Entendendo aquele amigo que odeia o Fernando Alonso – Dia 76 dos 365 dias mais importantes da história do automobilismo – Segunda Temporada

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Esta postagem é totalmente dedicada ao meu amigo Bruno Shinosaki.

Bom, vamos voltar a 2007. Em 2007 eu era uma adolescente emo que usava gravata no uniforme, tinha um Motorola V3 rosa, e o toque dele era “Sweet Scape” da Gwen Stefani.

https:/youtu.be/O0lf_fE3HwA

Eu nem vou contextualizar vocês da Fórmula 1, por que eu acho que todos lembram de alguns textos que falaram sobre essa temporada. MAAAAS caso você não lembre, foi o Kimi que foi campeão, pode fechar a janelinha e ir dormir. Mentira kkkkkk (alguém me deu doces antes de fazer este texto)

Quem conhece mais de McLaren, sabe muito bem que Alonso e Hamilton foi uma rivalidade linda de se ver. Muita treta e jogo psicológico.

Se você chegou na F1 depois de 2010, talvez você ache a McLaren uma equipe pombo, incapaz de ganhar títulos sem Senna, mas a verdade é que não é bem isso. A McLaren vem em declínio de 2015 pra cá, mas nem sempre foi assim.

Hamilton chegou a Hungria 2 pontos à frente de Alonso, e 11 à frente de Felipe Massa, da Ferrari. Nos construtores, McLaren estava na frente da Ferrari.

Este GP foi importante por um pequeno “problema” no classificatório, vamos contar.

No Q1, Hamilton dominou a sessão, fazendo o melhor tempo daquele fim de semana 1:19:570, a única volta abaixo de 1:20. No final desta sessão, Button bateu em Rubinho Barrichello, e acabou pra ele ali a classificação.

Na rodada seguinte (Q2) quem estava dominando era Trulli com sua Toyota, porém como a McLaren ainda era a McLaren, não demorou até Hamilton e Alonso fazerem os melhores tempos. Pra vocês verem como cagada em estratégia na Ferrari não é novidade, a Ferrari não se preparou para o pit stop de Felipe Massa, forçando o brasileiro retornar ao box para reabastecimento, que acabou esfriando seus pneus. Quando Massa se recuperou, já não havia mais tempo, o que causou sua eliminação do tão importante Q3.

Claro, as piores tretas sempre acontecem na terceira e última fase do treino classificatório, no Q3. Hamilton começou dominando a sessão (as vezes me dá a falsa sensação de estar falando do ano passado), sendo superado por Nick Heidfeld, porém, havia tempo. Aos 9 minutos, uma galera começou a entrar no pit para trocar os pneus, inclusive o Espanhol Alonso. Faltando 2:30 para o final do Q3, por algum motivo o espanhol entrou outra vez no pit para trocar novamente os pneus, o problema foi que, depois que instalaram seus pneus, Alonso ficou DEZ SEGUNDOS parado no pit, sendo que Hamilton já estava atrás dele, aguardando para sua troca, o que obviamente, o atrasou, impossibilitando o Inglês de fazer sua última volta rápida daquele treino. Alonso saiu dos pits a tempo de fazer uma volta rápida, pegando a pole de Hamilton que tinha o melhor tempo do Q3, e seguidos por Heidfeld, o que surpreendeu a todos.

https://twitter.com/AndyGPF1/status/755398398648393728

Euzinha, Erika, no lugar do Hamilton, tinha saído do carro no final do treino e descido a porrada no Alonso. Porém, como todo malandro acha que só a mãe dele fez filho esperto, Alonso pegou uma punição de cinco posições no grid, devolvendo a pole a Hamilton.

A corrida em si foi tranquila, Hamilton liderou todas as voltas, sendo pressionado apenas por Kimi Raikkonen. O espanhol terminou a corrida em quarto, atrás de Nick Heidfeld, a grande surpresa do final de semana.