ColunistasFórmula 1Post

Após novo abandono duplo da Ferrari, Red Bull consagra dobradinha liderada por Verstappen no GP do Azerbaijão

O GP do Azerbaijão foi disputado neste domingo (12) no forte calor de Baku, como oitava corrida da temporada 2022. Existia muita expectativa entre o duelo Red Bull e Ferrari, mas o time austríaco foi superior neste domingo. Na largada Sergio Pérez surpreendeu Charles Leclerc para assumir a liderança, o mexicano comandou a ponta por algumas voltas.

Pérez claramente tinha um ritmo mais forte, pois logo estabeleceu uma diferença para o monegasco. Max Verstappen também desfrutou do bom ritmo do seu carro, para pressionar o piloto da Ferrari em busca de uma ultrapassagem. A Ferrari poderia tentar uma estratégia diferente para ao menos garantir um ponto, mas a sorte novamente não esteve ao lado da equipe.

Carlos Sainz abandonou com um problema de motor, acendendo um alerta na Ferrari. Charles Leclerc foi chamado aos boxes e substituiu logo os pneus, aproveitando o regime em Virtual Safety Car, para tentar ter alguma vantagem quando a dupla da Red Bull realizasse as suas paradas. O monegasco até liderou a prova depois de Pérez e Verstappen trocarem os pneus, mas na sequência também abandonou a corrida, com um outro problema no motor.

A Red Bull ganhou a oportunidade de realizar uma corrida mais tranquila, sem precisar forçar o ritmo, ainda que Max Verstappen não estivesse controlando a sua velocidade, mesmo com todos os alertas do seu time. O holandês venceu pela quinta vez na temporada, dividindo o pódio com Sergio Pérez.

Quem assistiu a prova também esperou um duelo mais intenso entre os companheiros de equipe, mas Verstappen tomou distância para Pérez depois daquela parada bem ruim realizada para o mexicano. Outros pilotos que fazem uso dos motores da Ferrari, como Kevin Magnussen e Zhou Guanyu também abandonaram.

O pódio caiu no colo de George Russell, o britânico que começou a corrida do quinto lugar, contou com uma estratégia segura e por consequência foi ao pódio pela terceira vez na temporada. Lewis Hamilton realizou uma prova desafiadora, brigou por ultrapassagens e conseguiu o quarto lugar.

Pierre Gasly foi o quinto colocado, mas tentou garantir uma posição melhor para a AlphaTauri, mesmo sofrendo a pressão de Hamilton por algumas voltas. Infelizmente Yuki Tsunoda não esteve no top-10, o piloto lidou com um problema no DRS e precisou passar pelos boxes para fazer reparos em seu carro. O japonês brigou pela sexta posição.

Sebastian Vettel pontuou mais uma vez no Azerbaijão, o piloto alemão foi o sexto colocado, seguido por Fernando Alonso que ficou com a sétima posição. A Alpine trabalhou bem com a sua dupla de pilotos, gerando oportunidade para eles terminarem nos pontos. Esteban Ocon foi o décimo.

Após uma classificação difícil a dupla da McLaren terminou na zona de pontuação, Daniel Ricciardo por o oitavo colocado, enquanto Lando Norris obteve o nono lugar.

A Fórmula 1 retorna na próxima semana com o GP do Canadá.

Saiba como foi o GP do Azerbaijão 

A Aston Martin e a Mercedes tiveram que trabalhar no motor de Lance Stroll após a classificação, foi identificado que ele estava com uma potência abaixo do que era esperado. O canadense bateu durante o TL1, mas não estava conseguindo acompanhar o ritmo de Sebastian Vettel.

Charles Leclerc conquistou a pole e estava dividindo a primeira fila com Sergio Pérez. O mexicano superou Max Verstappen mais uma vez na classificação, após ter um fim de semana mais positivo do que o do holandês.

Instantes antes da largada, a temperatura na pista estava na casa dos 49°C, com 26°C no ambiente.

Largaram com os pneus duros, apenas Ricciardo, Ocon, Bottas, Latifi, Stroll e Schumacher, enquanto os outros pilotos começaram com os pneus médios.

Quando as luzes se apagaram para a disputa das 51 voltas, o carro de Pérez tracionou melhor e o mexicano tomou a liderança do monegasco. Leclerc ficou com a segunda posição depois do pneu dianteiro direito travou, o monegasco também lidou com os ataques de Verstappen e Sainz buscava o piloto da Red Bull. Vettel ultrapassou Tsunoda para ficar com a oitava posição.

