GP do Bahrein – Hamilton vence, mas Charles Leclerc é a estrela da corrida maluca

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Certamente o GP do Bahrein tem nome e isso é indiscutível, Charles Leclerc foi um monstro. Mesmo perdendo a posição de largada para Sebastian Vettel e Valtteri Bottas, não mediu esforços para retornar ao primeiro lugar. Não teve problemas em travar boas disputas com o companheiro de equipe para se manter na frente e depois estabeleceu uma boa vantagem para o segundo colocado. A corrida dava indícios da sua primeira vitória na categoria, mas tudo mudou antes da bandeirada final.

As equipes apostaram em duas paradas, Hamilton passou a brigar com Vettel que rodou e precisou realizar um pit-stop extra para instalar um novo bico no carro. O inglês se estabeleceu em segundo e tinha cara de permanecer ali mesmo, mas a Ferrari seria surpreendida com a perda do sistema de recuperação de energia no carro do monegasco.

O tempo de Leclerc começou a decair nas últimas voltas, rapidamente, Hamilton passou e Bottas que estava separado a mais de 26 segundos, começou a se aproximar. O finlandês foi outro que passou pelo piloto da Ferrari sem cerimônia e Max Verstappen vinha acelerando para fazer o mesmo.

Como a corrida ainda não tinha terminado, algumas surpresas estavam por se desenhar, os dos carros da Renault enfrentaram uma pane e pararam no setor 1, provocando a entrada do Safety Car, que permaneceu até o último giro. Sem a possibilidade de ocorrer uma relargada, Hamilton recebeu a bandeirada na frente, seguido por Bottas e a posição de Lelcerc foi mantida sem ameaças.

Como já foi citado a cima, não foi uma corrida fácil, Verstappen tentou subir ao pódio hoje, Vettel perdeu essa chance ao rodar quando se encontrou com Hamilton e isso acabou dando outro cenário para a prova. Muito possivelmente era para Vettel estar vencendo a corrida ou auxiliando para uma possível vitória de Leclerc. De qualquer forma o Bahrein foi dominado pela Ferrari.

Lando Norris levou a McLaren ao sexto lugar. Sainz se quer terminou a prova por conta de uma batida com Max Verstappen que comprometeu toda a sua corrida. Raikkonen defendeu bravamente o sétimo lugar, mas foi beneficiado pelo abandono dos carros da Renault. Gasly ficou entre os dez, levando mais um carro da Red Bull a pontuação, depois de uma prova de classificação bem ruim. Alexander Albon, pontuando pela primeira vez com a Toro Rosso, se garantiu em nono, seguido por Sergio Pérez da Racing Point.

A Fórmula 1 retorna dentro de 15 dias, para a corrida de número 1000, na China.

lll Saiba como foi a Corrida no Bahrein

Os ventos estavam fortes antes da prova, a umidade no ar estava em 54%. A temperatura no asfalto em 30°C, com 26° no ambiente, nesta tarde, começo de noite barenita.

Romain Grosjean após ser punido na classificação, perdeu três posições no grid de largada e de oitavo, foi para a décima primeira posição, desta forma Raikkonen acabou herdando o oitavo lugar.

https://twitter.com/F1/status/1112372680211210241

Sebastian Vettel assumia a ponta, com Leclerc em segundo. Bottas saltava para a terceira posição e logo depois atacava Leclerc para ser o segundo colocado. O monegasco começou travando tudo. Uma bandeira amarela era acionada no início da prova.

Após a primeira volta as posições eram: Vettel, Bottas, Leclerc, Hamilton, Verstappen, Sainz, Magnussen, Raikkonen, Ricciardo e Pérez.

Na entrada na primeira curva, Leclerc pressionava Bottas e conseguia realizar a ultrapassagem, já deixando o piloto da Mercedes para trás. O inglês também aproveitou o momento para retornar a terceira posição.

