5º de Junho de 1983, USA East, em Detroit a Tyrrell vence pela última vez na Fórmula 1 – Dia 15 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

| GP dos Estados Unidos – Costa Leste 1983

Entrando no túnel do tempo para essa viagem fantástica, é interessante falar sobre algumas coisas diferentes com mais de 30 anos. Na época os estudantes procuravam informações em enciclopédias super volumosas, mas para informações mais ”atuais” as revistas e jornais serviam de fonte de pesquisa, agora imagina fazer essa série de 365 dias indo de biblioteca em biblioteca para achar algum conteúdo na intenção de fazer esse texto… nos dias de hoje já nos acostumamos a essa forma rápida de adquirir informação, na época dos acontecimentos seria praticamente inviável. Apesar de 1983, precisamente em 1º de janeiro daquele ano ser considerado o aniversário da internet e um tipo de modelo que estava se desenvolvendo para se tornar o que temos hoje.

Estação de trabalho Apolo, o início da internet como conhecemos Fonte: Inthistory.com

| Porque eu dei toda essa volta?

Tudo isso para dizer que a Fórmula 1 também era diferente da que conhecemos hoje e que com o passar do tempo ela foi se desenvolvendo. Nos anos 80 a Williams e McLaren, muito diferente do que vemos hoje, eram as equipes que brilhavam e levavam a melhor durante as disputas. No calendário e os autódromos que as corridas eram realizadas as coisas também eram bem diferentes. Foram disputadas 15 corridas em 1983, o Brasil foi quem abriu a temporada, mas o autódromo era o de Jacarepaguá. Os Estados Unidos tinham dois GPs, que eram diferenciados por Costa Oeste em Long Beach (Califórnia) e Costa Leste em Detroit, no circuito de rua. E Grandes Prêmios que a gente não sonha mais em ter quando falamos sobre o posicionamento da Liberty em adicionar mais corridas à temporada, mas que um dia existiram, como: Holanda e África do Sul.

| Final de semana em Detroit e a Corrida

Quando a Fórmula 1 chegou aos Estados Unidos para disputar a corrida do dia 5 de junho de 83, outras 6 etapas já haviam acontecido. A situação até ali colocava Alan Prost na frente do campeonato, com dois primeiros lugares (França e Bélgica) e quatro pontos de vantagem em cima do brasileiro Nelson Piquet, ali se deu início a Era dos motores turbocompressores e carros com menos downforce.

Piquet apostando tudo para sair líder de Detroit Fonte: @Tumblr | C.Egerer

Para a largada de domingo a Ferrari de René Arnoux estava na pole e Nelson Piquet era o segundo com diferença de apenas +0.199. Prost mesmo sendo o líder do campeonato, ficou apagado e largava do décimo terceiro lugar.

A largada da corrida acabou sendo abortada, o motor Alfa Romeo de Andrea De Cesaris havia apagado. Das 61 voltas que seriam disputadas na corrida, uma acabava de ser descontada com o incidente. Se os problemas tivesses acabado ali estava tudo bem, mas a Ferrari de Patrick Tambay não saiu do lugar após as luzes vermelhas se apagarem e o piloto acabou prejudicando quem estava do lado ímpar da fila e pior ele era o terceiro colocado. Bom para os então líderes da prova, que conseguiam ganhar distância do pelotão que se espremia para desviar de Tambey. Piquet fez uma boa largada e assumiu a ponta que era de Arnoux e Angelis era o terceiro.

Os problemas nos carros não demoraram para aparecer, na realidade no final da prova teríamos treze abandonos. Lá pela quinta volta, Cheever deixaria a prova com uma falha na ignição, Angelis perdia o terceiro lugar para a quebra na sua caixa de câmbio e Piercarlo Ghinzani abandonava com super aquecimento de motor.

Arnoux também partiu para cima de Piquet e conseguiu assumir a ponta. As coisas começaram a se complicar para o brasileiro, Keke Rosberg que vinha lá do cabo da fila conseguia conquistar posições com facilidade à medida que o seu combustível ia diminuindo e conseguia conquistar o terceiro lugar de Cesaris e Alboreto que vinha em quinto lugar também começou a ameaçar o italiano, ele logo perderia a posição para Alboreto assim como para Warwick. Piquet que também havia largado com o tanque cheio não pretendia fazer a parada tão cedo.

