Verstappen acaba com inferno astral, vencendo a corrida e com grande performance de Sebastian Vettel

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Depois de um ano cansativo para Max Verstappen, onde o piloto ficou fora de várias provas, foi a vez de colocar um ponto final ao seu inferno astral, com uma vitória que veio logo depois do seu aniversário de 20 anos.

Nada melhor que uma vitória limpa e consistente, mostrando o melhor desempenho dos carros da Red Bull em solo malaio em cima da Mercedes. Verstappen, pressionou Hamilton e após conseguir a ultrapassagem, foi-se embora, começando a abrir distância, sem dar oportunidade para o inglês revidar a ultrapassagem. Hamilton se quer teve conseguiu ameaçar o piloto da Red Bull, portanto o holandês precisou manter o foco e administrar a sua corrida.

Coube então ao inglês da Mercedes se contentar com o segundo lugar, pois ainda era uma grande oportunidade de ampliar a sua distância para Sebastian Vettel no campeonato e além disso era um ótimo lugar para Lewis, tendo em vista o final de semana complicado em relação a dificuldade de encontrar o acerto ideal que propositasse a equipe ter uma desenvoltura melhor. Duas corridas onde Hamilton podia ser o maior prejudicado e no fim acabou dando a volta por cima e talvez aproveitado a maré de sorte que lhe surgiu.

Nesta segunda metade do ano a Red Bull voltou a ser aquela equipe competitiva e que dá muito trabalho, coisa que era esperada desde o começo do ano, mas acabou se concretizando somente depois da volta das férias. Pode não ser a ameaça mais direta, se formos pensar em relação a pilotos disputando o campeonato, mas agora é a maior responsável por atrapalhar os líderes. Ricciardo chegando em terceiro no Grande Prêmio da Malásia evitou com que Sebastian Vettel conquistasse 15 pontos, e chegasse a 250 pontos no campeonato, contra 281 de Hamilton. Já o piloto da Mercedes se tivesse chegado em primeiro lugar teria somado 288 pontos.

Daniel Ricciardo foi brilhante, vencendo o embate com Vettel nas 10 voltas finais da corrida, conseguindo fazer com que o alemão desgastasse os pneus e não tivesse mais como batalhar pelo terceiro lugar, já que corria o risco de acentuar o desgaste dos pneus e se ver fora da corrida, com um estouro dos compostos. Ricciardo ainda teve uma ”mão’’ amiga já que Alonso também atrapalhou Vettel e naquele momento tirava a oportunidade do alemão de brigar mais um pouco pelo terceiro lugar.

Sebastian Vettel nem tem como reclamar do quarto lugar obtido hoje, mesmo que tenha chegado tão perto de ir para o pódio. Largar em último não é fácil e Vettel estava sujeito a se deparar com alguma confusão de meio de pelotão como as vezes acontece nas largadas da Fórmula 1. Mas acabou largando bem e conseguindo se livrar de vários pilotos na primeira volta. O osso duro mesmo foi Fernando Alonso, mas conseguiu levar o espanhol ao erro para realizar a ultrapassagem, depois disso pode contar com os pneus que tinham uma durabilidade maior, em relação aos adversários e contar com algumas paradas nos boxes, que evitaram algumas disputas de Vettel na pista, mas ajudaram na sua conquista.

É realmente uma pena ver a despedida da Malásia do calendário. Prova esta que rende ótimas corridas e com toda a certeza depois da prova realizada hoje, vai deixar saudade nos corações de muitos fãs da Fórmula 1.

Como última imagem para nós, Vettel acabou pegando carona no carro de Pascal Wehrlein, após ter a sua Ferrari destruída em uma batida com Lance Stroll, aflorando na nossa memória Webber voltando no carro de Fernando Alonso no Grande Prêmio de Cingapura de 2013. 

Aliás está batida pode ter comprometido o câmbio da Ferrari de Sebastian Vettel e caso uma troca seja necessária o alemão pode perder posições no Grande Prêmio do Japão que acontece no próximo final de semana. 

lll Saiba como foi a corrida

Ninguém sábia se Raikkonen conseguiria largar, e o finlandês estava nos boxes, com um problema mecânico que a equipe tentava resolver a todo custo. 

Hamilton se mantinha na ponta e Bottas pulava para terceiro. Vandoorne subia para quinto com a McLaren.

Vettel no final no grid, durante a primeira volta já era o décimo terceiro e se mantinha executando a escalada, carro a carro.

Ocon já se encaminhava para o pit-stop e retornava com os pneus macios, pois era prejudicado na largada, pelo companheiro de equipe não deixava espaço para ele, e por fim Ocon ainda acabou batendo em Felipe Massa, por dentro.

Verstappen abria e asa móvel e conseguia fazer a ultrapassagem em Hamilton na quarta volta e Daniel Ricciardo já vinha pressionando Bottas para tentar ganhar a quarta posição.

Assim que o Holandês conseguia a ponta, ele recebia instrução da equipe para abrir distância e evitar que o inglês usasse a asa para dar o rebote e retomar a posição.

Vettel que havia chegado a décima primeira posição, não conseguia ultrapassar Fernando Alonso e ficava a mais de três voltas atrás do espanhol. Pérez conquistava o quinto lugar de Stoffel Vandoorne e era a nona volta.

