19 de agosto e o GP da Áustria de 1973 – Ronnie Peterson e sua luta pelo Campeonato Mundial – Dia 90 dos 365 dias dos mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Retornamos ao passado novamente Marty McFly

Caso ainda vocês não chegaram a ler sobre o GP da Áustria de 1979 (clique aqui). Estamos agora em 1973, e nem tudo continua sendo mil maravilhas para os nossos pilotos. As inúmeras disputas entre as equipes Tyrrell e Lotus ainda continuava nos holofotes. Mas o brilho no final desta temporada tornou-se fosco devido a morte do francês François Cevert (algo que já cheguei a comentar num passado ou futuro) dentro deste baú do Boletim do Paddock.

| 19 de Agosto de 1973

Jackie Stewart e Emerson Fittipaldi, não trocavam flores. Isto já estava bem claro desde o começo e as coisas passaram a ficar piores quando o inglês já havia vencido 5 de 11 corridas, enquanto neste mesmo período o brasileiro havia vencido apenas 3 corridas na temporada.

O restante das provas ficaram por conta do nosso protagonista Ronnie Peterson, mais conhecido como “O sueco voador”. Peterson, passou a ter este apelido justamente por inúmeras vezes fazer o seu carro deslizar nas quatro rodas. Técnica hoje conhecida como Drift.

Podemos dizer também que Peterson, levou sua experiência e estilo aplicado no kart para as pistas de F1, algo que lhe rendeu definições peculiares do tipo: extremamente arrojado e hábil, contrastando com uma aparência delicada e físico relaxado, além de ser tímido e assim conquistando a fama.

Ronnie Peterson – Fonte: @pinterest

| A corrida

Osterreichring, Áustria.

Fonte: gps.gpexpert

O evento chamado “Memphis Grand Prix”, tornou-se o palco de uma chuva de abandono por problemas mecânicos, acidentes e alguns imprevistos. O circuito contou com 54 voltas, numa extensão de 5.911 quilômetros, o décimo segundo grande prêmio da temporada não teve a participação de Niki Lauda, pelo fato de estar se recuperando do pulso fraturado.

Desta maneira o grid estava formado na primeira fila com Emerson Fittipaldi que havia realizado a melhor volta garantindo a pole. O parceiro de equipe e rival Ronnie Peterson, estava ao teu lado assumindo a segunda posição.

A segunda fila estava formada com o neozelandês Denny Hulme, onde manteria firme sua terceira posição contra o americano Peter Revson, em quarto. Enquanto isso os pilotos, o argentino Carlos Reutemann e o italiano Arturo Merzario, trocariam faíscas na terceira fila e assim, garantindo uma bela disputa pela quinta e sexta posição no grid.

Na quarta fila, o inglês Jackie Stewart, largou na sétima posição ao lado do brasileiro Carlos Pace, em oitavo. Lá quase no final da fila, o também brasileiro, Wilson Fittipaldi iniciou a corrida na décima sexta posição pela equipe Brabham.

Final do grid – Fonte: gps.gpexpert

Dada a largada e o brasileiro Emerson Fittipaldi, perde a primeira posição para Ronnie Peterson que é seguido por Hulme que também aproveita para passar Fittipaldi ainda na entrada da primeira curva, após subir esta linda ladeira na foto acima.

Peterson assume a primeira posição, Hulme vem em segundo e E. Fittipaldi luta para não perder a terceira posição ainda na volta inicial.

A equipe McLaren perder teu primeiro piloto, o americano Peter Revson, que não conseguiu sair com o carro por falhas na embreagem.

Ainda com muitas ultrapassagens, o italiano Merzario pela equipe Ferrari deixou Reutemann falando sozinho e assumiu a quarta posição, tendo na sua bota, o inglês Stewart pela equipe Tyrrell, que também aproveitou a oportunidade e conquistou a quinta posição, deixando-o furioso em sexto lugar, o argentino Reutemann.

Enquanto isso, o brasileiro Pace ganha uma posição e se mantém no sétimo lugar pela Surtees. O inglês James Hunt pela March-Hesketh, assume a oitava posição. Logo já ameaçado pelo francês François Cevert, pela Tyrrell que vinha com velocidade na nona posição e que também já estava sendo pressionado pelo conterrâneo, o também francês Jean-Pierre Beltoise, pela BRM e que já havia ganhado três posições ainda na primeira volta.

