Happy Birthday, Adrian Newey – Dia 219 dos 365 dias dos mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

No dia 26 de dezembro de 1958, nascia o 10 vezes campeão dos construtores da Fórmula 1, Adrian Newey.

Newey nasceu no Reino Unido, em uma cidade chamada Stratford-Upon-Avon, um vilarejo que fica perto de um rio chamado Avon (que não é a Avon das revistinhas que você compra as makes), e por isso leva esse nome. É uma cidade pequena no interior.

O Inglês já mostrava suas habilidades com engenharia e máquinas desde 1980, quando ganhou o seu primeiro título de honra como “o primeiro da sala” da universidade de Southampton, em algo que daria para traduzir como construção de aeronaves, um segmento que trata de design aerodinâmico.

A carreira de Newey em esportes a motor começou com um nome conhecido no Brasil: Emerson Fittipaldi. Ele trabalhou na famosa equipe Coopersucar, já em 1980, com Harvey Postlethwaite como seu chefe.

O inglês começou a desenhar carros apenas alguns anos mais tarde, e já conquistou o título na IMSA GTP de construtores, pela equipe March, dois anos seguidos.

Em 1984, Adrian Newey apareceu na CART (ou IndyCar) também pela March, trabalhando como engenheiro de corrida e como designer do carro de Bobby Rahal. Em 1985 Newey ganhou o título na IndyCar, e também a Indy 500. Em 1986 Newey foi desenhar para Marco Andretti, mas seu carro desenhado na March, levou Bobby Rahal ao título da CART e da Indy 500 também.

A parceria com Marco Andretti durou até 1987, quando Newey já estava se preparando para novos voos, na Fórmula 1.

lll Os dez títulos e o caminho para chegar lá

Em 1988 Newey chegou a equipe de Fórmula 1 da March, onde criou o March 881. Em 88, o domínio era das McLaren- Honda e com a Ferrari correndo atrás do prejuízo (sounds familiar), O March 881 era muito mais competitivo do que todos esperavam, pois, o comprometimento de Newey com a aerodinâmica fez com que todos acreditassem que todas as outras áreas do carro estavam comprometidas. Porém, no GP de Portugal, o March de Ivan Capelli terminou em segundo lugar, e no GP do Japão, ultrapassou a McLaren de Alain Prost na volta 16, um grande feito para uma equipe pequena.

Em 1990, Newey foi demitido da Leyton House Racing, onde estava como diretor técnico, por um certo tempo, porém, a Williams já estava lá, esperando por ele.

Momento motivacional do texto: Se até o gênio da aerodinâmica foi demitido antes de ser campeão, todos podem passar por momentos difíceis na carreira.

Newey chegou na Williams em 1991 e no meio da temporada o FW14 de Newey chegou ao mesmo nível da McLaren e começou a competir efetivamente com ela, porém o título não foi possível devido aos resultados consistentes de Ayrton Senna desde o início da temporada.

O primeiro título de construtores de Newey veio apenas em 1992, pois o domínio da Williams era claro e só foi afetado pela Ferrari bastante tempo depois. 1993 trouxe o segundo título, com a vitória do campeonato de pilotos de Alain Prost.

FW15 de Newey Fonte: flatout.com.br

Em 1994, o terceiro título consecutivo da Williams veio com tristeza devido a morte de Ayrton Senna no GP de San Marino, ocasionando uma mudança nos carros ao final da temporada, e também com duas corridas em que Schumacher foi banido por carro fora do regulamento.

No ano seguinte, era claro que a possibilidade de Newey se tornar o Diretor Técnico da Williams apenas crescia, porém viu essa possibilidade se esvair devido ao título de pilotos e construtores da Benetton.

Newey ainda ganhou os construtores mais duas vezes pela Williams (96 e 97), antes de partir para uma nova jornada na McLaren, com o carro de 1998 (que começava a ser construído no final do ano anterior. A MP4/13 trouxe mais um título a Newey. Com este já eram 6.

Os anos seguintes foram difíceis na McLaren por diversas questões e em 2006 o Inglês deixou o time, indo para a querida e sua casa até hoje, a Red Bull Racing.

Como todo começo, em 2006, Newey não conseguiu levar muitos pontos, e em 2007, por culpa do motor Renault (RS16) abandonando 7 corridas, não pontuaram muito e nem tiveram participação expressiva. De 2008 a 2010, a equipe foi evoluindo em design e em mecânica, e finalmente chegou ao seu topo, com o primeiro título de Vettel e mais um para a conta de Newey. Com este feito, o Inglês se tornou o primeiro engenheiro da Fórmula 1 a ser campeão em três equipes diferentes.

O título de 2011 veio de forma tranquila para as mãos da Red Bull Racing, que já foi campeã dos construtores 4 corridas antes do final da temporada, no GP do Japão. No ano seguinte, a equipe suou um pouco mais, mas não pelo carro e sim porque a Ferrari havia “chegado” a eles em desenvolvimento, e Fernando Alonso QUAAAASE foi campeão com sua Ferrari, mas Vettel levou no GP do Brasil de 2012 e trouxe mais um título a Newey.

2013 foi o último título de Newey, na Fórmula 1, foi com MUITO estilo: as duas RBR dominaram a temporada completa, e os dois pilotos competiram entre si o título de pilotos.

Além de engenheiro e designer, Newey também coleciona carros esportivos e já até pilotou, mas destruiu um Ford GT40 em 2006, em uma corrida de Le Mans (The Le Mans Legend Race).

Newey tem também um título concedido pela realeza, o chamado “OBE” Officer Of The Order Of The British Empire, que é concedido aos maiores colaboradores das artes e ciências.

Erika Prado

Erika Prado, Ericoke, São Paulo - SP Nascida e criada na zona Lost, tornou-se podcaster devido a Bruno Shinosaki, e colunista devido a Rubens GP Netto. Estudante de engenharia mecânica, e apaixonada por qualquer máquina que precise de um coração (motor). Além de fã de automobilismo, é cinéfila e ama música de quase todos os gêneros (principalmente as que dão pra fazer coreografia), gosta de escrever textos como se estivesse contando algo pra alguém ou defendendo alguém em uma conversa, com memes, desenhos e até gráficos. Também ama auto-conhecimento, saúde mental e principalmente: a causa feminista. E não sabe ser breve...

%d blogueiros gostam disto: