinterest

Eddie Irvine e Heinz Harald Frentzen disputaram a ponta até o final, o norte irlandês da Ferrari pilotou sem cometer erros e conteve a pressão do alemão da Jordan. Em uma prova de muitas quebras apenas 8 carros viram a bandeira quadriculada. Irvine conquistava sua primeira vitória, Heinz Harald Frentzen estreava na Jordan com um podium, Ralf Schumacher chegava a Williams também com podium, Giancarlo Fisichella foi o 4° com a Benetton e Rubens Barrichello em uma excelente prova de recuperação era o 5° prenunciando um grande ano para a equipe Stewart, Pedro de La Rosa estreava na Arrows fechando a zona de pontos, Tora Takagi com a outra Arrows era o 7° e uma volta atrás em um domingo para esquecer Michael Schumacher.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

Uma prova que foi movimentada sem precisar da chuva para tal, favoritos envoltos em problemas, um vencedor inédito, estreantes em equipes já no podium, estreantes na categoria marcando pontos, a Stewart mostrando que poderia apagar o vexame do ano anterior. Rubens Barrichello falou após a prova que poderia ter vencido caso largasse em 4°, um pouco de exagero, mas um podium seria plausível. Resumindo, o ano começava com tudo, a temporada prometia, mas os fãs teriam que esperar mais de um mês pelo próximo GP, a etapa da Argentina acabou substituída pela da Malásia e fez-se este buraco no calendário. A próxima parada era em Interlagos, e para mim em especial este mês demoraria e muito a passar.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da história, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipédia erra o Cristiano não.

%d blogueiros gostam disto: