Dia 13 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo – 3º de Junho de 1962 – GP de Mônaco, 1962. O azarão Graham Hill e o sorridente Leslie Bruce McLaren.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

| 03 de Junho, 1962

Exatamente há 55 anos atrás, novamente o Grand Prix de Mônaco, deixou mais um grande marco na história do automobilismo. Certamente é uma daquelas corridas que teu avô, pai e até sua mãe, iriam falar: “Poxa! Que corrida”.

A temporada de 62, foi marcada por mais 8 prêmios nos países: Holanda, Bélgica, França, Inglaterra (Grã-Bretanha), Alemanha, Itália, EUA e a inacreditável África do Sul.

| Resumo da Corrida

O primeiro GP ocorreu na Holanda, onde Graham Hill iniciava os teus primeiros passos para conquistar a temporada de 62. Sim! Isso mesmo meus caros, Hill levou a temporada de 62 para casa. Pois das 9 corridas, ele venceu 4 e não deu chance para os teus adversários.

Graham Hill – Fonte: Geocaching.com

Na minha opinião, Mônaco é um charme peculiar desde tempos primórdios do automobilismo, independente se você ou seu piloto favorito, obtenham sentimentos opostos por disputar neste circuito. E, no caso do Sr. Hill, com essa piscadinha marota, não imaginava que o seu otimismo iria por água abaixo, juntamente com o teu novo companheiro responsável pela maioria dos testes, o americano, Richie Ginther.

A corrida poderia ter sido diferente se não fosse a magnífica inteligência de Willy Mairesse, o piloto belga, onde na época corria pela Ferrari. Na primeira curva, ele deu aquela vacilada em forçar seu carro entre o de Hill e Clark, resultando tal proeza numa enorme colisão tirando da corrida diversos carros.

Mas como eu costumo falar, “quando Deus dá a farinha, o diabo rasga o saco” e desta vez, Graham Hill, (o azarão), após percorrer 96 de 100 voltas teve problemas no motor por falta de pressão do óleo, consequentemente abandonando a corrida pela sua equipe BRM.

Monte Carlo, 1962 – Fonte: Formula2.net

E agora, podemos dizer: seja pela sorte ou ajuda do Diabo, o campeão do dia foi o grande ícone Leslie Bruce Mclaren, mais conhecido como Bruce Mclaren.

Nascido em 30 de Agosto de 1937, na cidade de Auckland, Nova Zelândia. Estreou na F1 em 1958 após “comprar” uma vaga pela equipe Cooper Car Company, aos 24 anos tornou-se o piloto titular com a saída do experiente piloto Jack Brabham.

Bruce McLaren – Fonte: BonsRapazes.com

A corrida de 62, foi muito importante para Bruce, pois um ano depois ele e seu amigo Teddy Mayer, fundaram a Bruce McLaren Motor Racing Ltd. Anos depois, a equipe Cooper Car deixava a F1 e assim Bruce, viu a oportunidade de ingressar no Campeonato Mundial de 1967 criando o McLaren M2B.

A sua criação inicialmente não lhe rendeu grandes coisas, mas foi a primeira marcha para que nos anos seguintes fizesse a McLaren ser uma das equipes mais emblemáticas e respeitadas da categoria.

Bruce Mclaren – Fonte: Projeto Motor

E, nesta vida como nem tudo é alegria. Infelizmente, o M8D foi o último carro que Bruce dirigiu antes de perder a vida em 1970, no Circuito de Goodwood, na Inglaterra.

Fonte: Talltales.me

Erik Araújo

Escreve* também lá no Medium. Torce pro MCFC e SEP. Joga palpites sobre #F1. E, está sempre no #Twitter.