ColunistasFórmula 1Post

Ferrari encerra mais um dia de testes em destaque, Carlos Sainz lidera penúltimo da pré-temporada

O segundo dia de testes foi mais uma vez agitado no Bahrein, as equipes que levaram atualizações, aproveitaram para verificá-las. Quilometragens altas também são uma prioridade, pois as equipes precisam saber a duração dessas peças, mas também foi natural ver alguns problemas surgindo pelo caminho.

A Ferrari restou algumas voltas rápidas, ainda que estivesse controlando todo o seu potencial, é o único time que ainda não lidou com quebras. Carlos Sainz anotou 1m33s532, ficando com a primeira posição. O segundo lugar de Max Verstappen foi obtido próximo ao final da sessão, o holandês anotou 1m34s011. Alguns pilotos aproveitaram para testar os pneus mais macios neste final de atividade, desta forma vimos Lance Stroll assumindo o terceiro lugar, anotando 1m34s064. Lewis Hamilton foi empurrado para o 4º lugar, uma posição à frente de Esteban Ocon e sua marca registrada pela manhã.

Sábado será o último dia de testes no Bahrein, onde talvez os times reservem um tempo para fazer algumas voltas rápidas, avaliando os carros com o tanque mais vazio. Está será a última oportunidade para verificar os seus carros e acertos, antes que a temporada comece na próxima semana.

A pergunta que se estende por estes dias é: a Mercedes realmente acertou após tornar o seu carro mais fino? As atualizações estão funcionando?

Manhã de testes no Bahrein – Ocon lidera com 1m34s276

Treinaram pela manhã: Esteban Ocon, Charles Leclerc, Max Verstappen, Sebastian Vettel, Valtteri Bottas, Lando Norris, Yuki Tsunoda, Mick Schumacher, George Russell e Nicholas Latifi.

Antes do pit-lane ser liberado, a McLaren confirmou que Lando Norris continuaria as avaliações do MCL36, nesta manhã no Bahrein. Daniel Ricciardo não estava se sentindo bem ainda, o piloto australiano ficou fora do primeiro dia de atividades no Bahrein. Foram realizados testes de Covid-19, mas todos deram negativo. Se o piloto estivesse melhor à tarde, realizaria o revezamento com Norris.

Valtteri Bottas deixou os boxes com as grades que verificam a passagem do fluxo na parte traseira, mas o piloto chinês ficou completando apenas voltas de instalação. O mesmo tipo de grade estava localizado na parte traseira do carro da Mercedes, próximo da asa traseira. Uma nova rodada de testes aerodinâmicos aconteceu nos primeiros minutos da atividade.

A Mercedes estava desde a quinta-feira tapando as saídas de ar da carenagem com fita, para realizar algumas avaliações, enquanto na Red Bull, o time austríaco fechava as emendas da carenagem.

Nesta manhã a Alpine passou a executar a sua pintura rosa, eles vão usá-la nas duas primeiras corridas do ano. Esteban Ocon abriu a atividade da manhã na liderança, o piloto tinha 1m36s472 andando com os pneus médios. Em algumas de suas voltas Ocon escolheu acelerar em uma das partes do setor, deixando-o roxo, mas não tinha um ritmo excepcional nos outros setores. Instantes depois o piloto francês anotou 1m34s276, permanecendo na ponta. Os times não estavam entregando tudo, mas seguiam focados em avaliações necessárias.


Os ventos eram fortes, dava para observar que vários pilotos estavam perdendo o controle dos seus carros, travando os pneus e perdendo a traseira. Os novos carros não são tão fáceis de guiar por conta dos novos pneus de 18 polegadas, mas os ventos seguem influenciando no comportamento dos novos carros.

A Williams demorou para liberar Nicolas Latifi para a atividade, pois realizaram a troca do assoalho. Com cerca de duas horas de atividade, o piloto canadense provocou uma bandeira vermelha, os freios traseiros do seu carro começaram a pegar fogo, ele perdeu o controle da traseira e ficou parado na pista. O processo de apagar o fogo e remover o carro do circuito levou cerca de 30 minutos. A Williams iniciou um processo de verificação minucioso para compreender o que aconteceu com o carro.

Lando Norris começou a recuperar o tempo perdido próximo da última hora de atividades da manhã. A McLaren enfrentou problemas com os freios na quinta-feira, mas Norris acreditava que eles não seriam resolvidos rapidamente. Nos boxes eles perderam um pouco da ação na pista.

A Aston Martin não conseguiu fugir de problemas, Sebastian Vettel passou a lutar com o AMR22, a traseira do carro estava escorregando muito. Pouco depois o alemão ficou parado no traçado auxiliar, tentando fazer o carro funcionar. Já que as bandeira vermelhas não foram necessárias pela localização do carro, o retorno do equipamento aos boxes levaria um pouco mais de tempo.