No decorrer das primeiras voltas fica claro o domínio de Peterson, Hulme e E. Fittipaldi. Nisto, o piloto inglês Mike Beuttler, da March-Hesketh perde o controle e bate no guard-rail e abandona a prova. Lá na frente, antes de completar a terceira volta, James Hunt também deixa a prova por problemas de injeção se arrastando ao entrar nos boxes da March.

James Hunt – Fonte: @podcastf1brasil

Por falha na suspensão, Cevert muito inconformado deixa a prova nos boxes da Tyrrell, logo a frente o piloto americano George Follmer, da Shadow também acaba abandonando por falhas técnicas.

Outro piloto a abandonar a corrida por problemas na bomba de combustível é o inglês Jackie Oliver, também da equipe Shadow.

Jackie Stewart, continua fazendo boas voltas e se aproximando do primeiro pelotão. Já Peterson, Hulme e E. Fittipaldi continuavam a frente.

Jackie Stewart (5) e Emerson Fittipaldi (1) – Fonte: nobresdogrid

E. Fittipaldi consegue se aproximar de Hulme e o ultrapassa colocando-o entre ele e Stewart nas voltas seguintes, Fittipaldi tinha como objetivo recuperar a primeira posição, mas Ronnie Peterson realmente estava voando na pista. Permitindo que naquele momento as colocações seguissem da seguinte maneira:

  1. Peterson (Lotus)
  2. E. Fittipaldi (Lotus)
  3. Hulme (Mclaren)
  4. Stewart (Tyrrell)
  5. Reutemann (Brabham)

O piloto inglês da Surtees, Mike Hailwood foi o primeiro a entrar nos boxes para a troca de pneus e abastecimento. Seguido por Denny Hulme, o piloto da McLaren com essa parada acabou perdendo muitas posições e tempo nos boxes, dando oportunidade para Carlos Pace, reaparecer entre os cinco primeiros.

Entre a volta 31 e 32, E. Fittipaldi se aproxima a ultrapassa Peterson, fazendo todos criarem uma grande expectativa em vê-lo garantir pontos para ainda ter a oportunidade de faturar o campeonato mundial.

E. Fittipaldi (1) e atrás R. Peterson (2) – Fonte: gps.gpexpert

Os dois carros da Lotus iniciaram uma verdadeira demonstração de ultrapassagens deixando diversos retardatários para os demais pilotos que tentando se aproximar dos dois pilotos. Isto mostrava que o desempenho de ambos os carros estavam a quebrar toda e qualquer estatística.

Carlos Pace – Fonte: terceirotempo

A corrida estava chegando em suas voltas finais, E. Fittipaldi não estava mais conseguindo manter parciais tão boas assim e com isso R. Peterson se aproximava e até mesmo o ameaçava em ultrapassá-lo. J. Stewart assumia a terceira posição e aguardava ansiosamente que algum desentendimento entre os dois pilotos da mesma equipe pudesse chegar lhe proporcionar a grande oportunidade de vitória. C. Pace, vinha na quarta posição e tentava ficar cada vez mais próximo do terceiro colocado, visando chegar ao pódio.

Mas na volta 48, E. Fittipaldi encosta na lateral da pista, o carro para por problemas na alimentação de combustível e ali mesmo ele acaba sendo ultrapassado ao ver desapontado R. Peterson assumir novamente a primeira posição e ser o campeão da corrida. Seguido por J. Stewart e C. Pace no GP da Áustria de 1973.

J. Stewart (2º), R. Peterson (1º) e C. Pace (3º) – Fonte: @pinterest

| Fora da Pista (Outros)

28/54 – Graham Hill, equipe Shadow, por problemas na suspensão.

31/54 – Wilson Fittipaldi, equipe Brabham, por falhas na bomba de combustível.

34/54 – Rikky Von Opel, equipe Ensign, por falhas na bomba de combustível.

37/54 – Jean-Pierre Jarier, equipe March, problemas no motor

44/54 – Howden Ganley, equipe ISO Marlboro, abandonou a prova.

| Curiosidades

  • 232º GP
  • 2ª vitória para Ronnie Peterson
  • 1° podium para Carlos Pace
  • 43° e último podium para Jackie Stewart
  • 52ª vitória para Lotus
  • 63ª vitória para Ford Cosworth como construtor de motor
  • 54 voltas x 5.911 km – 319.194 km
  • Pole Position: Emerson Fittipaldi
  • Volta mais rápida: Carlos Pace, 01:37.290

***

Erik Araújo

Escreve* também lá no Medium. Torce pro MCFC e SEP. Joga palpites sobre #F1. E, está sempre no #Twitter.

%d blogueiros gostam disto: