Fórmula E Fashion Show [ou o guia das equipes da Fórmula E 2018-19]

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Nesse post apresento para vocês o desfile dos Gen2 que abrilhantarão a 5ª temporada da ABB FIA Fórmula E. São 11 equipes na passarela – ou melhor, no grid – e algumas mudanças interessantes aconteceram desde o fim da temporada passada. Todos prontos? Vamos lá!

lll 1.: Audi Sport Abt Schaeffler

A atual campeã de construtores da Fórmula E investe mais uma vez em cores vibrantes na pintura de seus carros.

Presente na categoria desde a primeira temporada, a Audi sempre se mostrou uma equipe competitiva, seu auge veio justamente na temporada passada quando a equipe conquistou o campeonato de construtores. A marca alemã, inclusive, deixou o WEC em 2016 e para dedicar-se à F-E, a decisão parece ter sido bastante acertada.

Na temporada 2018-19, a dupla de pilotos será mantida, o alemão Daniel Abt e o brasileiro Lucas di Grassi, aliás, a Audi é a única equipe que tem a mesma dupla desde a primeira temporada.

Com vocês, o Audi e-tron FE05:

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 2.: BMW i Andretti Motorsport

Nas quatro primeiras temporadas da F-E, a BMW atuou como uma parceria da Andretti, no entanto, os problemas técnicos enfrentados pela equipe fizeram com que a gigante alemã assumisse o controle da parceria formada com a tradicional marca americana, tornando-a uma garagista. Os primeiros frutos já foram colhidos, a BMW i Andretti Motorsport dominou a pré-temporada em Valência e já é apontada como uma das favoritas ao título.

A dupla de pilotos é formada pelo inglês Alexander Sims – estreante na categoria – e pelo português Antônio Félix da Costa – que também disputa o DTM ao lado do brasileiro Augusto Farfus.

A pintura da equipe é referente ao logotipo da BMW, as cores azul e branca se alternam para formar o já conhecido emblema alemão, um dos meus preferidos.

Eis o BMW iFE.18:

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 3.: Dragon

A equipe Dragon pode ser considerada como uma “cria” da IndyCar. Fundada por Jay Penske e Steve Luzco, equipe competiu na Indy de 2007 a 2014. Na Fórmula E, ela pode ser considerada um time do meio do grid. Com duas vitórias e 9 pódios, o destaque da equipe é o argentino José Maria “Pechito” Lopez, piloto da marca desde a temporada passada. O segundo cockpit é de Maximilian Günther, o alemão de 21 anos terminou em 14º lugar na F2 de 2018, o jovem piloto substitui Jerome d’Ambrosio que estava na equipe desde 2014 agora é piloto da Mahindra.

A pintura do carro – o Penske EV-3 – é totalmente diferente do branco e vermelho da temporada passada. O Gen2 da Dragon agora tem cor de chumbo, será que a equipe se empolga com a nova cor e consegue mais vitórias em 2019?

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 4.: HWA Racelab

A novíssima HWA é a caçula da turma e chega para ser exatamente o que seu nome diz: um laboratório de corridas. Isso porque a equipe é a primeira experiência da Mercedes na F-E, a super montadora alemã deve chegar com seu próprio nome na temporada 2019-20. A palavra de ordem é aprendizagem, além de ser um time estreante, seus pilotos são novatos na categoria também: Gary Paffett, que veio do DTM, e Stoffel Vandoorne, ex-piloto da McLaren na F1.

Os carros são majoritariamente na cor grafite com detalhes naquele tom meio verde meio azul da Mercedes e foram fornecidos pela “prima” Venturi (explico mais à frente), tomara que seja bom de briga.

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 5.: Panasonic Jaguar Racing

Prestes a iniciar sua terceira temporada na Fórmula E, a Jaguar precisa mostrar serviço para mostrar um desempenho condizente com seu nome. A montadora britânica terminou a última temporada em 6º lugar no campeonato, parece pouco, mas diante de tantos problemas e abandonos, o resultado pode ser considerado “satisfatório”. A dupla de pilotos permanece a mesma, como o brasileiro Nelson Piquet Jr e o neozelandês Mitch Evans.

Apostando na primeira vitória, a equipe batizou seu Gen2 de Jaguar I-Type III e manteve a pintura bastante parecida com a do ano passado, carro cinza-grafite com detalhes em azul claro. Pra quem achou bem parecido com o da HWA, vai a dica: o da Jaguar tem detalhes azuis na cobertura dos pneus

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 6.: Mahindra Racing

A montadora indiana está na F-E desde 2014 e viu sua primeira vitória chegar na primeira prova da rodada dupla do ePrix de Berlim em 10 de junho de 2017. O dono da marca é o sueco Felix Rosenqvist, ele ainda conquistaria mais duas vitórias na temporada 2017-18: Hong Kong e Marraquexe. Para a 5ª temporada, Felix deixa a equipe para disputar a IndyCar pela Ganassi, abrindo assim as portas para o belga Jerome D’Ambrosio e para o alemão Pascal Werhlein, que substitui o compatriota Nick Heidfeld.

