ColunistasFórmula 1Post

Em novo trecho da entrevista, Piquet repete termo racista, acompanhado por fala homofóbica

Novos trechos da entrevista de mais de três horas dada por Nelson Piquet no último ano estão repercutindo agora. O portal Grande Prêmio divulgou nesta quinta-feira (30) mais um trecho onde o ex-piloto de Fórmula 1 volta a repetir o termo racista “neguinho” e agora acompanhado por uma fala homofóbica. Piquet fora perguntado sobre o que achava de Keke Rosberg, campeão de F1 em 1982, pai do piloto Nico Rosberg que guiou pela Mercedes ao lado de Lewis Hamilton.

“Keke? Era uma bosta… Não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele, ganhou um campeonato, o neguinho deveria estar “dando mais c*…” naquela época e esta meio ruim”, disse Piquet.

Essa é mais uma parte da mesma entrevista que Piquet comentou sobre o incidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen durante o GP da Inglaterra de 2021. Após a primeira fala repercutir internacionalmente, o ex-piloto de F1 emitiu uma nota tentando minimizar o uso do termo racista e ainda mencionar um ‘’erro de tradução”.

Nova fala da entrevista que tem duração de mais de 3 horas repercute – Foto: reprodução

A entrevista foi retirada do ar do canal do Youtube ‘Motorsports Talks’, mas alguns cortes dessa entrevista ainda circulam nas redes sociais.

Os portais de fora até chegaram a se comunicar com os portais brasileiros para compreender o quanto o termo utilizado por Piquet tinha cunho racista, justamente para passar a informação corretamente.

Hamilton recebe Apoio

Após a primeira fala repercutir Sir Lewis Hamilton comentou sobre o assunto em seu Twitter: “Vamos focar em mudar a mentalidade”, disse o piloto em português.

“É mais do que um termo. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não tem lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes a minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação.”

Vários pilotos se solidarizaram e reforçaram mais uma vez que atitudes como as de Piquet não podem mais ser toleradas. Outras pessoas que estão ligadas ao automobilismo diretamente também comentaram a fala de Piquet. Na coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira em Silverstone os pilotos também foram perguntados sobre o assunto e mais uma vez apoiaram o piloto britânico. Hamilton mais uma vez agradeceu aos seus colegas o apoio recebido.

“Bem, em primeiro lugar, sou grato a todos aqueles que apoiaram o esporte, particularmente os pilotos. Sabe, já passaram dois anos desde que muitos de nós nos ajoelhamos na primeira corrida na Áustria e claro, ainda enfrentamos desafios”, disse Hamilton.

“Eu tenho sido alvo de racismo e crítica e negatividade e narrativas arcaicas por muito, muito tempo e tons de discriminação. Então, não é nada particularmente novo para mim. Eu acho que é mais sobre um quadro maior… não é apenas sobre um indivíduo, não é apenas sobre um uso desse termo – é o quadro maior”, seguiu o britânico.

Portais britânicos informaram que Nelson Piquet foi banido dos paddocks da Fórmula 1, enquanto o Club dos Pilotos Britânicos (dono de Silverstone) suspendeu a inscrição honorária do tricampeão mundial de F1.

“Provavelmente é o que [Lewis] passou e sua família passou por toda a sua vida. Qualquer forma de abuso é errada, então acho que foi ótimo ver que houve tantas repostas por toda a comunidade da F1 e tão rapidamente as pessoas responderam e expressaram apoio a Lewis”, disse Sebastian Vettel.

“Temos a campanha ‘We Race as One’, é muito claro para onde estamos caminhando e para onde queremos ir no futuro… Qualquer comunidade é bem-vinda e devemos sempre responder dessa forma muito rapidamente e deixar claro que estamos abertos a qualquer pessoa, porque a gentileza importa, as pessoas importam, e como eu disse, era ruim ver o que estava acontecendo.”

Lewis Hamilton recebeu apoio de vários pilotos da F1, além de algumas equipes do Grid após fala de Piquet – Foto: reprodução F1

Muitos estavam esperando para saber o que Verstappen tinha a dizer sobre o caso, o campeão holandês namora atualmente Kelly Piquet, a filha de Nelson Piquet, desta forma tem um vínculo com a família do piloto.

“De modo geral, em todo o mundo, não apenas na Fórmula 1, acho que não é correto usar essas palavras, mas isso já começa com a educação. Hoje em dia, desde cedo, em casa, na escola, você precisa ser ensinado que esse tipo de coisa não pode ser dita, ou usada, e é nisso que estamos trabalhando. E é claro que a F1, junto com Lewis, eles estão trabalhando nisso para o futuro e todos os pilotos estão por trás disso. Estamos todos apoiando.”

Fernando Alonso e Lando Norris também concordaram com o que foi falado, e mesmo com outras causas que também são importantes “há as [questões] mais simples e obvias que precisam ter nosso apoio contínuo e voz para falar abertamente sobre”, disse Norris.

“Definitivamente, não há espaço para esse tipo de comentários e acho que a reação de toda a comunidade foi bastante grande. Se for necessário agir, acho que contaremos com o apoio – o que a FIA e a FOM estão fazendo”, seguiu Alonso.

A Federação Internacional de Automobilismo e a Fórmula 1 emitiram notas de repúdio à fala de Piquet. Mercedes, Ferrari, McLaren, Alpine e Aston Martin também se pronunciaram contra a primeira fala racista de Piquet.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!