Lance Stroll e Grosjean após se tocarem, realizaram um pit-stop mais longo, com o piloto da Racing Point, precisando trocar o bico do carro e o francês com o pneu traseiro furado.

Carlos Sainz tentava realizar uma ultrapassagem na quarta volta, em Max Verstappen, mas depois do toque, começava a perder posições no grid, por ter ido para fora da pista. O espanhol tinha um pneu furado e realizava a sua primeira parada nos boxes.

Charles Leclerc no giro seguinte, começava a atacar o companheiro de equipe, andando a menos de um segundo atrás do alemão e pouco depois conseguia realizar a ultrapassagem no companheiro de equipe na volta 6. Os dois começaram a disputar a primeira posição, com o Vettel tentando devolver a ultrapassagem.

Para se manter na ponta, o monegasco as vezes extravasava os limites de pista, algo até comum quando não se tem um ponto de referência e está defendendo a posição.

Na nona volta, Norris segurava Magnussen, que por sua vez defendia o décimo lugar de Gasly.

No entanto na volta seguinte, os pilotos deram início a janela de paradas nos boxes, Raikkonen, Albon e Gasly trocavam os seus pneus, o primeiro retornava com os macios, já os demais, apostavam no uso dos supermacios.

Durante a volta onze, era a vez de Norris e Magnussen seguirem para o pit, retornando com os compostos macios.

Com as paradas, Robert Kubica e Russell subiam no grid, se tornando o décimo primeiro e o décimo segundo colocado, respectivamente.

Dando pinta de duas paradas, Max Verstappen trocava os pneus supermacios, pelos macios. Kubica também era chamado pela Williams, colocando os compostos supermacios.

Na décima terceira volta, a Mercedes chamava Bottas, assim como a Renault parava Hulkenberg. Hamilton se aproximava de Vettel, mas abandonava a disputa no giro seguinte após a Mercedes parar parar o inglês. Kvyat e Giovinazzi brigaram por espaço na pista, até que os dois se tocaram e o piloto da Toro Rosso foi parar fora da pista.

A equipe alemã tinha uma outra estratégia para Hamilton, pois instalava os compostos supermacios, enquanto Bottas tinha os macios instalados. Leclerc também fora chamado pela Ferrari, que passou a utilizar os compostos macios.

Vettel após seguir aos boxes na décima quinta volta, perdia a posição para Hamilton nos boxes. O alemão tinha mais de um rival na pista, nesta altura da prova.

Com dezesseis voltas, as posições eram: Leclerc, Hamilton, Ricciardo, Vettel, Bottas, Verstappen, Raikkonen, Giovinazzi, Hulkenberg e Norris. Entre os dez primeiros apenas o australiano e o espanhol, não tinham realizado pelo menos uma troca de pneus.

Leclerc seguia com a volta mais rápida da corrida. Ricciardo era facilmente ultrapassado, pois lutava com pilotos que tinham pneus em melhores condições que as dele. No décimo primeiro lugar, Gasly defendia a posição de Magnussen e Albon.  Kvyat era punido por estar em velocidade superior, a permitida nos boxes e Grosjean abandonava a corrida na volta 18.

Sem a movimentação das paradas, a situação na pista era: Leclerc conseguia abrir mais de cinco segundos de vantagem para Hamilton. Vettel começava a diminuir a diferença para o inglês que mesmo de compostos novos, já começava a sentir o desgaste deles. O alemão seguia confortável na pista, pois tinha mais de oito segundos de vantagem para Bottas.

Na parte de trás do grid, Hulkenberg conseguia a sétima posição, após ultrapassar Raikkonen na vigésima segunda volta. Vettel andava a menos de um segundo, conseguindo utilizar a asa móvel, para tentar a aproximação.

Durante a volta 23, Vettel depois de chegar, conseguia retomar ao segundo lugar. O inglês tinha os compostos traseiros bem desgastados. Leclerc ampliava a sua diferença, para mais de 8 segundos.

