ColunistasFórmula 1Post

Com poucas adequações McLaren avança e mostra trabalho promissor

A temporada 2022 está bem movimentada neste início, após o GP da Emilia-Romagna todas as equipes do grid contam com pontos. Alguns desempenhos são mais palpáveis que outros, mas a McLaren está chamando bastante a atenção.

Eles começaram o ano zerados e foram engatinhando aos poucos, mas em quatro corridas conseguiram chegar ao pódio. A prova em Ímola prometia até mesmo um resultado onde os dois pilotos coletariam pontos para a equipe, mas infelizmente o incidente de Daniel Ricciardo com Carlos Sainz, fez o piloto australiano se arrastar nas últimas posições.

Lando Norris foi o responsável por assumir a terceira posição na prova, conservando o quarto lugar da McLaren no Campeonato de Construtores. O resultado do time nesta prova foi surpreendente, a McLaren estava atrás da Red Bull e Ferrari, com Norris ainda encontrando uma saída para duelar com Leclerc no início da corrida.

LEIA MAIS: Raio-X da Emilia-Romagna – Red Bull se consagra em fim de semana perfeito

Alguns vão se lembrar que no ano passado, Zak Brown falava muito sobre a necessidade de a McLaren estar logo atrás de Red Bull e Mercedes; quando esses times não estivessem no pódio, a McLaren deveria estar. Infelizmente em alguns momentos as coisas não saíram com o planejado em 2021, mas o time de Woking foi sustentado por Norris no começo da temporada, enquanto Ricciardo lidava com as dificuldades para se adaptar ao novo equipamento.

“Com a largada, a estratégia, a classificação, o trabalho dos pneus e todas essas coisas menores que você não consegue ver, é o que nos trouxe este pódio hoje, então é lindo de ver. Acho que o quarto lugar ainda seria uma posição incrível, um resultado incrível para nós e melhor do que esperávamos entrando na corrida e no fim de semana, com certeza”, disse Norris após a corrida.

A McLaren teve um começo de temporada complicado, logo na segunda fase de testes no Bahrein, identificaram um problema nos freios. Norris conduziu a última atividade de testes, enquanto Ricciardo se recuperava do Covid-19. Uma semana depois das avaliações, os carros tinham retornado para a pista, disputando o primeiro GP do ano. A McLaren não está confiante, logo embarcou para a prova em Jeddah, e mesmo conquistando os primeiros pontos, eles estavam tentando mudar a performance daquele carro.

A McLaren que tinha começado a temporada com problemas, conseguiu se recuperar e na quarta corrida do ano esteve no pódio – Foto: reprodução McLaren

Os pontos obtidos na Arábia Saudita mostravam algum progresso, mas ainda era o começo de tudo. A McLaren se deu bem na Austrália, liderando o meio do pelotão. Após o pódio em Ímola, o chefe de equipe da McLaren, Andreas Seidl disse: “É uma confirmação de que Melbourne não era apenas um caso isolado, mas na verdade o MCL36 é um bom carro e tem uma base sólida para todos os desenvolvimentos futuros que estão em andamento.”

O que poderia ter levado a McLaren a este salto? Bom, o time promoveu algumas pequenas atualizações até aqui, além de um trabalho delicado relacionado as configurações do carro. Os Papayas também trabalharam o seu assoalho, adicionando direcionadores para o fluxo traseiro do MCL36. A McLaren, assim como outros times, tentou fazer mudanças pontuais para se adequar as exigências/características dos circuito deste começo de temporada.

Os circuitos do começo do ano têm as características mais diferenciadas. O Bahrein não era um bom termômetro para as hierarquias do campeonato, já que para ser justo, algumas equipes lidaram com tantos problemas, tiveram pouco tempo de atividade em pista e se quer tiveram um tempo para se dedicar a análise dos dados da última fase de testes, pois logo foram para a pista atrás de resultados. O intervalo entre Jeddah e Austrália foi benéfico para algumas equipes, principalmente para essa análise de dados.

A McLaren está tentando resolver o trabalho nas curvas de média e baixa velocidade, algo que também detectaram ser um problema no começo da temporada. O equilíbrio do carro é muito bom, mas eles ainda perdem alguns segundos quando pegam as curvas mais lentas nos circuitos.

LEIA MAIS: ANÁLISE – Quais os motivos da disparidade de desempenho dos pilotos da Mercedes
A McLaren fez ‘muito’ com pouco. Mesmo promovendo apenas algumas mudanças pontuais nos seus carros, os dois pilotos passaram a ter um desempenho melhor – Foto: reprodução McLaren

“Não trouxemos nada muito grande. Eu sei que houve grandes passos, mas não é como se tivéssemos instalado um novo assoalho ou qualquer outra coisa nova. Foram mudanças menores, elas parecem estar tendo o efeito positivo, ainda mais quando você as junta e tem um fim de semana como este”, disse Seidl.

Em Ímola, os dois pilotos da McLaren avançaram para o Q3, na prova Sprint fecharam em quinto e sexto. Na corrida principal a McLaren foi beneficiada com o abandono de Carlos Sainz, assim como a rodada de Charles Leclerc, mas o que importa é que diante de uma oportunidade capitalizaram pontos, pois todos os pilotos do grid, lidam com riscos durante a prova em Ímola, com o asfalto molhado. Ricciardo não conseguiu fazer uma prova de recuperação, pois o assoalho do seu carro ficou danificado após a batida.

A Mercedes está na terceira posição do Campeonato, mas definitivamente não tem o terceiro melhor carro do grid, pois assim como a McLaren, o time alemão está realizando uma série de avaliações em seu equipamento. A distância para a Alpine foi ampliada em Ímola, mas podemos dizer que o time Papaya precisa prestar atenção nestes dois concorrentes.

“Trabalhamos tanto no Bahrein e tiramos muito pouco disso. E mesmo com um esforço maior que colocamos nas últimas corridas, é bom ver que está valendo a pena de alguma forma. Honestamente, trouxemos algumas pequenas coisas, mas nada que nos impulsionou para o P3”, disse Norris.

“Eu não acredito que tivemos o terceiro melhor carro hoje atrás da Red Bull e Ferrari. O Alfa Romeo também foi extremamente rápido. As melhorias que estamos trazendo estão definitivamente nos movendo para frente, lentamente e precisamos tentar manter isso”, concluiu o piloto.

Norris também acredita que a McLaren está progredindo, mas este não é momento para cravar eles como uma terceira força. O time tem um cronograma estabelecido para o restante da temporada, portanto novas atualizações serão implementadas ao carro, garantindo o seu crescimento ao longo do ano. A equipe tem 19 etapas pela frente para ainda desenvolver o MCL36.

Escute o nosso Podcast!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!