Barcelona Dia 4 – Hülkenberg acelera forte nesta tarde, levando a Renault a ponta

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

A última sessão desta semana inicial de testes, realizada nesta quinta-feira (21) em Barcelona, terminou liderada por Nico Hülkenberg. O alemão estava em um programa de simulação de classificação e com o composto C5 (faixa vermelha – hipermacio) registrou 1:17:393.

A boa volta, serviu para tirar Alexander Albon da Toro Rosso da liderança da tabela de tempos. No final da tarde do terceiro dia de testes, foi a vez de Daniil Kvyat levar a equipe ao primeiro lugar. Albon permaneceu em segundo separado apenas por 0s244.

Daniel Ricciardo também manteve o tempo matinal, que lhe garantiu a terceira colocação. Desta forma a segunda melhor volta da tarde ficou com Valtteri Bottas, que ao calçar o C5, ultrapassou Lewis Hamilton que caiu para o quinto lugar.

Ferrari e Red Bull ficaram longe dos primeiros lugares, mas utilizaram o dia para adquirir quilometragem e constatar a confiabilidade dos seus carros. Ambos passaram a tarde em giros mais lentos, verificando a durabilidade dos pneus. Lando Norris para a McLaren assim como Antonio Giovinazzi com a Alfa Romeo dedicaram o seu tempo a um programa parecido. O italiano deu 154 voltas ao longo do dia.

Magnussen assumiu o carro da Haas e ficou em décimo, atrás de Grosjean que era o nono, juntos somaram 60 voltas. A Racing Point guiada por Stroll era a décima segunda, com 72 giros.

George Russell ficou apenas na frente de Robert Kubica, a Williams mais uma vez realizou um programa bem particular e o jovem piloto completou apenas 17 voltas após assumir o carro na sessão vespertina.

lll Saiba como foi a tarde dos testes em Barcelona

Após a pausa para o almoço, algumas trocas de pilotos aconteceram nos boxes. Nico Hulkenberg passou a ocupar a Renault, substituindo Daniel Ricciardo, Valtteri Bottas realizou o revezamento com Kevin Magnussen, enquanto Romain Grosjean era substituído por Kevin Magnussen. George Russell seguiu as atividades para a Williams, o FW42 até o momento era conduzido por Robert Kubica.

Antonio Giovinnazzi foi o primeiro a deixar os boxes, fazendo o uso dos compostos C3 (faixa amarela – macios). O italiano não demorou muito para aferir uma nova volta no circuito, mas após seis voltas com o composto a sua marca havia aumentado e permanecia alta. Giovinazzi passou o resto da sessão mantendo o tempo que foi obtido ainda na manhã 1:18:511.

Aos poucos outros pilotos como Gasly, Magnussen e Stroll deram início as suas atividades com o C3, mas cerca de vinte minutos depois, Leclerc e Bottas eram vistos com o C2 (faixa branca – duros) instalados.

O finlandês foi o primeiro a ter uma boa marca a tarde, Bottas anotou 1:18:356. Mas os objetivos dos outros pilotos estavam mais ligados a adquirir quilometragem. Bem parecido com o que ocorreu durante a tarde de ontem.

Com pouco mais de uma hora e meia de sessão realizada, o piloto da Mercedes, retornava a pista após uma breve pausa, com o W10 calçado com os compostos C4, para anotar 1:17:955, se mostrando bastante competitivo.

Aos poucos os pilotos passaram a testar outros compostos, Magnussen retornou com o C3, conseguindo subir para a oitava posição ao anotar 1:18:720.

Leclerc foi o primeiro piloto a passar das 100 voltas atingindo 113 rapidamente e logo depois Giovinazzi (107) e Gasly (103) estavam bem atrás dele com a quantidade de giros.

Mostrando que a Mercedes estava dedicada a fazer testes de voltas mais rápidas, Bottas instalou o C5 (faixa vermelha – hipermacios) e superou o companheiro de equipe ao anotar 1:17:857, assumindo a quarta posição que até o momento era de Lewis Hamilton.

Sem estar focada nos tempos a McLaren apostou nos long-runs e na permanecia de Norris na pista.

Restando pouco mais de 1h20 para o final da sessão, Nico Hülkenberg que estava com o C5 instalado na sua Renault deu uma volta voadora, anotando 1:17:393, passando a primeira posição na tabela de tempos. Conseguindo superar a marca que havia sido obtida por Albon com a Toro Rosso, durante a manhã.

Se aproximando da última hora, Hulkenberg acabou acionando uma bandeira vermelha ao ficar estacionado na chicane. Com o carro removido a bandeira verde foi acionada em 10 minutos e as atividades recomeçaram.

Por fim, após mais algumas voltas, Giovinazzi enfrentava problemas com a Alfa Romeo, restando 8 minutos para o fim. O italiano ficou parado no pit-lane quando tentava sair com o carro, provocando uma bandeira vermelha. Com a sessão liberada após um ajuste rápido feito em seu carro, o piloto tentou retornar para a pista e mais uma vez ficou parado, agora na curva 4, desta forma a última sessão da semana foi finalizada com bandeira vermelha.

https://twitter.com/F1/status/1098634683120828417

Rubens Gomes Passos Netto

“Netto”, popularmente conhecido entre os imigrantes Guaxupeanos que tocam a zueira no pequeno município de São Paulo, gosta de comprar livros e outras bugigangas que orbitam o universo da Fórmula 1, já semeava a discórdia ao aceitar o rótulo de “nerd”, quando em terras tropicais, tal rotulo era algo, um tanto quanto pejorativo aos descendentes de primatas residentes nas regiões montanhosas produtoras de café, o que julgava ser maravilhoso, ainda mais sendo um apaixonado pela Fórmula 1, fã da McLaren por paixão e pela Ferrari por criação, já que nasceu em uma família descente de italianos produtores de café e não fabricantes de macarrão, na sua pacata opinião a melhor temporada foi a 2008, já que por um infortúnio reprodutivo de seus pais não conseguiu assistir a temporada de 1986, admira e muito o Emerson Fittipaldi, tem como o carro dos sonhos o McLaren MP4/4 e sonha em um dia ou noite pilotar em Spa e provar que as teorias que não levam a humanidade a lugar algum dos quais ele defende são mais úteis que um relógio digital, salvo se for para comer um pastel de camarão acompanhado de um chopp escuro.