Ano passado a equipe indiana teve um bom início de temporada, mas depois acabou enfrentando problemas, será que nessa temporada ela conseguirá ser mais consistente? O Gen2 indiano tem cores branca e vermelha, gostou?

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 7.: Nio Formula E Team

A metamorfose da Nio começou quando a equipe se chamava Team China Racing, vindo a se tornar a NextEV ainda na temporada 1 – time pelo qual Nelsinho Piquet foi campeão na primeira temporada da F-E. Tornou-se Nio apenas no ano passado. A equipe chinesa, que também é uma fabricante de carros de rua, tem uma das pinturas mais bonitas do grid. As cores branca e azul claro estampam a lataria do Nio 004, que será pilotada por Oliver Turvey (Inglaterra) e Tom Dillman (França).

Desde que assumiu a nova identidade, o time chinês ainda não conquistou nenhuma vitória, vamos torcer para o lugar mais alto do pódio venha dessa vez!

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 8.: Nissan E.Dams

Novata só no nome, a Nissan tenta conquistar seu espaço na Fórmula E. Até a última temporada, a equipe era conhecida pelo nome da “irmã” Renault, as duas marcas fazem parte de um conglomerado mundial que ainda conta com a japonesa Mitsubishi. Quinta colocada na temporada passada, a então Renault conseguiu 3 vitórias com o suíço Sebastien Buemi, enquanto seu companheiro, Nico Prost, teve como melhor resultado um 8º lugar em Hong Kong. Buemi, que foi campeão da F-E pela Renault na 2ª temporada, busca mais um título. O outro assento demorou para achar um dono, a equipe dispensou Prost e chegou a anunciar o piloto tailandês da F2, Alex Albon, mas o acordo foi desfeito, pois Albon conseguiu um lugar na F1 com a Toro Rosso. No fim das contas foi Oliver Rowland quem garantiu a última vaga disponível na Fórmula E. O britânico tem 26 anos, é piloto Júnior Williams na F1 e terminou a GP2 em 3º lugar em 2017.

Ah! O carro é prateado com detalhes na cor chumbo, elegante.

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 9.: DS Techeetah Formula E Team

Falando em elegância, a Techeetah investiu mais uma vez no preto com dourado para a pintura de seus carros. A marca chinesa se uniu aos franceses da DS (que pertence ao grupo Citroën e estava com a Virgin ano passado) para tentar ganhar o título de construtores perdido para a Audi na última corrida de 2018. O francês Jean-Eric Vergne (atual campeão da F-E) mostrou toda a sua experiência e talento para liderar o time rumo ao título, infelizmente, seu companheiro, o alemão tricampeão da Le Mans Andre Lotterer, teve diversos problemas durante o campeonato e o mundial escapou por dois pontos (264 a 262). Para a quinta temporada, a dupla de pilotos, ou #JeAndre, foi mantida.

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 10.: Envision Virgin Racing

Presente na Fórmula E desde 2014, a Virgin disputou o título de construtores da temporada passada até a última prova, mas acabou ficando em 3º lugar. A equipe de Richard Branson, que competiu na F1 em 2010 e 2011, colocou-se entre os grandes times da F-E e espera a consolidação do trabalho na 5ª temporada. Esse ano, a Virgin utilizará trens de força fornecidos pela Audi, os mesmos e-tron FE05 usados pelos carros alemães.

O britânico Sam Bird, terceiro na disputa de pilotos na temporada 4, mantem-se na equipe e agora terá um novo companheiro, o holandês Robin Frijins que está de volta à Fórmula E – Frijins pilotou pela Andretti nas temporadas 2 e 3.

O Gen2 da Virgin chega com o já tradicional roxo da equipe.

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

lll 11.: Venturi

Vinda de Mônaco, a Venturi é uma veterana na Fórmula E, estando presente desde o início, em 2014. A equipe em ascensão investiu pesado nessa 5ª temporada trazendo nomes de peso, como Felipe Massa e Susie Wolff, que será a nova diretora do time. A Venturi é dona de um recorde surpreendente, em 2016 um veículo da marca quebrou o recorde de velocidade de carros elétricos ao atingir incríveis 576 km/h, o teste aconteceu no deserto de Bonneville (EUA).

Os carros prateados (com detalhes azuis) da Venturi serão pilotados por Felipe Massa (Brasil) e Edoardo Mortara (Suíça).

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

E aí, gostou do desfile? Qual o seu preferido? Deixe sua resposta nos comentários. E não esquece, a 5ª temporada da Fórmula E começa dia 15 de dezembro em Al Diryah, na Arábia Saudita.

Cinthia Maria

Cinthia Venâncio comenta zoeiramente a Fórmula 1 desde os sete anos de idade e nas horas vagas é profissional de marketing, fotógrafa, doceira, redatora e revisora. Como todo bom cearense, nunca diz não a um baião de dois com queijo coalho e carne de sol. Aprecia rock do bom, não tem vergonha de dizer que não é fã do Tarantino e sempre é a motorista da rodada. Geralmente esquece o que não deveria