Dia 34 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo – 24 de Junho de 1990 – GP do México, 1990: No país latino, a festa é francesa e alemã.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Atualmente vivemos tempos remotos, onde muitas vezes somente o esporte foi capaz de nos ajudar a seguir em frente, todos nós constantemente buscamos inspirações para continuar. No passado, um negro derrotou Hitler e envergonhou a supremacia ariana ao fazê-los sentir o gosto amargo da derrota.

Jesse Owens, estará sempre eternizado através do seu imensurável exemplo, além disso, proporcionou com forças inexplicáveis a possibilidade de simplificar o complexo.

E justamente neste ponto é onde desejo chegar, pois espero fazer deste texto e dos futuros o divisor de águas sem perder a importantíssima essência do automobilismo.

Pretendo seguir o exemplo ‘Owens’ para continuar este longo caminho junto ao demais colaboradores e amigos do BP.

Por fim e sem muitas delongas, vamos à:

| 24 de Junho de 1990

Nesta data, o autódromo Hermano Rodríguez, localizado na Cidade do México, recebeu uma das mais emblemáticas corridas de Fórmula 1, sendo o sexto Grande Prêmio da temporada.

Fonte: @Wikipédia

Novamente Ayrton Senna, era cogitado ao favoritismo a vencer esta corrida, mas na volta 63 teve problemas nos pneus e acabou abandonando a corrida.

Fonte: revistaautoesporte.globo.com

Além de Senna, tivemos o piloto Emanuele Pirro, da equipe Dallara na décima volta com problemas no motor Ford Cosworth. Já o piloto David Brabham, na volta seguinte teve falha elétrica, deixando a equipe Brabham desapontada. Enquanto isso, os pilotos japoneses Satoru Nakajima da equipe Tyrrell e Aguri Suzuki da equipe Lola acabaram batendo.

 

Devido problemas nos freios, o piloto Éric Bernard, acabou deixando a corrida na décima segunda volta. Na vigésima sexta volta, o piloto finlandês, Jyrki Juhani Järvilehto, assim conhecido por J.J. Lehto, teve problema no motor.

Entre estes inevitáveis e derradeiros incidentes, tivemos uma excepcional corrida. Com um grid formado na primeira fila entre Gerhard Berger, fazendo a pole e Riccardo Patrese, em segundo.

Ayrton Senna, na terceira posição, onde foi capaz de liderar boa parte da corrida entre breves disputas antes de abrir a frente de Nigel Mansell, que havia largado na quarta posição.

Mas em país latino, a festa era francesa pois Alain Prost, após iniciar a corrida na décima terceira posição, fez da corrida um cala a boca para a sua ex-equipe Mclaren, onde mesmo após um tricampeonato foi necessário renascer. E, certamente deu uma excepcional demonstração ao lado do seu companheiro Mansell.

Por fim, a equipe Ferrari conquistou o pódio com seus dois pilotos, concluindo o dia em grande festa alemã.

Fonte: gps.gpexpert.com.br
Fonte: motorsportmagazine.com

| Curiosidades

  • O autódromo este ativo durante 1962 a 1993. Retornando em 2015 sua participação no GP;
  • 490º GP;
  • 41ª vitória para Alain Prost;
  • 100° Grande Prêmio para Ayrton Senna;
  • 99ª vitória para Ferrari;
  • 99ª vitória para Ferrari como construtor de motor;
  • 69 voltas x 4.421 km – 305.049 km;
  • Pole Position: Gerhard Berger;
  • Volta mais rápida: Alain Prost, 01:17.958;

Erik Araújo

Escreve* também lá no Medium. Torce pro MCFC e SEP. Joga palpites sobre #F1. E, está sempre no #Twitter.