Ricciardo e Bottas travavam a disputa mais intensa na pista e o australiano fazia o uso do vaco do carro da Mercedes para conseguir realizar a ultrapassagem, ganhando a terceira posição na nona volta, na curva 4. Vettel por fim, se livrava de Alonso na mesma volta, induzindo o espanhol ao erro, fazendo com que ele abrisse de mais na curva e Vettel tivesse espaço suficiente para passar por Alonso. Ainda na volta 9, o piloto da Ferrari conseguia ganhar a posição de Kavin Magnussen, se tornando o nono colocado.

Verstappen seguia fazendo volta rápida, atrás de volta rápida. Vettel havia chegado em Felipe Massa, mas na volta 12 o brasileiro deixava o caminho livre, quando se encaminhava para os boxes e o alemão se tornava o oitavo colocado.

Stroll repetia a mesma tática de Felipe Massa e na volta seguinte o canadense se encaminhava para os boxes, fazendo com que Vettel não precisasse travar dois embates. Stroll era liberado dos boxes, em cima do companheiro de equipe e não gostou da atitude do brasileiro, que acabou pressionando ele e se mantendo à frente.

Vandoorne conseguia ultrapassar as duas Williams ao sair dos boxes, retomando a sua posição na pista e Stroll também se arriscava, para conseguir fazer uma ultrapassagem no brasileiro.

Vettel já era o sexto na décima sexta volta e começava a sua caça por Sergio Pérez.

Verstappen começava a informar sobre o desgaste dos pneus e que ele era mais acentuado na curva 7. O holandês já conseguia abrir uma vantagem de mais de 8 segundos, em cima de Hamilton, sendo a vigésima volta da corrida.

Vettel ultrapassava o checo na vigésima primeira volta, assumindo a quinta posição.

Duas voltas depois, os pneus de Lewis Hamilton começavam a apresentar bolhas e já soltavam uma espécie de macarrão pela pista. Vettel já estava no retrovisor do carro de Bottas e a equipe avisava para o finlandês da Mercedes as partes da pista que ele mais estava perdendo tempo.

Ocon acabava rodando na pista depois de um toque com Sainz na curva 1, após ser muito otimista para tentar uma ultrapassagem no piloto da Toro Rosso.

Dos ponteiros, Hamilton era o primeiro a realizar o seu pit-stop, e conseguia voltar em quarto. O inglês utilizava os pneus macios. Na volta seguinte era a vez de Max Verstappen conseguir parar e na mesma volta, Vettel também se encaminhava para os boxes, retornando com os pneus supermacios, na tentativa de ganhar a posição de Bottas sem muito esforço.

Na volta 29 era a vez do finlandês da Mercedes fazer a sua parada e a estratégia da Ferrari de conseguir ganhar a posição de Bottas havia dado certo. Ricciardo se encaminhava para os boxes na volta seguinte e a Red Bull deu preferência para antecipar a parada, pois Hamilton havia vindo muito forte, depois da sua parada.  

Sainz acabava abandonando a prova na volta 30 com problemas no motor da Toro Rosso.

Pérez finalmente saia da frente de Vettel na trigésima primeira volta e conseguia retornar em sexto. Na volta seguinte era vez de Alonso aplicar um x’s em Kavin Magnussen e conseguir garantir a décima terceira posição e rendendo mais um dos rádios icônicos do espanhol, chamando o piloto da Haas de idiota.

Vettel vinha voando na pista e na trigésima sexta volta era a vez do alemão fazer a volta mais rápida da pista com 1:34:342.

Palmer acabava rodando na curva 14 e logo depois se tocava com Magnussen e por pouco a disputa dos dois não atingia o líder da corrida, mas segundos antes Max Verstappen da Red Bull conseguia se livrar dos dois pilotos e ficar à frente deles.

Na volta 46 era a vez de Vettel chegar em Ricciardo e tentar realizar a ultrapassagem. O alemão da Ferrari podia abrir a asa móvel e era claro a proximidade dos dois na pista, restavam apenas 10 voltas para o final.

Vettel acabou sendo atrapalhado por Alonso e perdia um pouco de distância para Daniel Ricciardo. A medida que as voltas foram sendo executadas, Vettel perdeu um pouco do rendimento dos pneus e a distância dele para o australiano só foi aumentando.

Na penúltima volta era a vez de Gasly e Grosjean disputarem na pista e o piloto da Haas conseguia se manter na décima terceira posição, mas o piloto da Toro Rosso não queria deixar a posição barata e continuava atacando o adversário.

Verstappen conquistava a segunda vitória na sua carreira, com gosto de melhor presente de aniversário, fazendo uma corrida consistente e merecendo a vitória, depois de uma maré de azar ao longo do ano. Hamilton acabou chegando em segundo e Ricciardo veio para completar o grid.

Sebastian Vettel conseguia terminar a prova em quarto, mas na última volta Stroll acabava batendo no alemão e estragando completamente a traseira do lado direito da sua Ferrari. Dependendo do prejuízo causado em seu carro, Vettel pode ter que trocar o câmbio para a próxima corrida, rendendo uma punição e perda de posições no grid.

Wehrlein vendo o que havia acontecido com o alemão que acabou ficando a pé, esperou Vettel e deu uma carona para ele na sua Sauber, rendendo uma imagem emocionante e lembrando o lance o que aconteceu em 2013 com Webber.

 

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

%d blogueiros gostam disto: