#DTMZolder – “DTM precisa de circuitos de grandes bolas como Zolder”

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A segunda etapa da temporada 2019 do DTM foi disputada no circuito de Zolder (Bélgica), que está de volta ao calendário depois de 17 anos.

lll RESUMO DA R1

A primeira bateria do final de semana foi vencida pelo inglês Philipp Eng, graças a um pouco de sorte na estratégia. Na volta 14, dois carros da Aston Martin acabaram abandonando. Daniel Juncadella abandonou o carro na brita, mas Jake Dennis acabou parando no meio da pista, o que ocasionou uma bandeira amarela e a entrada do Safety Car. Philipp Eng foi um dos que haviam feito sua parada no primeiro terço da corrida, e estava mais para atrás, mas com a entrada do Safety Car o jogo virou.

Após o Safety Car retornar aos boxes, Philipp Eng (P7)  liderava o pelotão dos que já haviam parado. Então foi questão de algumas voltas para assumir a liderança da corrida. Antes de assumir a liderança, Philipp Eng teve uma batalha com René Rast, e estava prestes a batalhar com Marco Wittmann pela liderança, mas o alemão foi para os boxes antes disso. Philipp Eng assumiu a liderança e não foi mais ameaçado até o final.

René Rast teve problemas no motor, e abandonou a corrida na volta 26. Marco Wittmann, como foi um dos últimos a parar, perdeu muitas posições, caindo para P13. Mas com pneus novos conseguiu fazer várias ultrapassagens e terminar em P7. Mas atrasar a parada não prejudicou apenas Marco Wittmann. Bruno Spengler, que liderou a corrida até a entrada do Safety Car, também perdeu muitas posições. Da liderança da corrida por quase 20 voltas, para P10.

A disputa mais intensa da corrida ficou por conta de Joel Eriksson e Nico Müller pela P2 nas últimas voltas. A diferença entre eles foi de apenas 184 milésimos, com vantagem para Joel Eriksson.

Confira o resultado da R1:


lll RESUMO DA R2

As primeiras 10 voltas da R2 não foram tão empolgantes como se esperava, inclusive os três primeiros do grid não alteraram suas posições. Talvez motivados pela estratégia de Philipp Eng, que venceu a R1, muitos fizeram suas paradas antes mesmo da metade da corrida. Até as paradas de box começarem, Sheldon Van Der Linde liderava, com René Rast em sua cola. Após ambos pararem, René Rast conseguiu ultrapassar Sheldon Van Der Linde, e ambos lideram o grupo dos que já haviam parado.

Marco Wittmann, líder, parou no box na volta 16. Poucas voltas depois veio o momento mais polêmico do final de semana. Tentando ganhar a P5 de Robin Frijns, Marco Wittmann acabou tocando em sua traseira na saída da primeira curva, fazendo o holandês rodar e ficar parado na parte interna da saída da curva, ocasionando um Safety Car. Neste momento faltava apenas o líder Jake Dennis fazer sua parada, que a fez assim que o Safety Car foi acionado.

Muitos aproveitaram para fazer uma segunda parada no box durante o Safety Car, o que alterou algumas posições intermediárias. Mas não a liderança. René Rast liderava, com Philipp Eng e Sheldon Van Der Linde logo atrás. Após o Safety Car retornar ao box, Marco Wittmann recebeu sua punição pelo toque com Robin Frijns, o popular Drive Through. O que o colocou pra fora de qualquer disputa por posição. Terminando em penúltimo.


Mas não acabou por aí. As últimas voltas foram de arrepiar! Jamie Green parecia estar com o Capeta no corpo. Fez uma manobra arrojada pra cima de Timo Glock e Jake Dennis na reta principal, e assumindo a P4 na abertura da volta 29.

