GP do Japão – Contra previsão da Pirelli, equipes brincam com estratégia e Valtteri Bottas vence a corrida em Suzuka

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

O domingo começou só sorrisos para a Ferrari, pois Sebastian Vettel obteve a pole, mas o começo da prova não foi dos melhores para o alemão, que surpreendido por ataque de Valtteri Bottas, se viu perdendo a dianteira. O alemão que havia largado mal, passou a se defender dos ataques de Lewis Hamilton, enquanto Charles Leclerc e Max Verstappen acabaram se tocando.

A prova teve seguimento e as paradas começara, Vettel utilizou um segundo jogo de pneus macios, deixando claro que precisaria de mais uma parada, já que existe a necessidade de utilização de dois compostos diferentes. No entanto pouco depois a Mercedes mesmo instalando os pneus médios em Bottas, anunciou que uma segunda parada estava em seus planos.

Os desgastes dos compostos das flechas de prata, eram baixo e com os pneus médios o consumo foi bem reduzido, eles poderiam facilmente continuar o seu passeio na pista se assim desejassem. Vettel foi aos boxes novamente na volta 32, retornando na terceira posição e assim entregou o segundo lugar para Hamilton, mas a prova ainda estava longe de acabar.

Bottas foi mais uma vez aos boxes, retornando com os pneus macios e questionava a estratégia da equipe, pois desta forma estava entregando a primeira posição de bandeja para Hamilton, no entanto eles confirmavam uma segunda parada que também estava programada para o carro do inglês.

O novo pit-stop de Hamilton demorou para acontecer, mas foi realizada na volta 43, mesmo com os pneus com boa durabilidade e assim Bottas retomava a ponta, podendo realizar uma corrida tranquila. Mas atrás as coisas ainda não estavam resolvidas e o inglês passou a caçar o alemão, na tentativa de terminar na segunda posição.

A disputa ”estilo gato e rato” permaneceu até a última volta, mas Vettel conseguiu se manter firme, cruzando a linha de chegada na segunda posição, com Hamilton em terceiro, enquanto Pérez era visto batendo, após um toque com Pierre Gasly da Toro Rosso.

Alexander Albon terminou a prova na quarta posição, após um embate com Lando Norris ainda no início da prova. O tailandês representou a Red Bull no grid, pois Max Verstappen após a batida com Leclerc, perdeu rendimento e optou por abandonar a prova.

Carlos Sainz ficou com o quinto lugar com a McLaren, o espanhol teve uma boa largada e um ótimo desenvolvimento na corrida. Charles Leclerc veio logo atrás no sexto lugar, realizando uma corrida em modo de recuperação, pois precisou trocar a asa dianteira e caiu para a última posição.

Mas quem teve um ótimo final de semana mesmo, foi a Renault, Daniel Ricciardo ficou com a sétima posição, enquanto Nico Hulkenberg terminou a prova em décimo. Mesmo com a batida, Pierre Gasly ficou a oitava posição, seguido por Sergio Pérez em nono, Lance Stroll realizou uma boa prova e quase chegou entre os dez, mas teve que se contentar com a décima primeira posição.

Sebastian Vettel ainda foi questionado sobre a largada, pois o alemão parecia que havia queimado ela, no entanto dentro do regulamento está prevista uma pequena movimentação, antes das luzes vermelhas se apagarem e assim os comissários optaram em não punir ele. Por outro lado o incidente de Leclerc e Verstappen não foi resolvido enquanto a prova acontecia e assim novas reviravoltas podem se seguir, pós-corrida.

A Fórmula 1 retorna em 25 de Outubro, para a realização do primeiro treino livre do Grande Prêmio do México.

lll Saiba como foi a Corrida

Na pista a temperatura estava na casa dos 39°C, com 21°C no ambiente.

O grid de largada foi: 1º Vettel, 2º Leclerc, 3º Bottas, 4º Hamilton, 5º Verstappen, 6º Albon, 7º Sainz, 8º Norris, 9º Gasly, 10º Grosjean, 11º Giovinazzi, 12º Stroll, 13º Raikkonen, 14º Kvyat, 15º Hulkenberg, 16º Ricciardo, 17º Pérez, 18º Russell, 19º Magnussen. Kubica 20º colocado, começou a corrida dos boxes.

