Em Corrida de Duplas Daniel Serra e João Paulo Oliveira vencem em Interlagos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A Corrida de duplas da Stock Car, primeira etapa do calendário da principal categoria do automobilismo brasileiro pode ser definida como no mínimo caótica. A prova ocorreu no Autódromo de Interlagos, proporcionando aquele típico fim de verão paulistano onde começamos com um dia ensolarado e calorento e quando vamos nos aproximando da tarde as pancadas de chuva são praticamente certas, principalmente se você estiver localizado em Interlagos.

Dito e feito, na hora da largada a chuva tomou conta do autódromo e não foi uma garoa não, mas aquela chuva que dá um trabalho para ser drenada. Os pilotos que já estavam na volta de apresentação e acabaram tendo a largada abortada pela direção de prova para a instalação dos pneus de chuva, para que assim a prova pudesse ter seguimento e foram cerca de 20 minutos de paralização até que a prova de fato começasse com o auxílio do Safety Car, mas os pilotos nitidamente tinham a visibilidade prejudicada em alguns trechos.

Foi um sabão, batidas, entrada de Safety Car, tinta misturada, grid completamente embaralhado, mas uma competição de tirar o folego e se me permitem dizer uma ótima prova de abertura. João Paulo Oliveira protagonizou várias disputas na pista, mas foi Daniel Serra que trouxe o carro da Eurofarma RC pelos quilômetros finais para o primeiro lugar do pódio, não é à toa que ele é o atual campeão da categoria. Rubens Barrichello e Filipe Albuquerque conquistaram o segundo lugar depois da apertada parte final da prova, Rubinho foi com a faca nos dentes, mas o seu companheiro foi tão responsável quanto para conseguir auxiliar na conquista para a Full Time Sports. E um belo terceiro lugar para Cesar Ramos e Van Der Linde que depois de um final de classificação desastrosa na sexta feira o terceiro lugar foi mais que merecido*.

Fonte: Site Stock Car

Uma pena ver tantos outros que ficaram pelo caminho e que se quer tiveram a oportunidade de revezar com os seus companheiros nesta corrida de duplas. Ainda é meio confuso ver a dinâmica desta prova mais seria interessante ver mais vezes ela no calendário da Stock Car pois a interação é bem divertida.

lll Saiba como foi a corrida

Assim que os carros iniciavam a volta de aquecimento dos pneus para a Corrida de Duplas da Stock Car a chuva começava a cair no Autódromo de Interlagos e a direção de prova abortava o início da corrida acionando a bandeira vermelha para a troca dos pneus, para que fosse instalado os compostos de chuva.

Por conta da chuva forte também ficou acertado que os pilotos fariam a largada com o auxílio do Safety Car, mas quando ela de fato aconteceu quase não chovia mais no autódromo, no entanto havia muito spray e sujeira na pista.

A saída do Safety Car se deu no começo da terceira volta e o carro #55 Carbone já se encaminhava para os boxes.

Largada tumultuada da abertura da temporada 2018 – Fonte: flickr.com perfil Stock Car Duda Bairros/Vicar

Restavam 52 minutos para o término da sessão e Lucas di Grassi que fazia um traçado diferente acabou batendo no muro e ficava com a traseira completamente destruída, mas tentava remar para a pista depois do toque com Felipe Fraga. O piloto da Hero Motorsport depois explicou que não tinha visibilidade nenhuma com o seu para-brisa e estava tentando se localizar com o vidro lateral esquerdo quando ocorreu o toque que desestabilizou o carro logo depois da sua frenagem.

A visibilidade estava bem realmente bem comprometida ainda por conta do spray que era levantado e Cacá Bueno informava que na reta principal e na reta oposta eram os trechos com mais água localizada na pista;

Felipe Lapenna recebia punição por terem modificado o carro três minutos depois do tempo permitido nos boxes.