Russell estava se aproximando de Sainz, conseguindo andar abaixo de um segundo. Enquanto Verstappen tinha estabelecido mais de um segundo de vantagem para Sainz, sendo praticamente a mesma vantagem de Pérez para Leclerc.

A largada foi sem incidentes, desta forma a corrida seguiu sem problemas. Latifi foi punido pois o mecânico tocou em seu carro instantes antes da volta de formação e logo se dirigiu aos boxes para cumprir a punição. Durante a terceira volta os dez primeiros eram: Pérez, Leclerc, Verstappen, Sainz, Russell, Gasly, Hamilton, Vettel, Tsunoda e Alonso.

Com o DRS já ativado, Verstappen ganhou a chance de intensificar os ataques e buscar a segunda posição que era de Leclerc. Além disso, o piloto da Red Bull tentava buscar o vácuo para conseguir um resultado melhor.

Durante a sexta volta, Magnussen realizou a ultrapassagem em Albon, para assumir a décima quinta posição. O piloto da Haas tentava buscar Zhou Guanyu. Sergio Pérez tinha mais de dois segundos de vantagem para Leclerc, enquanto Verstappen seguia a sua perseguição.

Por conta das distâncias que estavam bem estabelecidas, as disputas na pista ficaram mais raras. Ricciardo começava a reclamar do ritmo de Norris, pois o seu companheiro de equipe estava à frente.

Durante a nona volta, o carro de Sainz começou a apresentar problemas de câmbio. O piloto da Ferrari abandonou a corrida na curva 4. O Virtual Safety Car foi ativado e na sequência Leclerc realizou a sua parada, mas ela foi bem ruim, pois o carro ficou preso no macaco usado para levantar o carro. O monegasco estava acompanhado por Russell, Gasly, Vettel, Hamilton, Tsunoda, Zhou, Magnussen, Albon e Schumacher. Leclerc retornou na terceira posição. Vettel conseguiu ganhar a posição de Hamilton nos boxes.

Pérez e Verstappen seguiam na liderança, permanecendo mais tempo na pista antes de realizar a parada obrigatória. O mexicano tinha cerca de 2 segundos de vantagem para o companheiro de equipe. Vettel ameaçava Ocon durante a décima segunda volta, perseguindo o piloto da Alpine que largou com os pneus duros. Vettel estava com compostos duros mais novos do que os usados pelo francês, por ter realizado a sua parada antes do francês.

No giro seguinte, quando o alemão tentava a ultrapassagem, ele passou reto pela terceira curva. Vettel retornou para a pista atrás de Yuki Tsunoda, caindo para o décimo segundo lugar. Desde os treinos livres os carros da Aston Martin não estavam bem acertados com os freios, Vettel reclamou deles na classificação.

Sobrou para Hamilton atacar Ocon, brigando pelo nono lugar durante o décimo quarto giro. Na volta seguinte foi a vez de Max Verstappen ultrapassar Sergio Pérez e ganhar a liderança. Rapidamente o holandês ganhou mais de 1s6 de vantagem para o seu companheiro de equipe.

Pérez foi chamado aos boxes para realizar a sua troca de pneus na volta 17, a sua troca foi bem ruim, a equipe perdeu 5s7 segundos, onde o carro ficou preso pelos mecânicos. O mexicano retornou na terceira posição, devolvido em cima de Russell, atrás de Leclerc.

Na volta 18, Hamilton seguia atacando Ocon, para instantes depois obter o nono lugar, enquanto mais à frente Alonso segurava a dupla da McLaren. Verstappen fez a sua troca de pneus na volta 19, o holandês retornou à frente de Pérez, o seu pneu traseiro esquerdo foi o que deu problema durante a substituição, mas a troca aconteceu em 3s7. Alonso também fez a sua troca de pneus, mas retornou na décima sétima posição.

Na vigésima volta os dez primeiros eram: Leclerc, Verstappen, Pérez, Russell, Norris, Ricciardo, Gasly, Hamilton, Ocon e Tsunoda. Alonso ultrapassou Stroll.