 

Volta 1: Valtteri Bottas largou muito bem e com isso assumiu a ponta, deixando Vettel na segunda posição que iniciou a prova muito lento, acompanhado por Leclerc e Hamilton. O monegasco acabou se tocando com Max Verstappen que rodou e foi parar na décima nona posição. O toque foi lateral e Leclerc foi empurrando o holandês até tira-lo para fora da pista.

 

O carro de Leclerc ficou com a asa dianteira danificada, mas o piloto permaneceu na pista por um pouco mais de tempo, mesmo com o carro se desintegrando.

Volta 3: Hamilton seguia atacando o monegasco, mas não conseguia realizar a ultrapassagem.

Volta 4: Finalmente o monegasco foi para os boxes e com isso a Ferrari realizou a troca da asa dianteira, instalando os pneus médios. Leclerc passava a ser o último colocado.

Lando Norris e Alexander Albon se tocaram, quando o tailandês passou a atacar o piloto da McLaren para conseguir a posição.

Volta 5: Lando Norris seguia para os boxes após o toque, retornando com os pneus médios.

Volta 7: Leclerc passava a ser o décimo oitavo colocado, enquanto Verstappen era visto em décimo sexto.

Daniel Ricciardo ultrapassou Antonio Giovinazzi e obteve a décima posição.

O incidente entre Norris e Albon não seria investigado, no entanto os comissários passaram a dar atenção ao incidente entre Leclerc e Verstappen, lance da primeira volta.

Volta 8: Raikkonen ultrapassava Kvyat, subindo para a décima quarta posição,

Volta 9: Verstappen encontrava mais dificuldades para crescer em pista e com isso era ultrapassado pelo monegasco, sendo deixado em décimo sétimo.

 

Volta 10: Carlos Sainz e Alexander Albon eram vistos disputando a quarta posição, com o tailandês andando abaixo de um segundo na tentativa de realizar a ultrapassagem no piloto da McLaren.

Os comissários eram solicitados no GP do Japão, pois Sebastian Vettel passou a ser investigado por queima de largada.

Volta 11 – As posições eram: Bottas, Vettel, Hamilton, Sainz, Albon, Gasly, Stroll, Hulkenberg, Pérez e Ricciardo; os nove primeiros estavam com os pneus macios, enquanto o australiano da Renault, utilizava os pneus médios.

Volta 12: Charles Leclerc seguia escalando o grid, passando a ser o décimo quinto colocado, após ultrapassar Kvyat. Enquanto isso, Verstappen que tinha um carro completamente desequilibrado, permanecia no décimo sétimo lugar.

Volta 13: Raikkonen deixava o carro largo dificultando a vida do piloto da Ferrari. O finlandês utilizava Romain Grosjean para defender a posição, pois podia abrir a asa móvel ao mesmo tempo que o monegasco.

Volta 14: Leclerc finalmente ultrapassava Raikkonen e passava a atacar Grosjean.

Volta 15: Max Verstappen seguia para os boxes, abandonando a prova.

 

Volta 16: Bottas tinha mais de seis segundos de vantagem para o segundo colocado.

Alexander Albon realizava a sua parada, retornando com os pneus médios na décima primeira posição.

Volta 17: Vettel realizava a sua parada, frendo bruscamente antes do acionamento do limitador de velocidade e com isso o alemão retornava na quarta posição, com novos pneus macios.

Volta 18: Bottas era chamado para os boxes, retornando com os pneus médios na segunda posição. Magnussen também realizou a sua parada, abandonando os pneus médios e passando a utilizar os compostos duros.

Sebastian Vettel ultrapassava Sainz que havia herdado a posição, após a troca de pneus do alemão.

