ColunistasDestaquesFórmula 1Post

Ferrari comete erro, perde pódio e vê Verstappen vencer na Hungria acompanhado de dupla da Mercedes

Max Verstappen faz corrida consistente e se aproveita de novo erro da Ferrari para conquistar a 28ª vitória da carreira

O GP da Hungria foi bem agitado, mesmo a prova sendo realizada em um traçado tão travado, as coisas esquentaram neste domingo na Hungria (31), a Ferrari que tinha plenas condições de realizar uma prova de contenção de danos, para retirar pontos da Red Bull, errou na estratégia e entregou mais uma vitória ao time austríaco.

Charles Leclerc não teve tempo para se recuperar do desastre na França, pois foi prejudicado pela Ferrari na Hungria. O monegasco que começou a corrida da terceira posição, fechou a prova no sexto lugar, justamente por conta da estratégia adotada pela Ferrari. Em primeiro lugar a equipe italiana segurou Carlos Sainz nos boxes para dar vantagem ao monegasco, pois o espanhol era P2.

A corrida seguiu e eles optaram por uma segunda parada, nesse momento instalaram pneus duros que fizeram Leclerc ficar vendido na pista. Para completar o erro, fizeram mais uma parada nos boxes, pois o monegasco perderia mais posições em pista.

Max Verstappen que começou a prova do décimo lugar, foi realizando ultrapassagens e viu a corrida mudar para o seu lado. O holandês até rodou, quando travou uma disputa com Leclerc, mas logo buscou o monegasco e assumiu a liderança da prova.

A estratégia da Ferrari ainda contribuiu com a Mercedes, Lewis Hamilton conquistou o segundo lugar, ultrapassando George Russell no final da corrida. O piloto dono do carro #63 fez uma corrida consistente, conseguiu administrar a liderança da prova por muito tempo, mas as paradas mexeram com a configuração em pista. A ultrapassagem de Hamilton em Russell era inevitável, pois o Lewis contava com pneus macios novos, contra os médios usados por Russell.

Carlos Sainz precisou se contentar com o quarto lugar, sem chances de disputar mais nada no final da prova. Sergio Pérez foi o quinto colocado, o piloto mexicano não rendeu muito na corrida, mas ainda obteve um resultado a favor do time por ter ficado à frente de Leclerc.

Lando Norris perdeu posições pós-largada, mas conquistou o sétimo lugar, seguido pelos pilotos da Alpine, onde Fernando Alonso superou Esteban Ocon. Os pilotos que correm pela equipe francesa se estraram durante toda a prova, o espanhol reclamou da conduta do companheiro de equipe, mas eles ainda contabilizaram pontos. Sebastian Vettel completou o Top-10 com o carro da Aston Martin.

A Fórmula 1 realiza uma breve pausa, retornando no final de agosto com o GP da Bélgica.

Saiba como foi o GP da Hungria 

Na última corrida antes das férias de verão, a Red Bull optou por realizar a substituição dos seus motores. Beneficiados pela nova regra de parque fechado, Sergio Pérez e Max Verstappen conseguiram conservar as suas posições para a largada. Por outro lado, como a troca de motor de Pierre Gasly excedia o limite da temporada, o francês então largou do pit-lane.

O mais importante foi a Red Bull não ter realizado uma boa classificação, enquanto George Russell conquistou a pole.

https://twitter.com/fia/status/1553701741698449408

Antes da largada, o vento forte chamava a atenção, sendo um ponto de preocupação para os pilotos. Uma garoa fina começava a cair na pista, molhado os carros. A temperatura na pista estava na casa dos 26°C com 21°C no ambiente.