Enquanto liderava a corrida, o motor de Leclerc apresentou problemas e o monegasco abandonou a prova durante a volta 21, com mais um problema de falta de potência. A McLaren aproveitou o momento para trocar os pneus de Norris, enquanto Ricciardo tentava segurar Gasly, mas a ultrapassagem foi inevitável na volta 23. Tsunoda assumiu a sétima posição, assim que ultrapassou Ocon.

Com o abandono de Leclerc, Russell estava no pódio. Zhou foi chamado para os boxes, pois o seu motor também começou a apresentar problemas, o piloto da Alfa Romeo estava no décimo lugar. Vettel foi para cima de Ocon mais uma vez, mas o piloto da Alpine conseguia manter a oitava posição.

Usando pneus duros mais novos, Hamilton realizou a ultrapassagem em Ricciardo durante a volta 27, tomando a quinta posição do piloto da McLaren. Alonso retornou ao top-10 com a ultrapassagem que realizou em Magnussen. Ocon também estava sofrendo com os seus pneus duros, assim Alonso também ultrapassou o seu companheiro de equipe. Neste momento da prova apenas Ricciardo (6º), Ocon (9º), Bottas (12º) e Stroll (13º) não tinham realizado as suas paradas ainda, pois começaram a corrida com os pneus duros.

Ocon começava a se tornar uma presa, mas era difícil realizar ultrapassagens. Magnussen estava duelando com o piloto da Alpine pelo top-10.

Verstappen estava em um ritmo muito forte, o holandês já passava dos 9 segundos de vantagem para Pérez. O time avisou o holandês que ele estava forçando muito o carro e poderia realizar uma corrida mais tranquila.

Na volta 33, Kevin Magnussen teve um problema semelhante ao dos carros da Ferrari e foi obrigado a encostar o carro. O Virtual Safety Car foi ativo, desta forma a Red Bull parou Verstappen e Pérez, enquanto a Mercedes respondeu a parada do time austríaco com Russell. O time alemão também substituiu os pneus usados por Hamilton, enquanto Riccardo ganhou o benefício de colocar os pneus médios, com a pista toda em regime de bandeira amarela.

Com 35 voltas os dez primeiros eram: Verstappen, Pérez, Russell, Gasly, Tsunoda, Hamilton, Vettel, Alonso, Ricciardo e Norris.

Novamente com a pista liberada, Hamilton ultrapassou Tsunoda para ficar com a quinta posição. Verstappen seguia na liderança, abrindo mais de 13 segundos de vantagem, mas Pérez. O holandês estava andando na casa de 1m46s. O DRS no carro de Tsunoda estava abrindo apenas a metade, a direção de prova então deu a bandeira preta e laranja, informando que o piloto japonês precisaria passar pelos boxes para realizar reparos.

Tsunada se dirigiu para os boxes na volta 40, substituiu os pneus e a equipe colocou a asa traseira, pois é impossível realizar a sua substituição durante a corrida em andamento. O japonês foi devolvido com os pneus macios para a pista, ocupando a décima terceira posição.

Outra disputa se aproximava neste final de prova, Hamilton começou a reduzir a diferença para Pierre Gasly que estava no quarto lugar, mas os pneus do francês tinham completado 33 voltas, enquanto Hamilton estava com compostos duros mais novos. A AlphaTauri informava que mesmo com uma possível ultrapassagem de Hamilton, estar no top-5 já era um ótimo resultado para a equipe.

Antes do final da volta 44 Hamilton assumiu o quarto lugar. No giro seguinte Latifi foi punido com cinco segundos por ter ignorado a aplicação de bandeiras azuis.

A corrida ficou mais morna com a aproximação do final. Stroll foi chamado para os boxes a abandonou a prova depois que algumas anormalidades foram identificadas no AMR22.

Max Verstappen recebeu a bandeira quadriculada na liderança, conquistando a quinta vitória da temporada 2022. O piloto holandês dividiu o pódio com Sergio Pérez, seguido por George Russell da Mercedes. Lewis Hamilton recebeu foi considerado o piloto do dia ao conquistar o quarto lugar.

Mostrar mais

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou o meu interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Hoje gosto de tirar fotos e escrever textos!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Adblock detectado

O BP É UM PORTAL INDEPENDENTE E OS ANÚNCIOS AJUDAM NA NOSSA MANUTENÇÃO, SE POSSÍVEL DESABILITE O SEU BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS!!!