Volta 19: A movimentação nos boxes era grande e com isso Gasly, Stroll e Giovinazzi, seguiam juntos aos boxes. O francês quase acertou um dos mecânicos da Alfa Romeo que estava se preparando para a parada do italiano.

Volta 20: Hulkenberg e Pérez foram aos boxes.

Volta 22: Foi a vez da Mercedes realizar a parada de Lewis Hamilton. Entre os dez primeiros, apenas Sainz 4º, Ricciado 6º e Kvyat 8º não haviam realizado nenhuma parada.

Volta 24: A Williams optou por levar Robert Kubica primeiro aos boxes, já George Russell seguia na décima sexta posição com os pneus médios.

Volta 25: Lance Stroll quase acertou Lando Norris, os pilotos estavam disputando a décima posição.

Volta 26: Stroll conseguia a décima posição e passava a atacar Kvyat rapidamente.

Sebastian Vettel estava separado de Veltteri Bottas por mais de 11 segundos.

Leclerc e Norris realizaram a segunda parada, o monegasco retornava em décimo primeiro, com o piloto da McLaren em décimo sétimo. O primeiro passou a utilizar os pneus macios, enquanto o outro apostava nos compostos duros.

Russell finalmente realizou a sua parada.

Volta 27: Foi a vez de Sainz ser chamado aos boxes.

Stroll que era o oitavo colocado, havia atacado Hulkenberg para obter a posição e logo depois Pérez passava a atacar o alemão da Renault.

Volta 30 – As posições eram: Bottas, Vettel, Hamilton, Albon, Ricciardo, Sainz, Gasly, Stroll, Hulkenerg e Pérez. Entre os dez primeiros apenas o alemão da Ferrari, utilizava os pneus macios. Lewis passou a diminuir a diferença para o segundo colocado, que era de pouco mais de quatro segundos.

Volta 32: Vettel realizou a segunda parada e assim o alemão tinha os pneus médios instalados, mas perdia a segunda posição para Hamilton e a diferença entre eles passava a ser de mais de 20 segundos.

 

Volta 34: Leclerc havia chegado em Gasly, o monegasco tentava obter a sexta posição. O GP do Japão era altamente disputado, com diversas ultrapassagens no circuito.

Volta 35: Albon na quarta posição, conseguia realizar mais uma parada, retornando com os compostos macios.

Volta 37: Como a Mercedes já havia determinado, Bottas foi aos boxes mais uma vez, abandonando a liderança da prova e assim Hamilton se tornava o primeiro colocado. O finlandês retornou com os pneus macios.

 

Volta 39: Vettel realizou a volta mais rápida da prova, cravando 1:32:122.

Volta 40 – As posições eram: Hamilton, Bottas, Vettel, Albon, Sainz, Leclerc, Gasly, Stroll, Hulkenberg e Pérez.

Volta 43 – Lewis Hamilton parava mais uma vez nos boxes, retornando com os pneus macios na terceira posição. Sergio Pérez também realizava mais uma parada, retornando em décimo primeiro.

Volta 44: A diferença entre Hamilton e Vettel era de pouco mais de três segundos e o inglês passava a ameaçar a segunda posição do alemão. Rapidamente o piloto da Mercedes roubou a melhor volta, anotando 1:31:538.

Volta 45: Nico Hulkenberg deixava Daniel Ricciardo ultrapassá-lo, para obter a posição de Stroll logo depois.

Volta 48: Charles Leclerc realizou mais uma parada, retornando com os pneus macios, para tentar a volta mais rápida.

 

Volta 51: Hamilton seguia atacando Vettel e eles encontravam os retardatários e com isso o alemão conseguia se defender dos ataques do inglês. Vettel também deixava o carro largo, para evitar a ultrapassagem.

Volta 53: Bottas cruzou a linha se chegada na primeira posição, com uma vantagem de mais de 13 segundos para Vettel. Hamilton foi o terceiro colocado, com os pneus totalmente desgastados na tentativa de ultrapassar o alemão.

Pérez acabou batendo na última volta, após um toque com Gasly e assim a corrida terminou com bandeira amarela no primeiro setor.

 

 

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!