Mais problemas eram vistos na pista, Warwick abandona na volta 25 e Laffite assumia sua posição dentro da zona de pontuação, depois quem abandonaria era Andrea De Cesaris com problemas no turbo do seu Alfa Romeo, ajudando John Watson (não confunda ele com o personagem do britânico Sir Arthur Conan Doyle).

Na volta 29 a vantagem da Ferrari era de quase 30 segundos e como esperado foi a vez de Arnoux entrar para os boxes, Rosberg com a Williams aproveitou a deixa e também foi. Arnoux fazia uma parada de apenas 13,5 segundos contra uma de 17,5 de Rosberg e caia para a quinta posição e voltava atrás de Piquet, Alboreto e Laffite.

Três voltas depois era a vez de René Arnoux encostar o carro na pista com uma pane elétrica para a surpresa do público. Piquet voltava a assumir com Alboreto em segundo e Rosberg em terceiro, Watson aparecia em quarto e Laffite em quinto. Prost com os problemas dos demais competidores e algumas conquistas de posição já era visto em oitavo.

Até esse momento da corrida Piquet era o favorito para a vitória, mas graças a um erro de cálculo para a parada do brasileiro o mesmo acabou se vendo com um pneu traseiro esquerdo furado a nove voltas para o termino da corrida, se arrastando de forma lamentável na pista. Todo isso em consequência da equipe que havia se preparado um tempo antes para receber Piquet, mas acabava de entregar o jogo para os concorrentes. Para completar a tentativa boba de se dar melhor na pista, pensaram que no último caso o carro do brasileiro aguentaria até o final da corrida e foram mantendo o mesmo na pista, jogando tudo por água a baixo.

Enquanto Piquet fazia a sua parada, Alboreto assumia a liderança e Rosberg e Watson aproveitavam para ganhar posições em cima do brasileiro, que perdia a sua chance de ganhar pontos preciosos, onde tinha a chance de se tornar líder e ficar à frente de Prost.

Alboreto conduz a Tyrrell a última vitória na Fórmula 1. Fonte: @Tumblr

Terminava assim o Grande Prêmio de Detroit, com Michele Alboreto em primeiro lugar, voltando a vencer nos Estados Unidos, assim como a sua primeira vitória em 1982 no GP de Las Vegas. Foi a última vitória da equipe Tyrrell-Ford naquele ano e na sua história. Na temporada de 83, a equipe acabou vivenciando um ano desastroso em meio a várias quebras e terminou o campeonato de construtores, apenas em sétimo lugar. Aos poucos ela foi se acabando e afundando nos anos que se sucederam, conhecendo de perto o limbo.

Alboreto comemora aquela que seria a sua única vitória na temporada. fonte: @Tumblr

Essa corrida contou com mais de 70 mil fãs presentes. Algumas pessoas comentaram que a corrida lembrava muito Mônaco, já que era uma prova de rua e a localização permitia embarcações atracadas no rio de Detroit, além dos hotéis super lotados, assim como as ruas.

O resultado final do GP dos EUA Leste de 1983:

Fonte: Wikipedia

| Fora “nem tanto” das pistas

Nesta mesma data se comemora o aniversário de dois projetistas que fizeram história na Fórmula 1, o primeiro é o Sir Patrick Head, de Farnborough, nascido em 05 de junho de 1945 é co-fundador da equipe Williams de Fórmula 1, juntamente com Frank Williams fundaram a equipe Williams em. Já presente na temporada de 1983 Patrick foi o projetista do carro daquela temporada o FW08C, o outro aniversariante é o Aldo Costa, nasceu em Parma na Itália em 05 de junho de 1961, que teve a sua carreira iniciada na Minardi, passando pela Ferrari de 1996 até 2011, onde foi um dos responsáveis pelos carros da scuderia italiana de 2005 até 2011, do qual possui 6 títulos seguidos do Mundial de Construtores, atualmente faz parte do time da Mercedes.

No dia 04 de junho de 1967 Jim Clark a bordo da Lotus de Colin Chapman e alcançava a primeira vitória de um motor Cosworth DFV como muito bem destacou o Cristiano Seixas no texto do “Dia 14 de 365”, porém, o fim da Era Cosworth veio Detroit, Alboreto conquistou última vitória tanto da Tyrrell como de um carro equipado com o motor Cosworth DFV.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

%d blogueiros gostam disto: