Crônicas da França – Corridas deveriam ser definidas na pista

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Mais um daqueles finais de semana com corrida. Logo saltei para o sofá, para acompanhar aqueles carrinhos que vão de um lado ao outro da televisão no maior frenesi. A proposito, eu me chamo Melissa, mas aqui em casa, todos me chamam de Melzi. Todos os gatos desta casa tem um hobby, o meu é assistir corridas e prestar atenção no que a minha dona Emily fala a respeito delas.

Aproveitei o feriado meio lá, meio cá para ficar totalmente na preguiça. Não que gatos precisem de um motivo para se aninhar no sofá, mas como somos bichos com grande personalidade, temos que ter boas desculpas para os nossos donos que muitas vezes chegam esbravejando, o tão famoso: ”só dorme né?”

Neste final de semana, aconteceu o Grande Prêmio da França e pelo o que eu entendi, as coisas seriam bem parecidas com o GP de Barcelona, que aconteceu a algumas provas atrás.

Bom escutei a Emily falando em um novo domínio da Mercedes, mas eu apenas me estiquei no sofá e comecei a prestar atenção.

Foi uma largada calma, ninguém se acidentou e a prova correu solta. Meu momento favorito sempre foi o dos pit-stops, sempre gostei daquele barulhinho, “buzz, buzz’’! Acho que deveriam criar um brinquedo com o mesmo som para nós… Ah sim, e os pits ocorrem de forma calma. O Lewis Hamilton foi capaz de realizar o dele e voltar na frente, sem perder a dianteira em nenhum momento. Foi louco! Mas acho que a Emily não se importou com isso, ela estava prestando atenção na Ferrari e na estratégia. A gente só usa isso, quando quer ganhar sachê e os pilotos e equipes no caso, para vencer corridas.

A prova perseguiu o seu curso natural e alguns momento eu acabei por dar uma piscada mais longa. Não porque estava cansativa, é que nós gatos podemos dormir até 16 horas por dia! Perdi algumas ultrapassagens, mas fiquei mais brava ainda quando a Emily começou a se mexer. Ela tentava entender porque aquele piloto Lando Norris, estava perdendo posições rapidamente na última volta. Em um momento eu escutei que ele estava com problemas e deduzi que era isso, mas ela parecia um tanto inconformada demais.

Só fomos descobrir depois do comercial o que tinha acontecido e rapidamente Emily já sacou o telefone para provavelmente discutir o assunto, enquanto falava comigo e bagunçava todo o meu pelo.

Mais tarde depois do almoço; de Emily é claro! Ela voltou a falar comigo a respeito do que havia acontecido e é claro que nestes momentos eu gostaria de poder dar a minha opinião, mas escutei ela pacientemente. No final das contas, fiquei sabendo que o lance mais bonito da prova, tinha gerado uma punição. Fiquei extremamente chateada, enquanto Emily seguia analisando os pontos desta história! Eu penso, que deveriam deixar eles correr mais livres…

A Fórmula 1, tem algo a aprender com nós os gatos, pois temos boas disputas com os nossos irmãos. Corremos em disparada pela casa, brincamos de caça e nos desafiamos, somos livres.

Mas pensando aqui, acho que os nossos donos são os comissários de pista, prontos para nos reprender, mas aqui não adianta punições de 5 segundos como a do Ricciardo. Fiquei chateada por ele e por conta do esporte que tanto gosto, as coisas seriam melhor se fossem definidas na pista…

lll Art: Bupply.com

Assinar

BPCast

Ou assine com seu app favorito usando o endereço abaixo


Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele espertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.