Crônicas Japonesas – A Mercedes e a sua quase perfeição

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A perfeição é difícil de se obter, por isso tão poucas coisas são perfeitas, mas na natureza elas se sobressaem, como a concha, grande parte das espirais, o girassol, o trabalho de vários insetos e algumas espécies de cactos, etc.

A Mercedes durante dos V8s, não era uma equipe de se jogar no lixo, colecionava algumas vitórias ali, além de posições consideráveis no campeonato de construtores. Com a era hibrida o seu destaque ficou evidente, desde o começo eles trabalharam para obter o melhor equipamento e assim como Ferrari ou Red Bull, passaram a ser referência. No entanto a equipe alemã, está mais próxima dos italianos, por conta do conjunto carro e motor.

O toque especial bem definido por Toto Wolff, na verdade é o conjunto de pessoas, por trás dos pilotos que estão alinhando no grid. A vitória é conquistada por todos e pelo grande quadro de funcionários que chega a 1300 pessoas dedicadas ao desenvolvimento de chassi e motor.

A atenção aos detalhes está no fato de tratar todos os funcionários bem, se importar realmente com eles e não apenas se estão batendo o ponto. Além disso com o seu empenho por ajudar na vitória do campeonato de construtores, todos são bonificados por isso, do funcionário do baixo ao alto escalão. Pessoas motivadas e que começam o seu dia bem rendem mais e tudo isso é o reflexo das seis vitórias consecutivas obtidas pela Mercedes e os poucos abandonos.

A cerca de dois meses atrás a Mercedes demitiu quatro funcionários por racismo a um funcionário muçulmano, portanto dá para perceber o quanto eles levam a sério o bem-estar das pessoas.

Por serem um conjunto de humanos, trabalhando com máquinas ainda assim eles são passiveis de erros e falhas, mas é natural que tanto Lewis Hamilton quanto Valtteri Bottas, após não obter mais uma dobradinha para o time, sempre colocam em seus discursos o fato de que vão analisar o que deu errado para melhorar na próxima e eles de fato melhoram.

Após voltar das férias e levar um bande de água fria com a Ferrari, eles correm atrás para voltar a vencer e com isso na Rússia conseguiram o famoso 1-2, que quase se repetiu no Japão, não fosse o fato das estratégias um tanto quanto ousadas.

Sebastian Vettel que conseguiu chegar próximo de abalar o domínio do time, uma vez disse: “Do lado de fora, eles estão muito próximos da perfeição toda vez que vão para a pista, de forma muito consistente, com pouquíssimos erros”. E é disso que a Mercedes é feita, sua reinvenção, capacidade de lidar com erros e a visão do futuro, aquilo que outros times passaram a almejar.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!