27 de outubro 2002, A corrida mais lenta da história

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Mais uma vez a Cart chegava a Austrália com o campeonato já decidido. Cristiano da Matta da Newman-Haas havia fechado a disputa na etapa anterior nas ruas de Miami. Era o quarto título da equipe quebrando um incômodo jejum de 9 anos, mesma situação para a Lola que finalmente conseguia quebrar a sequência de 7 triunfos seguidos da Reynard. Foi também a primeira conquista da Toyota no automobilismo norte americano e a primeira da marca em uma categoria top desde o título de Didier Auriol no WRC (Mundial de Rally) em 1994.

Fonte: @cristmotorsport

A primeira fila era 100 % brasileira com o campeão Cristiano da Matta na pole, a seu lado Bruno Junqueira da Ganassi. Na sequência Tony Kanaan, Kenny Brack, Paul Tracy e Scott Dixon. Mario Dominguez da Herdez Competition, guardem bem esse nome, fechava o grid na 18º posição, o mexicano fora 3.451s mais lento que o pole.

Fonte: @cristmotorsport

O domingo estava muito chuvoso em Surfers Paradise, via-se claramente nas primeiras voltas de apresentação que os carros levantavam uma quantidade considerável de spray. Mesmo assim a Cart deu a bandeira verde com os carros alinhando-se lado a lado como de costume. Bruno Junqueira superou Da Matta e assumiu a ponta. No meio do pelotão ninguém enxergava absolutamente nada e essa foi a chave para um verdadeiro strike. Jimmy Vasser (Rahal) tocou com Adrian Fernandez (Fernandez Racing), os pilotos que vinham atrás começaram a diminuir a velocidade, mas como a visibilidade era nula Michael Andretti (Green) encheu a traseira de Patrick Carpentier (Forshyte), o carro do canadense foi arremessado contra o de Jimmy Vasser que capotou ficando perigosamente de cabeça para baixo, mas o pior ainda estava por vir, o último colocado no grid Mario Dominguez já de motor cheio e em altíssima velocidade fez um strike acertando em cheio Tora Takagi (Walker), o carro do japonês foi assustadoramente arremessado contra o bólido de Adrian Fernandez, por sorte não atingiu a cabeça do mexicano. Dos carros envolvidos apenas Christian Fittipaldi (Newman-Haas) escapou ileso. Uma das cenas mais comoventes deste grave acidente foi a dos mecânicos da Ganassi saltando para dentro da pista e indo ao socorro de Jimmy Vasser que fora piloto do time até o ano 2000.

Fonte: @cristmotorsport

Saldo da confusão, 8 carros envolvidos: Jimmy Vasser, Adrian Fernandez, Tora Takagi, Alex Tagliani, Patrick Carpentier, Michel Jourdain Jr, Michael Andretti e Mario Dominguez. Fernandez e Takagi foram levados direto ao hospital. Paralisação de cerca de uma hora e meia para resgate dos pilotos e limpeza dos detritos na pista. Curiosamente durante a paralisação a chuva diminuiu. Neste período ocorreram várias conversas entre os pilotos liderados por Christian Fittipaldi e o diretor de provas da Cart, Chris Kniffe. Decidiram por retomar a prova com os 16 carros restantes diminuindo o número de voltas de 70 para 50.

Fonte: @cristmotorsport

A largada finalmente foi dada na volta 4, desta vez em fila indiana, durante 7 voltas em bandeira verde os pilotos guiaram com muito cuidado, ocorrendo apenas 2 trocas de posição, Kenny Brack superando Tony Kanaan e Alex Tagliani suplantando Christian Fittipaldi. Mario Dominguez escapou na curva 8 e Paul Tracy rodou na curva 9 voltando como de costume a pista de maneira estabanada e tocando de leve em Scott Dixon. Na volta 10 a bandeira amarela teve que ser acionada pois a chuva aumentou muito. Como todos imaginavam ser uma bandeira amarela curta, vários carros foram aos pits reabastecer, dos líderes apenas Bruno Junqueira não entrou nos boxes. A chuva aumentava cada vez mais, a noite começava a cair em Gold Coast, mas a Cart totalmente perdida não sabia o que fazer. Dar bandeira vermelha e completar a prova na segunda era inviável afinal as ruas precisavam ser liberadas para o tráfego normal dos moradores da cidade e também pelo fato da categoria no domingo seguinte ter prova marcada para o oval de Fontana na Califórnia, logo a desmontagem e embarque de equipamentos deveria começar no domingo à noite.

Fonte: @cristmotorsport

Todos esperavam que a bandeira vermelha fosse dada na volta 35 (prova inicialmente prevista para 70 voltas), pelas regras da Cart com metade das voltas percorridas a prova poderia ser encerrada com os pontos contando em sua totalidade. Michael Andretti da Green tentou este pulo do gato, ficando na pista até a volta 35, mas inexplicavelmente a Cart levou a prova em bandeira amarela até a volta 40. A chuva aumentava a cada instante e a noite começava a cair rapidamente sobre Surfers Paradise. Em meio a toda essa confusão o mexicano Mario Dominguez da nanica Herdez Competition que largara em último, batera na primeira largada, em bandeira verde virava de 7 a 10 segundos mais lento que os lideres, e pelo fato de ser o último não tinha nada a perder pode ser um dos últimos a parar para reabastecer. Logo quando todos os concorrentes à sua frente precisaram ir aos boxes para reabastecer Dominguez assumiu a ponta na volta 37, causando surpresa até mesmo na equipe do canal Speed que transmitia a prova para os Estados Unidos. Após 30 voltas consecutivas em bandeira amarela a Cart finalmente encerrou a prova e Mario Dominguez precisou liderar apenas 3 voltas em bandeira amarela para conquistar uma inesperada, inusitada e surpreendente primeira vitória. O podium foi completado pelos canadenses Patrick Carpentier e Paul Tracy.

Fonte: @cristmotorsport

Infelizmente a Cart vivia em 2002 o seu apagar das luzes, a categoria havia sofrido um forte golpe quando ainda no final de 2001 a Penske, nada menos que sua principal equipe, havia anunciado que estava migrando para a rival IRL, levando consigo a dupla Gil de Ferran e Hélio Castroneves, no início de 2002 Firestone e Goodyear também debandaram, cabendo a Bridgestone ser fornecedora única de pneus. As baixas não paravam por aí, Honda e Toyota estavam de malas prontas para a IRL bem como os pilotos Tony Kanaan, Dario Franchitti, Michael Andretti, Scott Dixon e Kenny Brack. Cristiano da Matta estava de mudança para a F1, Christian Fittipaldi iria para a Nascar Busch Series. Entre as equipes Ganassi e Green (futura Andretti Green) também iriam para a IRL. Em processo de falência não se sabia sequer se a Cart realizaria um campeonato em 2003. Um fim triste para uma das categorias mais legais do automobilismo mundial.

Fonte: @cristmotorsport

Voltando a Gold Coast, a categoria realizara a prova mais lenta de sua história e provavelmente uma das mais lentas da história do automobilismo moderno. A velocidade média do vencedor foi de míseros 90 km/h. A efeméride mais saborosa foi o fato do vencedor ter largado em último e não liderado uma volta sequer em bandeira verde, e também pelo fato que até então seu melhor resultado haver sido um 8º lugar em Road América. Em condições Mario Dominguez e a equipe Herdez seriam meros retardatários. Apenas uma categoria como a Cart poderia proporcionar uma zebra como a vitória de Mario Dominguez na Austrália.

https://twitter.com/cristmotorsport/status/923838987223158784

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da história, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, Wikipédia erra o Cristiano não.