A briga era pela ponta, João Paulo Oliveira era pressionado por Cesar Ramos da Blau Motorsport e estávamos na sexta volta e Oliveira fazia de tudo para defender a primeira posição. Já Cesar Ramos aproveitava para apertar o botão de ultrapassagem e pouco depois de ganhar a velocidade extra conseguia realizar a ultrapassagem no piloto da Eurofarma/RC. Felipe Albuquerque que vinha na terceira posição e também estava nesta briga conseguia realizar a ultrapassagem pouco depois em Oliveira e subia para o segundo lugar desta vez sem utilizar o botão de ultrapassagem.

Outra briga bonita era entra Ricardo Zonta e Felipe Fraga, mas Nico Muller também estava metido entre eles. Zonta vinha na frente seguido por Fraga e Muller a briga era pelo quarto lugar e as posições seguintes. Cacá Bueno também se aproximava dessa briga fazendo uma boa corrida.

Pouco tempo depois, restando pouco mais de 40 minutos para o termino da sessão, Nico Muller conseguia realizar a ultrapassagem em Felipe Fraga, mas o piloto da Cimed Racing acionava o botão de ultrapassagem e os dois acabavam se atrapalhando, eis que Cacá Bueno aproveitava o enrosco dos dois para fazer uma ultrapassagem dupla e pular para a quinta posição.

A pista começava a melhorar e já haviam alguns trechos de pista seca, ainda existiam alguns pontos em que também não era permitido realizar a ultrapassagem na pista, mas que logo seriam removidos já que a pista estava evoluindo.

João Paulo Oliveira e Zonta começavam a disputar na pista e estávamos na volta 12, misturando tinta dos carros e mostrando muita experiência. Zonta acabou levando vantagem por conta do botão de ultrapassagem e assumia a terceira posição.

Por conta dessa briga do João Paulo com o Zonta, Cacá que vinha fazendo exatamente muito proveito dessas brigas que aconteciam na sua frente para conquistar posições e acabou encostando no piloto da Eurofarma/RC que se mostrava muito largo na pista até que também utilizando o artifício do botão de ultrapassagem acabou passando Oliveira e pulando para o quarto lugar.

Como já havíamos chegado na meia hora da prova os pilotos começavam a realizar a troca nos boxes ou com os convidados ou com os titulares dependendo da opção que haviam optado no começo da corrida pois a janela de box estava ativa.

Piquet Jr. destaca o aprendizado com a equipe apesar de ter dificuldades de visibilidade na chuva Nelsinho é um dos contemplados com o Fan Push na abertura de sua primeira temporada completa na Stock Car. Créditos: Miguel Costa Jr.

Nico Muller tinha a corrida completamente comprometida depois de passar na reta dos boxes e ter o pneu estourado além da fibra de carbono da parte direita do carro simplesmente se esfarelar. Muller precisou dar uma volta inteira na pista para fazer o reparo no carro, mas ele não contava como a sua para obrigatória e acabou tendo a corrida completamente comprometida. Após esse acidente a direção de prova optou que assim que o Safety Car saísse da pista eles teriam mais três voltas como janela de boxes aberta.

O estranho é que instantes depois do que ocorreu com Muller o mesmo ”defeito” era mostrado no carro de Bia Figueiredo, o seu pneu do lado direito também havia estourado e consequentemente a carenagem da fibra de carbono do mesmo lado havia se despedaçado, ela também teve que se arrastar para os boxes e esperar a Ipiranga Racing realizar os reparos no seu carro.

A relargada acontecia com pouco mais de 20 minutos restantes e novamente a janela de boxes estava aberta, Cacá Bueno aproveitava para ganhar mais uma posição e saltava para o terceiro lugar.

Os pilotos já começavam a se encaminhar para os boxes para as trocas de pilotos e também de pneus e abastecimentos. Felipe Massa e Rubens Barrichello por exemplo vinham nessa segunda tomada de tempo.

Pizzonia acabava tirando o Piquet da corrida e o carro ficava parado em uma área que ocasionava novamente um Safety Car. Luciano Burti também não teria oportunidade de guiar pois o carro de Diogo Nunes acabou soltando a roda e ficou parado também na pista.

