BPBEATS 25 | Conselhos aos mais jovens

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

|De São Paulo/SP para Curitiba/PR voltando para São Paulo/SP:

lll RBS – Ricardo Bunnyman Soares;

lll CEV – Carlos Eduardo Valesi;

lll RBS: Qual trilha sonora podemos sugerir para esses pilotos tão novos que estão nos fazendo acreditar no futuro da Fórmula 1? Como está essa geração de pilotos? Fabio Ramiro, O FabioCa lá do AutoRadio Podcast talvez aprove o uso do som a seguir.

lll RBS: Sensação do momento. O filho que aprendeu com os erros do pai e herdou o talento da mãe, vem para Silverstone com a moral em alta.

lll CEV: Max corre com a cor da casa holandesa de Willem von Oranje, mas é tão belga (e humilde) quanto Hercule Poirot e pilota tão bem quanto batatas fritas com cerveja. Nosso conselho para ele vem do pessoal da Betty Goes Green que no mesmo 1997 que nos deu Verstappinho lançou um single dizendo prá não deixar ninguém te incomodar. Simplesmente coloque seu capacete, filho.

lll RBS: Outra sensação do ano. Ele que perdeu cedo demais seu mentor, Jules Biachi, em decorrência de um acidente no GP do Japão de 2014 e vem na sua Jornada do Herói buscando levantar um troféu no lugar mais alto e dizer, “Eu também tenho a força!”

lll CEV: Leclerc já veio acelerado. Em seu segundo ano na Fórmula 1 já começou a ver tudo vermelho e sentir o calor da torcida e as explosões de frustração de erros de equipe e falhas mecânicas. Tudo que ele precisa para soltar o grito é o que o Metallica pedia no ano em que ele nasceu: combustível para ser campeão.

lll RBS: Jules também era uma jovem promessa. Nascido na França em 1989, dizem que tinha assento garantido na Ferrari.

lll RBS: Max Verstappen e Charles Leclerc trouxeram à rapaziada momentos emocionantes no GP da Áustria onde a toda poderosa e líder Mercedes pouco foi citada.

lll RBS: Temos mais jovens assim. Vejam o que fez Lando Norris da McLaren nesse GP. Uma McLaren que finalmente está colocando o nariz para fora da água e consegue respirar depois de anos. Lando nasceu em 1999, um dos últimos filhos do século passado, tem grandes títulos na carreira e mostra que quer mais.

lll CEV: Lando já está brigando ativamente pelo posto de primeiro piloto da equipe. Para um garoto que é sempre solícito com os fãs, comenta o post de todo mundo nas redes sociais e está sempre com um sorriso no rosto, o conselho vem da música de 1999 do Green Day: caras legais terminam por último.

lll RBS: Alexander Albon de origem Tailandesa mas nascido em Londres no ano de 1996, o piloto da Toro Rosso vem acompanhando de perto seu parceiro de equipe, o (um pouco mais) experiente Daniil Kvyat. Apenas 3 pontos os separam.

lll CEV: Albon, apesar de mais “velho” do que os pilotos citados anteriormente, é geralmente visto como coadjuvante. Mesmo nas fotos em que ele, Leclerc e Norris aparecem pequenos, na época do kart, ele está em segundo plano. É hora de pesar o pé no da direita e deixar suas raízes falarem mais alto.

lll RBS: Antonio Giovinazzi da Itália, nascido em 1993 estreia na Ex-Sauber e agora lendária Alfa Romeo. O bambino tá em casa mas só fez seu primeiro ponto na Áustria. Em 93 tínhamos o grunge e indie bem no auge.

lll CEV: Giovinazzi é o tiozão dessa turma, mesmo tendo nascido do ano em que eu entrei na faculdade. Ele é geralmente visto como o patinho feio (não pelo visual) dessa nova geração, e precisa mais do que qualquer outro citado aqui hoje se provar. O grunge estava bombando no ano em que ele nasceu, mas sinceramente não encontrei nenhum conselho válido no In Utero, do Nirvana. Então fui buscar nossa dica numa banda de tiozões que ainda estava mostrando para a molecada como fazer sucesso na MTV em 1993. Antonio, o negócio é viver no limite.

lll RBS: George Russell, nascido na Inglaterra em 1998, atual campeão da Formula 2 e está dando um cacete no antigo expoente da Formula 1 na década passada. Fato, Kubica está passando vergonha. Poderíamos aqui fazer um paralelo com aquelas bandas que já deveriam ter parado faz tempo ou que fazem revival para pagar boletos.

lll RBS: Qual será o futuro do Russell se ficar apenas empurrando carroça?

lll CEV: Pois é, essa Williams tá tão triste e ruim quanto aquelas bandas emo de Liverpool da década de 80. Já Russell é um cara bom, tudo o que ele precisa fazer é evoluir.

lll RBS: Ahhhh essa juventude… Quem entende bem esses novos tempos é o Valesão da Garotada, né parça?

lll CEV: Bom, meu nobre Bunnyman, o que eu posso dizer para você que também valha para Max, Charles, Lando, Alex e George alem disso?

lll BPBeats é uma produção da dupla que não é sertaneja, contudo é a prova que panela velha faz comida boa sim, Carlos Eduardo Valesi que já era residente fixo do BP em conjunto com Ricardo Bunnyman peça única da podosfera tupiniquim que foi recentemente adquirido em um leilão beneficente e por uma força do destino do qual nem os búzios, nem os zodíacos e muito menos os físicos teóricos da Magrathea poderiam prever que o encontro desses dois surgiria uma série tão empolgante e digna das melhores revistas do ramo musical tal qual como Rolling Stones e da saudosa MTV, apreciem sem moderação.

Assinar

BPCast

Ou assine com seu app favorito usando o endereço abaixo

BP Beats

Depois de um bate papo no happy hour do BP, entre uma brincadeira e outra surgiu a ideia de uma nova atração no site que é essa que o Amigo Cabeça de Gasolina está pondo os olhos agora: O BP Beats tem como ideia fazer algum tipo de sintonia com o automobilismo e sua provável trilha sonora, sob a batuta de Carlos Eduardo Valesi e Ricardo Bunnyman você irá serpentear pelo universo do automobilismo com rápidas paradas nos mundos colonizados por músicos e suas obras!!!