Café com Deborah – O que foi visto no GP da Itália

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Após uma semana do Grande Prêmio da Bélgica, a corrida italiana foi realizada e com isso mais uma vez a Ferrari se destacou, tanto com a vitória de Charles Leclerc e os problemas enfrentados por Sebastian Vettel.

lll Ferrari

Aproveitando o gancho, já podemos falar de Leclerc, o piloto monegasco conquistou a sua segunda vitória com uma diferença de apenas uma semana e com está marca se igualou a Bruce McLaren, Nigel Mansell, Damon Hill, Mika Hakkinen e o seu adversário direto nesta prova, Lewis Hamilton. O monegasco não estava para brincadeiras e batalhou como gente grande para segurar a primeira posição, se defendendo incessantemente dos ataques do inglês, com as flechas de prata. Em troca, teve a recompensa do povo italiano e mais precisamente os tifosi que dominaram todo o circuito, para presenciar aquela vitória, vista pela última vez no solo italiano em 2010 .

Por outro lado, Vettel não teve a chance de estar no pódio e vivenciar aquele momento, pois um erro na volta 6, levou toda a sua corrida por água abaixo. O alemão colidiu com Lance Stroll, quando tentava retornar para a pista após rodar. Este lance afetou todo o desenvolvimento da sua corrida e com isso ele cruzou a linha de chegada fora dos pontos. Com isso eles perderam a chance de obter um melhor desempenho em mais uma pista favorável ao time, devemos ficar atentos no desenvolvimento da Ferrari em Singapura.

lll Red Bull

Qualquer disputa foi apagada por conta do ritmo de Leclerc e Hamilton na ponta, mas devemos relembrar a disputa de Max Verstappen. O holandês da equipe de energéticos, largou da última posição, acabou danificando a asa dianteira ainda na largada e precisou realizar uma parada para realizar a troca da peça. Após este evento, ele começou a galgar posições e ir crescendo na prova, ainda que o carro da equipe não fosse o mais favorável ao circuito. Verstappen concluiu a prova na oitava posição, um bom lugar para aquele que enfrentou estas intempéries no início.

Alexander Albon, em sua segunda corrida pelo time, largou de oitavo e terminou em sexto, uma das posições herdadas por conta de Vettel ter deixado o páreo e Sainz abandonar a corrida. Foi um bom resultado para o tailandês que está em busca de mostrar o seu desempenho para o time e garantir a vaga em aberto para 2020.

lll Alfa Romeo

Acredito que o desempenho de um piloto muda quando ele já conhece a pista ou realizou uma boa corrida nela, por isso vejo a conquista de Antonio Giovinazzi nesta prova, como algo ligado com a vitória obtida na GP2 em 2016. O italiano correndo em casa, não errou em sua performance e cruzou a linha de chegada em nono e agora soma três pontos no campeonato. A sua melhora vem sendo construída aos poucos, mas a prova na Bélgica já havia mostrado um salto e foi realmente uma pena ele ter perdido o carro na última volta.

A Alfa Romeo segue em sua batalha com Racing Point, a sétima colocada e a Haas em nono, por isso é tão complicado ver Kimi Raikkonen com problemas em suas disputas, o objetivo desde o início da temporada era a melhora na classificação e crescimento na corrida, para chegar a zona de pontuação com os dois pilotos. Lembramos que o finlandês largou dos boxes, pois acabou batendo na classificação, durante o Q3. Da Bélgica eles saíram lisos e agora precisam correr contra o tempo com as corridas que ainda restam no campeonato.

lll Renault

Não está sendo a temporada da Renault a equipe fornecedora dos motores utilizados pela McLaren, foi facilmente superada por eles. Mas em Monza as coisas fluíram bem, largaram a frente dos carros da Red Bull, ocupando a quinta e a sexta posições, a prova converteu um quarto lugar para Daniel Ricciardo, seguido por Nico Hulkenberg, fazia tempo que o time não via uma dobradinha e por isso foi tão significativo o final de semana.

Com isso, conseguiram diminuir a diferença para a McLaren, para apenas 18 pontos, ficando no lucro pois a equipe rival, somou apenas um pontinho nesta prova. Fica difícil dizer se eles vão permanecer entre os dez primeiros, pois os próximos circuitos volta a ter características recorrentes aos circuitos em que eles não foram tão bem, mas vale sonhar com a conquista posto de quarta força.

lll Haas

A equipe americana vive um dilema bem complicado, o fim do patrocínio com a Rich Energy se deu por encerrado nesta semana e até o momento de publicação deste texto, não existe mais nenhuma informação, principalmente quanto as cores e estética do carro para a próxima corrida.

Com relação ao desenvolvimento do final de semana, a Haas vem enfrentando problemas nas corridas, pois ainda na classificação eles conseguem obter alguns resultados confortáveis. O ritmo de corrida não colabora e por conta deste fator, eles vão perdendo espaço na pista.

Kavin Magnussen enfrentou problemas hidráulicos e com necessário abandonar a prova, já Romain Grosjean perdeu performance após ser tocado na primeira curva e assim sua prova foi apagada, fechando em décimo sexto.

Difícil definir o destino da equipe, quando ela decidiu que não dividiria mais os seus passos com a Ferrari e seu acordo com o time italiano seria apenas baseado nos motores. Para a próxima temporada eles estudam substituir um piloto, mas fica meio complicado quando olhamos para aqueles que estão no mercado… A dança das cadeiras vai ter segmento, mas não seremos surpreendidos se o time optar por manter a dupla, mesmo com todos os problemas para a próxima temporada.

Não deixem de acompanhar as novidades nos canais do Boletim do Paddock, Twitter,  Facebook, Instagram e site.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!