Diego Nunes perde roda – Foto de Fernanda Freixosa

Vitor Genz era o líder da corrida, seguido por Galide Osman que também não haviam realizado as suas paradas ainda, mas novamente assim que o Safety Car voltasse a sair da pista os pilotos teriam uma nova janela de box com três voltas, as ordens estavam completamente bagunçadas por conta dos carros de segurança e acidentes que ocorrem no curto período de tempo.

O Safety Car saia mais uma vez, quando restava menos de 10 minutos para o termino da sessão e novamente os boxes eram liberados para os pilotos. Novamente a briga entre os carros que eram guiados por Oliveira, mas dessa vez por Daniel Serra e agora por Vanthoor seguiam na pista.

Rubens Barrichello também ”iniciava” uma boa corrida e por conta do desempenho de Albuquerque e com as suas ultrapassagens ele pulava para a segunda posição. Daniel Serra voltava a colocar o carro da Eurofarma na primeira posição retornando ao seu lugar de origem da pole.

Nessa reta final da corrida os pilotos começavam a utilizar os botões de ultrapassagem que haviam sido economizados no começo da corrida.

Ricardo Maurício vinha pressionando Vanthoor que tentava ganhar a posição de Van Der Linde que tinha o terceiro lugar, restava menos de dois minutos para o termino da corrida.

Os quilômetros finais, foram realizados bem próximos por conta do último Safety Car que aproximou os pilotos, no entanto Daniel Serra e atual campeão da categoria parecia fazer uma corrida a parte e já abria uma diferença de pouco mais de 2 segundos para Rubens Barrichello.

Ricardo Mauricio conseguia no início da última volta a ultrapassar Vanthoor e conquistar a quarta posição.

Daniel Serra e João Paulo Oliveira faturavam a primeira corrida do ano e a Corrida de Duplas da Stock Car, seguido por Rubens Barrichello e Filipe Albuquerque e na terceira posição Cesar Ramos e Van Der Linde*.

Os três primeiros colocados da Corrida de Duplas:
1. 29 D.Serra/J.P.Oliveira (Eurofarma RC) – 31 voltas

2. 111 R.Barrichello/F.Albuquerque (Full Time Sports) – a 2s214
3. 30 C.Ramos/K.V.D.Linde (Blau Motorsport) – a 6s428

lll Saiba como foi o pós corrida

Minutos após a festa do pódio a comissão técnica da prova penalizaram a dupla da Blau Motorsport, com acréscimo de 20 segundos ao tempo final da dupla formada pelo gaúcho César Ramos e o jovem sul-africano Kelvin Van Der Linde.

Com a penalização, a dupla da Blau cai de terceiro para a 12ª colocação e assim a dupla da Full Time formada pelos brasileiros Ricardo Maurício e Felipe Nasr herdam o terceiro lugar.

Uma pena não ter sido antes do pódio, pois teríamos Rubens Barrichello e Felipe Nasr dividindo o pódio e dois pilotos que estiveram no pódio das 24hs de Daytona, Felipe Albuquerque que venceu a prova deste ano e Felipe Nasr que foi terceiro na mesma categoria, veja agora as declarações das duplas**:

[ DANIEL SERRA, titular, Eurofarma RC, vencedor: “Não sei como foi de fora, mas de dentro do carro foi puxado. O rádio do carro não funcionava direito: a gente conseguia falar com o João Paulo, mas a comunicação dele não chegava para a equipe. Só fui descobrir que estava sem direção hidráulica quando entrei no carro. Duas voltas antes do pit stop a direção começou a ficar pesada para ele, e aí quando eu saí para a pista eu pensei como faria para ultrapassar um carro e segurar o Rubinho atrás de mim. Mas deu tudo certo, principalmente no tráfego com os outros carros, o que ajudou bastante. Começar o ano assim é maravilhoso”.