Todo o grid apostou nos pneus de pista seca. Apenas George Russell, Lando Norris, Daniel Ricciardo, Max Verstappen, Sergio Pérez, Lance Stroll, Yuki Tsunoda, Alexander Albon, Sebastian Vettel e Pierre Gasly começaram a corrida com os pneus macios, o restante do pelotão estava com os pneus médios. 
Largada autorizada, Russell começou bem com Sainz defendendo a segunda posição, na sequência Norris atacou a dupla da Ferrari, mas retornou para a quarta posição. Hamilton espalhou em uma disputa com Norris, mas conseguiu se manter no quinto lugar, depois de ultrapassar a dupla da Alpine. A dupla da Red Bull avançou para o oitavo e nono lugar com Max Verstappen e Sergio Pérez respectivamente.
Albon e Vettel também se tocaram.
Quando a primeira volta foi completada, o virtual Safety Car foi acionado pois existia muita sujeita na pista. O motivo foi um incidente entre Magnussen e Ricciardo. Albon seguiu para os boxes na terceira volta, quando o ritmo da corrida foi reestabelecido.
Neste momento da prova os dez primeiros eram: Russell, Sainz, Leclerc, Norris, Hamilton, Ocon, Alonso, Verstappen, Pérez e Magnussen.  A dupla da Red Bull atacava os pilotos da Alpine, mas novamente o espanhol era observado realizando uma boa defesa de posição.
Na quinta volta o Alonso cometeu um erro e quando espalhou Verstappen realizou a ultrapassagem.  Na sequência Pérez atacou o espanhol. Ricciardo e Magnussen batalhavam pelo décimo lugar, mas o dinamarquês fazia uma boa linha de defesa e conseguiu dar o troco no piloto australiano. A direção de prova encerrou com a briga, informando que Magnussen deveria passar pelos boxes para reparar a sua asa dianteira.

E na sétima volta, Verstappen ultrapassou Ocon, enquanto Pérez conquistou a posição de Alonso. Magnussen então foi para os boxes retornando para a pista com os pneus duros.
Na décima volta os dez primeiros eram: Russell, Sainz, Leclerc, Norris, Hamilton, Verstappen, Pérez, Ocon, Alonso e Ricciardo. Hamilton atacava Norris pelo quarto lugar. Na ponta Russell abriu mais de 2s7 de vantagem para Sainz, enquanto Leclerc se mantinha em 1s2 atrás de Sainz.
Durante a décima segunda volta Hamilton, concluiu a ultrapassagem em Norris e Verstappen aproveitou o momento para acompanhar o piloto da Mercedes. Rapidamente os pilotos se distanciaram de Norris, enquanto Verstappen passou a atacar o britânico. Instantes depois o holandês precisou recuar, pois o carro apresentou problemas. Pérez também deu distância para Verstappen.

Tsunoda foi para os boxes na volta 14, enquanto Norris fez a sua parada no giro seguinte, acompanhado por Stroll. Os pilotos retornaram com os pneus médios. O britânico da McLaren caiu para o décimo sexto lugar.
Na volta 16 Russell se encaminhou para os boxes, assim como Verstappen. O piloto da Mercedes era o sexto colocado, ficando entre os carros da Alpine, a parada do britânico não foi muito boa. Verstappen retornou atrás de Fernando Alonso, na oitava posição. E na volta 18 Sainz fez a sua substituição de pneus, a parada do espanhol também foi bem ruim. Leclerc assumiu a liderança.

A prova seguiu, assim como as paradas. Pérez também fez a sua troca de pneus, ocorrendo na volta 19, o mexicano então retornou para a pista apenas no nono lugar.
Com 20 voltas Leclerc liderava, acompanhado por Russell, Sainz, Ocon, Verstappen, Alonso, Hamilton, Schumacher, Pérez e Bottas. O finlandês da Alfa Romeo que estava com os pneus mais velhos, começou a ser ultrapassado, caindo para a décima primeira posição.
Leclerc fez a sua troca na volta 22, retornando à frente de Sainz depois que a Ferrari segurou o espanhol nos boxes.

Algumas paradas eram bem ruins, como a de Ocon que retornou em cima de Alonso. O francês segurou o companheiro de equipe, com Ricciardo vendo a oportunidade perfeita para ganhar a posição dos dois pilotos da Alpine.

Na volta 26, Leclerc se aproximou de Russell, usando o DRS para atacar o piloto da Mercedes, ficando à menos de um segundo de distância do adversário. Sainz tinha 3 segundos de diferença para o monegasco.  Leclerc foi cozinhado por Russell por várias voltas e mesmo se aproximando com o uso do DRS, o britânico tinha um bom traçado defensivo.

No giro 31 Leclerc assumiu a liderança da corrida depois de uma boa disputa com Russell. Enquanto lá no final do grid, a briga era entre Vettel e Alonso, o alemão fez a ultrapassagem para conquistar o décimo primeiro lugar.