Os testes de pré-temporada para a Haas parecem um grande pesadelo. A equipe começou os testes no Bahrein com atraso, pois a sua carga demorou para ser entregue. O time americano ganhou mais quatro horas para compensar o tempo perdido pelo atraso, entretanto, nesta manhã eles lideram com um problema no escapamento, o que fez o time perder alguns minutos valiosos nesta manhã. Mick Schumacher completou ao menos 23 voltas, antes de retornar aos boxes em definitivo.

Com menos de 15 minutos para o encerramento da manhã de testes, o regime de bandeira vermelha foi instaurado mais uma vez, só que desta vez sendo apenas um teste. Na quinta-feira o acionamento do Virtual Safety Car foi testado por duas vezes no traçado.

Quando a sessão foi retomada, alguns pilotos conseguiram testar a largada na reta principal do Bahrein, organizada pelo controle de corrida. Só que instantes depois Valtteri Bottas provocou a terceira bandeira vermelha do dia, desta forma a sessão foi encerrada.

Tabela de tempos, segunda manhã de testes no Bahrein – Foto: reprodução

Tarde

Os pilotos que assumiram os carros de suas respectivas equipes foram: Sainz, Stroll, Hamilton, Magnussen e Zhou.

Lando Norris deu continuidade aos testes com a McLaren, Daniel Ricciardo não estava completamente recuperado, portanto não guiou o MCL36. Desta forma o piloto inglês estava em contato constante com o carro, tentando recuperar o tempo perdido da McLaren no dia anterior após enfrentar problemas nos freios.

Tsunoda teria um dia todo com o carro da AlphaTauri, o japonês estava buscando uma forma de lidar melhor com o carro, pois foi mostrado várias vezes perdendo o controle do carro.

Os testes aerodinâmicos seguiram, a McLaren aplicou o flow-vis em seu assoalho. Os times tentaram apresentar novos assoalhos para amenizar o porpoising, realizando mudanças na parte superior e inferior dos carros.

McLaren realizou testes com o Flow-vis em seu assoalho – Foto: reprodução

Esteban Ocon seguiu no volante da Alpine, portanto provavelmente Alonso terá um dia completo com o A522 no sábado. O time francês não levou muitas atualizações para Barcelona, ele provavelmente está ocorrendo no Bahrein. Com poucos pacotes, os pilotos ficam na mesmice de realizar avaliações parecidas.

Os reparos no FW44 impossibilitaram a Williams de retornar para a pista e trabalhar durante a sessão vespertina. Para a Williams era uma péssima notícia, principalmente para Nicholas Latifi que completou apenas 12 voltas com o carro nesta manhã.

Kevin Magnussen teve o seu primeiro contato com o VF-22, este é o seu retorno à F1. O dinamarquês assinou o contrato com a Haas na quarta-feira, para assumir o carro na sessão da tarde nesta sexta-feira.

Durante a segunda hora de atividades, Carlos Sainz fez algumas voltas rápidas no circuito, o piloto colocou a Ferrari na liderança anotando 1m33s532 com o pneu médio. Ainda que estas voltas rápidas fossem realizadas de forma protocolar, ainda sem entregar tudo do carro. Lance Stroll também foi crescendo na tabela de tempos e acabou no segundo lugar anotando 1m34s064.

Tsunoda foi o primeiro piloto a passar das 100 voltas, enquanto Max Verstappen foi o segundo piloto a obter a maior quilometragem.

Durante a penúltima volta os pilotos lideram com fortes ventos, desta forma mais areia foi arrastada para a pista.

Com a última hora se aproximando, Lando Norris enfrentou problemas, o piloto da McLaren estava deixando o pit-lane quando ficou parado. A quarta bandeira vermelha do dia aconteceu, como o carro estava próximo, a equipe foi resgatá-lo, levando-o imediatamente aos boxes. O que causou o problema não foi sério, desta forma ele logo retornou à pista, completando mais voltas com o MCL36.

Lewis Hamilton assumiu a terceira posição quando usava o pneu C5, anotando 1m35s471, só que o melhor tempo obtido pelo inglês ocorreu na última hora disponível do segundo dia de testes no Bahrein.

Próximo ao encerramento da sessão, Max Verstappen anotou 1m34s011, enquanto Lance Stroll evoluiu a sua marca para 1m34s064. Hamilton foi empurrado para o quarto lugar mesmo conseguindo obter 1m34s141 com o W13.

Outra bandeira vermelha foi acionada quando a sessão estava nos seus últimos quinze minutos, mas novamente era uma questão de teste, assim como ocorreu ao final da manhã.

A pista foi liberada mais uma vez, mas Lance Stroll ficou parado próximo à saída dos boxes. Os mecânicos da Aston Martin se juntaram para recolher o carro e não atrapalhar o final da atividade.

Outra bandeira vermelha foi acionada quando a sessão estava nos seus últimos quinze minutos, mas novamente era uma questão de teste, assim como ocorreu ao final da manhã.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!