[ JOÃO PAULO OLIVEIRA, convidado, Eurofarma RC, vencedor: “Fazia 20 anos que eu não pilotava em Interlagos. Estou acostumado a correr em dupla, porque no Super GT é o mesmo sistema. O trabalho de equipe é o mais importante. Focamos nos detalhes, em coisas mínimas. Ontem treinamos muito a troca de pilotos, e isso foi essencial, porque fomos rápidos na parada e conseguimos sair logo em segundo e ganhar a ponta. Uma experiência incrível estar aqui, correr contra pilotos de nível técnico acima da média, pilotos que já correram de Fórmula 1 e outros com muita experiência na Stock Car. É muito bom voltar ao Japão com um troféu de vencedor na bagagem”.

[[ RUBENS BARRICHELLO, titular, Full Time, 2º colocado: “Eu tinha certeza que seria muito bom. O Filipe guiou de uma forma que a gente sabe que ele pode, com segurança, andando na frente – e vimos muita gente escapando. Ele tinha um problema nos pneus traseiros, e eu falei para o Maurício (Ferreira, chefe da equipe) que dava para arriscar e colocar os pneus slicks um pouco antes. Mas depois ficou muito bom. Para mim é uma vitória estar aqui, depois de tudo o que aconteceu, e eu queria agradecer aos meus amigos e minha família, que sofreram mais do que eu; eu sofri uma dor imensa por uma hora e quarenta, e os que me amam sofreram muito mais que isso. Estou super bem fisicamente, mais forte do que nunca. Então isso é sim uma vitória”.

[[ FILIPE ALBUQUERQUE, convidado, Full Time, 2º colocado: “Fiquei muito impressionado quando recebi o chamado do Rubinho, que estava saindo do hospital. Claro que fiquei extremamente contente. Vi todas as suas corridas na Fórmula 1, e para mim é uma grande honra ter sido chamado. Ele sempre me deixou muito relaxado, sem colocar nem um pouco de pressão. Desde os primeiros treinos o carro estava bom, principalmente na chuva, sempre estivemos entre os mais rápidos, e no seco ficou um pouco mais difícil, mas aguentamos bem e o Rubinho finalizou com uma nota 10 – eu acho que ele ficou mais rápido depois que saiu do hospital.

[[[ RICARDO MAURÍCIO, titular, Full Time, 3º colocado: “Um final de semana de recomeço com uma equipe nova para mim. Apesar de eu já ter corrido pela Full Time em 2012, é tudo novidade. Começar competitivo, com um terceiro lugar, é muito bom. Foi uma prova de emoções com os pilotos convidados. Estou feliz pelo resultado, pela equipe, e pela adaptação e maturidade do Felipe. Ele teve pouco tempo para se acostumar, pois tivemos alguns problemas – motor, câmbio, freio – e o período dele foi curto. Ele reagiu na classificação e na corrida. Com 25 anos ele é extremamente maduro, profissional, parceiro e agrega muito a uma equipe. Ele foi muito rápido”.

[[[ FELIPE NASR, convidado, Full Time, 3º colocado: “A visibilidade na chuva é muito ruim, mas foi uma experiência incrível, entreguei o carro inteiro e numa boa posição para que o Ricardo pudesse seguir. Fiquei muito feliz com o convite, queria parabenizar toda a equipe pelo excelente trabalho”.

