Fórmula E

Cassidy conquista vitória, após caos tomar conta do final da Corrida 1 em Nova Iorque

A chuva colaborou para as batidas. A corrida foi encerrada em regime de bandeira vermelha, mas Cassidy conseguiu faturar a vitória

O ePrix de Nova Iorque foi encerrado em bandeira vermelha. O final da corrida foi um grande tumulto, o caos foi instaurado após a chuva que surgiu nos últimos minutos da prova. Com a chuva piorando conforme a corrida foi avançando, alguns pilotos solicitaram a ativação da bandeira vermelha para que todos retornassem aos boxes com segurança, mas a direção de prova só optou pela interrupção da Corrida depois que vários acidentes aconteceram no traçado.

A direção de prova ainda estava tentando arrumar alguma forma para reestabelecer a corrida e fornecer um espetáculo aos espectadores, mas a chuva voltou a apertar, então mesmo restando pouco mais de sete minutos para o encerramento, a prova foi encerrada em bandeira vermelha.

Os líderes da prova escaparam na pista, perdendo o controle do carro por conta dos pneus degradados, combinados com a pista molhada. Nick Cassidy que fora dominante durante toda a prova, precisou se preocupar em alguns momentos com o ritmo de Lucas di Grassi e Stoffel Vandoorne. O neozelandês quase perdeu a sua primeira vitória, mas com o resultado da prova sendo estabelecido pela volta anterior, Cassidy pode desfrutar do lugar mais alto do pódio.

Como a corrida não teve prosseguimento, o brasileiro, Lucas Di Grassi garantiu o segundo lugar. Foi uma corrida movimentada, Di Grassi buscava a vitória, mas realizou uma manobra precisa em Vandoorne para recuperar o segundo lugar e garantir bons pontos. Robin Frijns ficou com o terceiro lugar, mostrando que o ritmo da Envision em Nova Iorque é muito forte.

Stoffel Vandoorne precisou se contentar com o quarto lugar, mas ainda é um resultado positivo para o belga. No campeonato o piloto da Mercedes assumiu o segundo lugar da tabela, somando 137 pontos, contra os 147 de Edoardo Mortara que conquistou o quinto lugar na 11ª etapa.

Jean-Éric Vergne teve uma classificação ruim e um resultado de prova difícil, o piloto fecha a etapa com 128 pontos.

A Fórmula E volta neste domingo para disputar mais uma classificação e corrida.

Saiba como foi a 11ª etapa da Fórmula E

Antes da largada ficou definido que os pilotos teriam neste ePrix duas ativações do Modo Ataque com duração de 4 minutos cada.

A Dragon não conseguiu concluir os reparos no carro de Sergio Sette Câmara, desta forma o brasileiro ficou fora da etapa. Câmara bateu forte na classificação, danificando a suspensão do seu carro.

Com a largada se aproximando, a temperatura na pista estava na casa dos 38°C, com 29°C no ambiente. Existia a previsão de garoa ao longo da sessão.

Cassidy conquistou a pole, o piloto da Envision dividiu a primeira fila com Vandoorne. O belga tinha vantagem, pois os outros postulantes ao título estavam espalhados no grid. Mortara começou a corrida do 9º lugar, enquanto Evans largou do 14º lugar e Vergne era o 16º colocado.

Pneu queimado, luzes apagadas e Cassidy, saltou na ponta, enquanto Di Grassi conseguiu obter a segunda posição. Vandoorne foi mais conservador e perdeu a posição para Buemi, desta forma o belga caiu para o quarto lugar. Frijns era o quinto colocado. Enquanto Mortara estava na oitava posição. Vergne espalhou na curva 7 e ficou parado na pista, provocando uma bandeira amarela localizada, após um toque de Evans. O então segundo colocado do Campeonato ocupava a 21ª posição.

A corrida seguiu com emoção, com os pilotos se aproveitando da proximidade do grid para disputar as posições. Durante a segunda volta, os dez primeiros eram: Cassidy, Di Grassi, Buemi, Vandoorne, Frijns, Wehrlein, Sims, Mortara, Dennis e De Vries. Giovinazzi seguiu para os boxes com problemas, abandonando a prova.

Di Grassi era pressionado por Buemi, mas o brasileiro resistia aos ataques do piloto da Nissan. Dennis foi o primeiro piloto a acionar o Modo Ataque, o piloto estava duelando diretamente com De Vries e rapidamente retornou ao nono lugar.

No quinto giro foi a vez de Sims e Mortara fazerem o uso dessa potência extra, se embolando então com Dennis mais uma vez. Di Grassi precisou se defender novamente dos ataques de Buemi. Pouco depois foi a vez de Mortara escapar de uma batida no muro de contenção, quando o seu carro perdeu a traseira.