Carlos Sainz andando no final do pelotão, realizava mais uma parada, agora colocando os pneus médios. Albon acompanhava o espanhol, mas retornando de pneus macios.

A nova janela para os pilotos que optaram por instalar os compôs macios e realizar duas paradas, fora aberta na décima oitava volta e os pilotos que estavam abaixo dos dez primeiros, deram início as paradas nos boxes.

Com 30 voltas completadas, as posições eram: Leclerc, Vettel, Hamilton, Bottas, Verstappen, Hulkenberg, Norris, Raikkonen, Gasly e Pérez.

Três giros depois, Verstappen e Hulkenberg eram chamados para a sua parada. Verstappen atacava Raikkonen pela sexta posição. O holandês acabou tendo problemas no pit-stop, com dificuldade para prender o pneu dianteiro esquerdo. O alemão passou a usar os compostos macios, assim como Verstappen.

E ai as coisas voltaram a esquentar, Raikkonen e Pérez também seguiam aos boxes. O primeiro retornava com os supermacios, enquanto o outro também investia nos macios.

Na volta 35 Hamilton após usar dos pneus supermacios, passava a ter os macios instalados.

Lando Norris e Vettel, eram chamados na volta 36. A Ferrari respondia a parada do inglês, conseguindo retornar na sua frente, também de pneus macios. Leclerc seguia na ponta, com Bottas em segundo.

A parada decisiva ocorria na volta 37, Leclerc retornava na ponta com compostos macios. Vettel e Hamilton atrás brigavam roda com roda, valendo a disputa pela segunda posição, já que Bottas teria que parar mais uma vez.

O alemão e o inglês pegavam fogo, enquanto Bottas se dirigia aos boxes. Durante a volta 38 Vettel acabava rodando, após tentar se defender da ultrapassagem de Hamilton. O piloto da Ferrari começava a perder posições e ainda perdia a asa dianteira na curva 10, tendo que seguir mais uma vez aos boxes para trocar o bico dianteiro do carro, que se soltou quando ele tentava se posicionar na pista. O alemão retornava em oitavo com os compostos supermacios.

Hulkenberg e Ricciardo se tocaram, com alemão passando por cima da asa dianteira do australiano e companheiro de equipe.

Leclerc na ponta tinha 9 segundos de vantagem para Hamilton. Bottas era o terceiro. Verstappen não era ameaçado, pois estava separado por mais de 26 segundos para quinto colocado que era Hulkenberg.

Vettel neste momento tentava a ultrapassagem no alemão da Renault e concluía ela na volta 43.

Lando Norris se defendia de Ricciardo, para garantir a sétima posição e com essa disputa, Raikkonen se aproximava dos dois. Na volta 46 o finlandês conseguia  se colocar em oitavo, ao ultrapassar o australiano.

A diferença entre Leclerc e Hamilton começava a cair e na volta 47, passava a ser de pouco mais de 5 segundos, terminando a volta em três segundos.

O monegasco tinha perdido o sistema de recuperação de energia e impedia a sua defesa pois Hamilton conseguia ultrapassar na volta 48. A diferença para Bottas era maior, com 27 segundos, no entanto ela começava a cair rapidamente.

Com 50 voltas, as posições eram: Hamilton, Leclerc, Bottas, Verstappen, Vettel, Hulkenberg, Norris, Raikkonen, Ricciardo e Gasly.

Na volta 54, Leclerc perdia a segunda posição para Bottas, com Verstappen com grandes chances de ultrapassar o monegasco.

Hulkenberg e Ricciardo abandonaram a prova, com os dois carros apagando ao mesmo tempo. O safety car era acionado a duas voltas para o final. Carlos Sainz também recolhia o carro para os boxes da McLaren.

A corrida terminava com o carro de segurança na pista, com ele recolhendo na última curva, mas sem ocorrer a relargada. Desta forma Charles Leclerc conseguia garantir a sua terceira posição.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.