lll Resultado Oficial – Corrida de Duplas – Stock Car**:
1. 29 D.Serra/J.P.Oliveira (Eurofarma RC) – 31 voltas em 1h02min03s255 (média de 129,1 km/h)
2. 111 R.Barrichello/F.Albuquerque (Full Time Sports) – a 2s214
3. 90 R.Maurício/F.Nasr (Full Time Sports) – a 7s094
4. 10 R.Zonta/L.Vanthoor (Shell V-Power) – a 7s757
5. 65 M.Wilson/F.Giaffone (Eurofarma RC) – a 10s024
6. 80 M.Gomes/P.Derani (Cimed Racing) – a 11s237
7. 18 A.Khodair/A.Hellmeister (Blau Motorsport) – a 12s372
8. 8 R.Suzuki/J.K.Vernay (Hot Car Bardahl) – a 15s232
9. 117 G.Salas/M.Altuna (Hot Car Bardahl) – a 18s014
10. 12 L.Foresti/J.D’Ambrosio (Cimed Racing) – a 20s786
11. 51 A.Abreu/M.Winterbottom (Shell V-Power) – a 22s408
12. 30 C.Ramos/K.V.D.Linde (Blau Motorsport) – a 26s428*
13. 0 C.Bueno/F.Massa (Cimed Racing) – a 28s340
14. 1 A.Pizzonia/O.Jarvis (Prati-Donaduzzi) – a 47s991
15. 9 G.Lima/G.Myasava (Squadra G-Force) – a 1min00s757
16. 77 V.Brito/J.Bleekemolen (Eisenbahn Racing Team) – a 1min18s313
17. 55 S.Jimenez/F.Carbone (Squadra G-Force) – a 1 volta
18. 43 V.Meira/V.Orige (Scuderia Colón) – a 1 volta
19. 25 T.Rocha/R.Matos (Vogel Motorsport) – a 1 volta
20. 5 D.Navarro/F.Girolami (Cavaleiro Sports) – a 1 volta
21. 28 G.Osman/D.Fineschi (Cavaleiro Sports) – a 1 volta
22. 84 T.Marques/F.Croce (Scuderia Colón) – a 1 volta***
23. 46 V.Genz/D.Muffato (Eisenbahn Racing Team) – a 6 voltas
24. 4 J.Campos/J.Green (Prati-Donaduzzi) – a 8 voltas
NÃO COMPLETARAM:
25. 110 F.Lapenna/G.Robe (Cavaleiro Sports) – a 11 voltas
26. 44 B.Baptista/N.Figueiredo (Hero Motorsport) – a 11 voltas
27. 33 N.Piquet/R.Frijns (Texaco Racing) – a 12 voltas
28. 70 D.Nunes/L.Burti (Texaco Racing) – a 13 voltas
29. 21 T.Camilo/N.Mueller (Ipiranga Racing) – a 13 voltas
30. 3 B.Figueiredo/B.Monteiro (Ipiranga Racing) – a 16 voltas
31. 88 F.Fraga/N.Catsburg (Cimed Racing) – a 16 voltas
32. 83 G.Casagrande/C.V.D.Drift (Vogel Motorsport) – a 18 voltas
33. 11 L.Di Grassi/A.Farfus (Hero Motorsport) – a 27 voltas
MELHOR VOLTA: 29 D.Serra/J.P.Oliveira, 1min37s867 (158,5 km/h)
lll Classificação do Campeonato*:
1. Daniel Serra, 20 pontos
2. Rubens Barrichello, 17
3. Ricardo Maurício, 14
4. Ricardo Zonta, 12
5. Max Wilson, 10
6. Marcos Gomes, 8
7. Allam Khodair, 6
8. Rafael Suzuki, 5
9. Guilherme Salas, 4
10. Lucas Foresti, 3
11. Átila Abreu, 2
12. Cesar Ramos, 1
13. Cacá Bueno, 0
14. Antonio Pizzonia, 0
15. Guga Lima, 0
16. Valdeno Brito, 0
17. Sérgio Jimenez, 0
18. Vitor Meira, 0
19. Tuka Rocha, 0
20. Denis Navarro, 0
21. Galid Osman, 0
22. Tarso Marques, 0
23. Vitor Genz, 0
24. Julio Campos, 0
25. Felipe Lapenna, 0
26. Bruno Baptista, 0
27. Nelson Piquet Jr., 0
28. Diego Nunes, 0
29. Thiago Camilo, 0
30. Bia Figueiredo, 0
31. Felipe Fraga, 0
32. Gabriel Casagrande, 0
33. Lucas di Grassi, 0

*Até o fechamento da matéria a penalização da dupla da Blau não havia sido divulgada;

**Texto e tabelas extraídas do site da Stock Car;

***Penalizados em 20 segundos no tempo total de prova por realizarem parada obrigatória durante procedimento de safety car.

Fonte: Site Stock Car
Fonte: Site Stock Car

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.