Frijns tinha uma fila atrás do seu carro, o piloto da Envision também tinha cometido alguns erros durante a sexta volta, mas Sims não conseguia fazer a ultrapassagem, pois vários pilotos estavam com o Modo de Ataque ativo.

Di Grassi assumiu a liderança da prova na sétima volta, mas o piloto brasileiro estava sem a potência extra ativada. Cassidy e Buemi usavam o Modo Ataque. A Venturi estava mais preocupada com Buemi e os cálculos da equipe eram pensados para ele não perder a posição para o piloto da Nissan. Durante a oitava volta Di Grassi pegou o Modo Ataque e conseguiu retornar para o traçado regular atrás de Cassidy, mas à frente de Buemi, como era esperado pela equipe.

Na décima volta os dez primeiros eram: Cassidy, Di Grassi, Buemi, Vandoorne, Wehrlein, Sims, Dennis, De Vries e Mortara. O brasileiro começou a ter mais contato com Cassidy, desta forma tentava conquistar a primeira posição antes do acionamento do segundo Modo Ataque. No meio do pelotão estava todo embolado e com a proximidade erros aconteciam. Vantagem para De Vries que assumiu a oitava posição, pois Mortara tinha caído para o décimo lugar.

A curva 10, onde está localizado o Modo Ataque, possibilitava pontos para que os pilotos disputassem e até se arriscassem em algumas ultrapassagens, pois era um ponto onde facilmente os pilotos cometiam erros.

https://twitter.com/FIAFormulaE/status/1548357533223374848

O caos voltou a se instaurar na pista, com os pilotos do pelotão intermediário fazendo o seu segundo acionamento de Modo Ataque. Verg era o décimo nono colocado, mas muito distante de Turvey.

Na volta 18 Cassidy abandonou mais uma vez a liderança da prova para pegar o Modo Ataque. Vandoorne avançava no grid sem ter usado a sua segunda ativação de potência extra. O brasileiro perdeu a posição para Cassidy e Vandoorne quando saiu do traçado regular na curva 10, ocupando assim a terceira posição, pois ativou o Modo Ataque.

A corrida estava eletrizante no final, entre trocas de posição e o uso da potência extra, mas ainda restavam cerca de 20 minutos para o final. Desta forma, no giro 21, as dez posições eram: Cassidy, Di Grassi, Vandoorne, Buemi, Frijns, Wehrlein, De Vries, Dennis, Mortara e Sims.

Di Grassi tentava se distanciar de Vandoorne e assim ativou o seu fanboost, mas o belga também contava com essa potência extra, então na sequência o piloto da Mercedes conseguiu conquistar a segunda posição na volta 23.

Vandoorne então estava focado em buscar a vitória. Os três primeiros estavam andando praticamente no mesmo ritmo. Frijns conquistou a quarta posição, ultrapassando Buemi que caiu então para o quinto lugar.

A chuva começou a cair no traçado, faltando cerca de 12 minutos para o final. Di Grassi colocou o carro de lado, por dentro e passou Vandoorne, o piloto da Mercedes também perdeu a posição para Frinjs. Di Grassi era o segundo colocado. Mortara que tinha feito a sua escalada, assumiu a quinta posição, ficando colado em Mortara.

https://twitter.com/FIAFormulaE/status/1548361947556417537

Com a pista molhada, os pilotos ainda tentavam se manter no melhor traçado, mas começou a ficar difícil para alguns competidores. Da Costa estava com o carro danificado e precisou abandonar a corrida por um furo no pneu.

Na 30ª volta, os dez primeiros eram: Cassidy, Di Grassi, Frijns, Vandoorne, Mortara, Wehrlein, Buemi, Bird, Dennis e Vans. No caos, a chuva provocou um acidente. A direção de prova determinou a bandeira amarela, mas na sequência a prova foi paralisada em bandeira vermelha.

Di Grassi e Vandoorne escaparam na curva 7, Mortara também tinha passado reto, mas conseguiu retornar para a pista. Wehrlein, Buemi, Bird, Dennis também se envolveram em um incidente.

https://twitter.com/FIAFormulaE/status/1548366649849290756

A direção de prova pediu para que os carros que estavam envolvidos nos incidentes retornassem aos boxes. Existiam muitos pedaços de carro espalhados na pista, mas ainda insistiram na limpeza.

Tentaram retomar a corrida, mas como a chuva piorou outra vez, encerram a prova e o resultado foi determinado pela volta anterior a da bandeira vermelha.

Após o encerramento da corrida, o grid final ainda foi alterado por conta de algumas punições. Edoardo Mortara que excedeu o limite de velocidade em bandeira amarela, recebeu cinco segundos, desta forma o piloto que tinha terminado em quinto lugar, caiu para nono.

A mesma punição também foi aplicada para Jake Dennis, Oliver Askew e Mitch Evans. Pelo acidente de André Lotterer, com o Antonio Felix da Costa, o piloto da Porsche recebeu dez segundos de punição.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!