Na volta 32 eram quatro pilotos lutando pela P2: René Rast, Philipp Eng, Sheldon van der Linde, Mike Rockenfeller e Jamie Green. A diferença era apenas “no visual”. Um pouco mais para trás, Bruno Spengler ultrapassou Timo Glock, assumindo a P6. Mas não se sabe se Timo Glock tinha um problema, ou se desesperou totalmente. Pois não perdeu apenas para Bruno Spengler, mas em uma tacada só perdeu várias posições, saindo da pista, e em menos de uma volta foi de P6 para último. Jonathan Aberdein tentou desviar de Timo Glock, e acabou errando em uma curva. E nesse momento Pietro Fittipaldi conseguiu ganhar duas posições, terminando em P9.

Na última volta Jamie Green consegue ultrapassar Sheldon Van Der Linde, e assumiu o P3. Se aproveitando da briga dos dois, Mike Rockenfeller também ultrapassa Sheldon Van Der Linde e termina a corrida em P4. René Rast vence a segunda da temporada, 10 segundos à frente de Philipp Eng, finalizando um bom final de semana com dois pódios.

Confira o resultado da R2:

Confira a classificação atual do campeonato:

lll  ASSISTA NO YOUTUBE

Neste ano de 2019, nenhuma emissora no Brasil está transmitindo a categoria. Portanto, o canal oficial do DTM libera todos os vídeos e transmissões ao vivo para o território brasileiro por todas as etapas.

Confira a R1 & R2 da etapa de Zolder:

lll OPINIÃO DO COLUNISTA

Eu não conhecia o circuito de Zolder. Em alguns trechos lembra o circuito de Montreal, e em outros lembra muito o circuito Enzo & Dino Ferrari. Como disse Gerhard Berger, “DTM precisa de circuitos de grandes bolas como Zolder”. Concordo 98%. Faltam 2% porque eu fiquei com a sensação que a pista é um pouco estreita para esses carros. Mas se as corridas foram boas, é o que realmente importa.

O Pietro Fittipaldi fez uma boa etapa. Mas na R1 acabou queimando a largada, e tomou uma punição. Na sua parada de pitstop, teve que fazer uma parada de 5 segundos no início do pitlane, e então ir para a frente do box de sua equipe para trocar pneus e reabastecer. Isso comprometeu muito seu último trecho de corrida. Além, claro, de ter sido um dos últimos a parar após o Safety Car retornar aos boxes. E antes do Safety Car entrar na pista, ele estava entre os 10 primeiros. A R2 já foi mais tranquila, inclusive garantindo posições na pista, e terminando em um belo P9. O garoto está em um bom ritmo, mas falta acertar alguns pontos cruciais para os bons resultados serem constantes.

No toque que o Marco Wittmann deu no Robin Frijns na R2, me pareceu que o Robin Frijns saiu da curva mais lento, talvez por ter entrado mais por dentro da tangência, e então o Marco Wittmann não conseguiu desviar e acabou batendo. Eu não acho que o Marco Wittmann realmente tenha feito intencionalmente, mas tirou outro competidor da corrida. Portanto, aprovo a punição.

lll  CALENDÁRIO 2019

Etapas concluídas:

04 e 05 de Maio – Hockenheim (Alemanha)

18 e 19 de Maio – Zolder (Bélgica)

Etapas restantes:

08 e 09 de Junho – Misano (Itália)

06 e 07 de Julho – Norisring (Alemanha)

20 e 21 de Julho – Assen (Holanda)

10 e 11 de Agosto – Brands Hatch (Inglaterra)

24 e 25 de Agosto – Lausitz (Alemanha)

14 e 15 de Setembro – Nürburgring (Alemanha)

05 e 06 de Outubro – Hockenheim (Alemanha)

Bruno Shinosaki

Hoje eu não sou apenas um fã de Formula 1, eu me considero sim um grande fã de esporte a motor. Sempre acompanhando e tentando aprender mais. No momento, principalmente pelo site/canal, tenho focado muito em Formula 1, Moto3, Moto2, MotoGP, Superbike, IndyCar e Formula E. Mas sempre atento também a Nascar, StockCar, DTM e outras categorias.