A garoa começou a ficar mais intensa, principalmente no pit-lane, mas os pilotos permaneciam na pista. Os dez primeiros eram: Leclerc, Russell, Sainz, Verstappen, Hamilton, Pérez, Norris, Ricciardo, Stroll e Ocon. Tsunoda fez a sua segunda troca de pneus na volta 35 para instalar outro jogo de pneus macios. O japonês que estava com os pneus macios rodou por conta dos compostos frios, perdendo o controle da traseira do carro. O piloto da AlphaTauri caiu para a vigésima posição.

Na volta 38 Verstappen se aproximou de Sainz, conseguindo rodar abaixo de um segundo. O espanhol tinha 1s2 separando-o do britânico. Mas na volta 39, Verstappen abandonou a briga para instalar pneus médios. Vettel ganhou a posição de Ocon, para entrar na zona de pontuação.

E no giro seguinte Leclerc e Russell fizeram a sua segunda troca de pneus. O monegasco conseguiu conservar o terceiro lugar, enquanto o britânico perdeu a posição para Verstappen e Pérez. Foi na volta 41 que Leclerc perdeu a posição para o holandês, mas instantes depois o piloto da Red Bull perdeu o controle do carro – o RB18 perdeu potência e ele rodou. Pérez conseguiu segurar Russell, antes de fazer a sua segunda parada na volta 43.

Neste momento da prova os dez primeiros eram: Sainz, Hamilton, Leclerc, Verstappen, Russell, Pérez, Ricciardo, Stroll, Norris e Vettel. Norris trocou os pneus, desta forma aparecia na nona posição. Quando Verstappen recuperou o seu ritmo começou a atacar Leclerc pela terceiro lugar – agora os dois pilotos contavam com compostos que estavam quentes. Sainz na liderança tinha mais de 3 segundos de vantagem para Hamilton.

Na volta 45, Vestappen então ocupou o terceiro lugar, ultrapassando Leclerc. Hamilton então começou a reduzir a diferença para Sainz. A Ferrari então chamou o espanhol para mais uma troca, onde enfrentou problemas com a substituição do pneu traseiro esquerdo. Ricciardo bateu em Stroll, fazendo o piloto da Aston Martin rodar. A garoa então ficou mais intensa na pista, mas ainda sem necessidade de instalar pneus de chuva.

No giro 51 Hamilton ainda liderava a corrida, enquanto Russell entrou na disputa pelo terceiro lugar de Leclerc. Como Hamilton precisava fazer a substituição dos pneus, parou na volta 52 retornando com os compostos macios instalados. O britânico era o quinto colocado. Verstappen assumiu a liderança da prova, enquanto Leclerc era atacado por Russell por estar com os pneus duros, que eram menos efetivos no carro do monegasco. Ricciardo foi punido com cinco segundos pelo incidente com Stroll.
E na volta 24 Russell finalmente concluiu a ultrapassagem no monegasco. A Ferrari na sequência realizou uma nova troca de pneus com Leclerc sendo devolvido atrás de Pérez. O monegasco usava os pneus macios usados. A Mercedes alertava Russell sobre a chance de ter chuva nas últimas voltas da corrida.

Com dez voltas para o final da corrida, os dez primeiros eram: Verstappen, Russell, Sainz, Hamilton, Pérez, Leclerc, Norris, Alonso, Ocon e Bottas. Verstappen tinha ganhado nove posições.

Na volta 63 Hamilton então ultrapassou Sainz, formando mais uma dobradinha para a Mercedes. A Ferrari jogou outra corrida no lixo com as estratégias. Hamilton que tinha se aproximado de Russell, conseguiu a ultrapassagem e passou a ocupar o segundo lugar. Restavam cinco voltas para o final da corrida.

O Bottas enfrentou falta de potência do motor e então abandonou a corrida na volta 68, na curva 13. A direção de prova então optou por um Virtual Safety Car para a remoção do carro do finlandês. Na volta 69 a pista foi liberada mais uma vez.

Max Verstappen recebeu a bandeira quadriculada na primeira posição, conquistando a 28ª vitória da carreira e assim contabiliza a 8ª vitória da temporada 2022. O pódio foi igual o da França, contando com Lewis Hamilton e George Russell.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!